OBroject no Brasil: “Os brasileiros são os mais animados!”

Aconteceu no último domingo (29), em São Paulo, a conferência de imprensa dos irmãos que conquistaram o público brasileiro com tamanho talento e carisma. Yunseok e Taeseok se mostraram muito felizes e animados pela oportunidade de se apresentar no Brasil.


Confira abaixo o que eles acharam da experiência no Brasil e seus futuros projetos, que envolvem planos além da música.

P – Vocês têm vontade de utilizar ritmos brasileiros em suas composições?

Taeseok – Durante o fanmeeting nós tivemos a oportunidade de conhecer e cantar a música “Senhor do Tempo” do Charlie Brown. A música brasileira possui um ritmo muito divertido, por isso, quando formos criar músicas alegres, vamos querer usar este ritmo sim.

P – Como está sendo os preparativos do dorama que vocês irão participar no ano que vem?
Yunseok – Nesta novela, nós teremos o papel de Idols, então estamos ensaiando muito a dança e canto em conjunto.

P – Vocês participaram do 3º Kpop Dance Tournament como jurados. Como foi essa experiência de ver grupos covers no Brasil?
Taeseok – Achamos essa experiência incrível. Ficamos realmente surpresos, porque o Brasil fica do outro lado do mundo e não sabíamos que o Kpop fazia tanto sucesso aqui. A performance dos grupos covers foram realmente muito bem feitas e ensaiadas. Pelo o que nós assistimos na televisão, achamos a qualidade dos grupos tão bons quanto os originais.


P – Vocês conseguem separar o lado pessoal do profissional, sendo que trabalham juntos como irmãos?
Yunseok – Como nós somos irmãos é natural brigarmos, porém sempre tentamos evitar ao máximo levar isso para o lado profissional. Até porque isso acaba interrompendo o nosso progresso no trabalho.

P – Vocês participaram do 3º KDT e realizaram um show balada no dia anterior. Esses eventos superaram as expectativas que tinham com os fãs brasileiros? Vocês gostaram deles?
Taeseok – Através das redes sociais, nós já sabíamos que tínhamos fãs no Brasil, porém encontrar com eles foi uma sensação muito diferente. No fansign, alguns fãs estavam até tremendo de nervoso. A recepção foi muito calorosa e nos deixou muito satisfeitos.

P – Qual a sensação de saber que vocês têm fãs brasileiros que os admiram?
Yunseok – O Brasil é o país que possui um dos nossos maiores curtidores fora da Coréia. Nós viemos até aqui para simplesmente apresentar o nosso trabalho e não conquistar o mercado brasileiro. Mesmo assim, os fãs demonstraram que gostam muito da nossa música, o que nos deixou fascinados e agradecidos.

KoreaIn Magazine Vocês costumam fazer muitas apresentações nas ruas. Como vocês se sentem em ir até o seu público e como isso é diferente quando comparado às apresentações em festivais e palcos?
Taeseok – A princípio não existe tanta diferença de fazer apresentações nas ruas ou em espaços reservados, porque em ambos nós estamos apresentando nossas músicas e em contato direto com os nossos fãs. Se tivermos que citar uma diferença, pelo tempo que estivemos no Brasil, é que os fãs brasileiros são realmente muito receptivos, animados e alegres, comparado aos fãs coreanos.

KoreaIn Magazine Os gostos musicais de vocês convergem quando vocês estão fazendo música?
Yunseok – Até mesmo pela sobrevivência do grupo, nós não criamos músicas 100% do nosso jeito. Nós sempre visamos conquistar o público, então acreditamos que conseguimos realizar 50% do nosso objetivo e os outros 50% nós tentamos inserir nossos gostos musicais, criatividade e identidade. Mas esperamos que algum dia nosso grupo possa criar músicas próprias.

P – Vocês chegaram a participar do Kpopstar, onde foram julgados por artistas renomados como a  BoA, JYP e YG. Com o aprendizado que vocês tiveram no programa, como conseguiram utilizá-lo em suas carreiras e na competição do 3º KDT como jurados?
Taeseok – Os principais critérios que tomamos para julgar os grupos covers foram, além da imitação dos grupos originais, tentamos encontrar as características do grupo em si, o que é um fator muito importante para se identificar como artistas na área musical. Nós já fomos julgados no Kpopstar e sabemos como os covers estavam se sentindo, por isso fizemos o julgamento mais sincero e justo possível.

P – Vocês já trabalharam com outros artistas e tem um histórico muito bom de colaborações. Há algum artista, dentro ou fora da Coréia, que vocês gostariam de fazer uma música juntos e por quê?
Yunseok – Existem dois artistas que eu gostaria de fazer uma colaboração, os rappers Tyga e Zion T.
Taeseok – assim como o meu irmão, eu admiro muito o Zion T. Além dele, eu gostaria de fazer uma colaboração com o Crush e o The Weekend. O motivo é que eu realmente gosto do estilo musical deles e eu quero criar uma música que tenha uma característica peculiar para o nosso grupo.
P – Vocês podem apontar os pontos mais fortes e fracos de cada um como artistas?
Yunseok  O ponto mais forte e mais fraco do meu irmão é o mesmo. É o fato de ele tomar decisões muito rápidas. Então ás vezes isso pode parecer que ele não considera todas as possibilidades, mas por outro lado, isso faz com que o grupo tome uma iniciativa.
Taeseok – Vocês acham que nós somos parecidos ou não? Assim como a nossa aparência é diferente, até na nossa personalidade isso se reflete. Enquanto eu tomo decisões mais rápidas, meu irmão é uma pessoa muito cuidadosa, então ele pensa muito antes de tomar uma decisão e ás vezes ele não chega a uma conclusão. É muito difícil ouvir uma resposta definitiva dele. O lado bom é que ele considera todas as possibilidades e considerações.

P – Quais são os planos de vocês para 2016?
Yunseok – Como artista, eu quero crescer e me desenvolver musicalmente. Por isso eu vou me dedicar mais em relação a estudar música e se eu tiver uma oportunidade de voltar para o Brasil, espero encontrar o dobro de fãs que encontrei nos eventos que fizemos por aqui.
Taeseok – Assim como meu irmão, eu quero obter bons resultados em 2016, no entanto eu quero me focar nos próximos eventos, por exemplo, em Dezembro nós temos uma competição musical chamada “Busking” e, além disso, nós estamos trabalhando com a participação de uma novela, no qual espero que consigamos realizar bem o papel. Acredito que todos esses eventos poderão contribuir positivamente com o grupo Obroject.

Hoje faz exatamente uma semana que os meninos voltaram para a Coréia. Já estão com saudades? 
Com tanto talento e simpatia, esperamos revê-los em breve.

Por Camila Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.
Publicitária, redatora e diretora de arte, sou CEO e fundadora da KoreaIN, a primeira revista brasileira sobre música e cultura asiática.