[DOSSIÊ] Entenda o caso das investigações de manipulação de ações da FNC Entertainment

No dia 24 de junho, veio à tona a informação que a agência FNC Entertainment está sendo investigada por manipulação de ações. O caso ganhou repercussão mundial entre sites que cobrem a indústria musical sul coreana principalmente por envolver artistas da empresa. No começo, a principal investigação era sobre Yonghwa, vocalista do CNBlue, que depois foi considerado inocente, enquanto seu colega de banda, o guitarrista Jonghyun admitiu ter usado, mesmo que sem conhecimento, informações confidenciais para comprar ações, e foi multado pelo ocorrido. Entenda aqui o caso completo.


 

A inicial acusação a Yonghwa

 

As primeiras notícias sobre o assunto nos jornais coreanos identificava que fazia parte do esquema um artista da empresa. O site coreano Dispatch identificou primeiro como um integrante de um grupo idol e ator da FNC “A”, que seria o vocalista principal e líder do seu grupo. A FNC possui quatro grupos ativos hoje: CNBlue, FT Island, AOA e N.Flying. AOA já é descartado pelas postagens se referirem a um homem, além da líder do grupo ser a rapper Jimin. Do FT Island, o líder é o guitarrista Choi Jonghoon, e não o vocalista principal Lee Hongki. E da banda mais nova da FNC, N.Flying, o líder é o vocalista Lee Seung Hyub, mas ele até o momento não possui carreira de ator. Por esse motivo, o único artista que se encaixava na descrição era o Jung Yonghwa, e não muito depois os meios de comunicação coreanos confirmaram que, de fato, o principal artista investigado era Yonghwa.

 

A acusação sobre Yonghwa, de acordo com o promotor, era sobre uma compra e venda de ações da empresa feitas pelo cantor em julho do ano passado. Na época, ele teria comprado 20 mil ações da empresa no valor de 400 milhões de Won (equivalente a pouco mais de 1,1 milhão de reais) e vendido na semana seguinte por 600 milhões de Won (1,6 milhão de real), obtendo um lucro de 200 milhões de Won (500 mil reais). A valorização das ações no período de 1 semana aconteceu quando a FNC assinou oficialmente com o Yoo Jae Suk, comediante popular na Coreia por suas participações em programas de variedades e que ficou sem agência por cinco anos. O contrato foi assinado no dia 15 de julho, e no dia seguinte o preço da ação da FNC foi de 20800 Won para 27000 Won.
O lucro de Yonghwa não é contra a lei, mas por ser um período curto entre a compra e a venda, surgiram suspeitas que Yonghwa recebeu informações internas confidenciais sobre o contrato com Yoo Jae Suk (mesmo sendo cantor da empresa, isso não o dá direito de obter tais informações da empresa que podem afetar o valor das ações), e, por isso, sabia que a empresa se valorizaria e pode comprar as ações e lucrar com isso ilegalmente.
Essa situação é definida legalmente como “insider trading”, ou seja, a negociação de valores baseado em conhecimento de informações importantes, mas que ainda não são de conhecimento público, conseguindo uma vantagem sobre outras pessoas na compra de ações, e obtendo lucro no mercado ilegalmente. A pena para essa infração é de 10 anos de prisão ou pagamento de uma fiança no valor de 3 vezes o valor que eles conseguiram com o esquema.
No entanto, existia também a possibilidade de ser apenas uma coincidência, já que existem vários idols que de fato compram com frequência (e eventualmente vendem para obter lucro) ações da própria empresa. No caso de Yonghwa, foi o que aconteceu. Durante as investigações, que começaram em maio, foi revelado que na verdade quem havia feito a compra das ações foi a sua mãe, já que ele havia confiado suas finanças à sua mãe por um período, sem que ele sequer soubesse no momento da compra. Apenas depois que ele ouviu que a FNC tinha contratado Yoo Jae Suk que ele viu que possuía as ações e vendeu algumas ao ver o valor das ações da FNC subirem. Por isso, ele foi inocentado das acusações.
A acusação a Lee Jong Hyun

Enquanto ainda em especulações sobre o caso, foi descoberto que outro integrante do CNBlue também estaria sendo investigado, além também do CEO da FNC Han Sung Ho. As especulações e boatos encerraram no dia 30 de junho, quando a FNC anunciou o veredicto que foi dado aos dois idols investigados: Yonghwa e Jonghyun. Enquanto Yonghwa se provou inocente, Jonghyun admitiu ter feito um “insider trading”.
Segundo os relatos das investigações, ele ouviu de um conhecido na manhã do dia 15 de julho que a FNC iria contratar uma celebridade famosa e, sem saber se a notícia já havia sido divulgada pela mídia, ele comprou ações da FNC antes que a informação fosse pública. No entanto, quando ele percebeu o que havia feito e que a transação causaria problemas legais para ele, ele não revendeu as ações, de forma a não obter lucro ilegal. Por esse motivo, desde então ele tem mantido essas ações, o que na verdade o levou a ter prejuízo. A promotoria considerou então que Jonghyun tinha percebido o erro e já havia se arrependido de sua ação, além de não ter lucrado com a informação no final, dando a ele a punição leve de pagar uma multa de 20 milhões de won (56 mil reais).
Por: Paula Bastos Araripe Fontes: Netizen Buzz, Doramaever, FNC Ent, Allkpop, Soompi, Asianjunkie Não retirar sem devidos créditos

 

 
O Portal KoreaIN é dedicado a divulgar todo tipo de informação e noticia sobre a Coreia do Sul e sua cultura.