HyunMin, o primeiro modelo coreano-nigeriano da cena de moda coreana

Foto replicado do Korea Times. Cortesia de Moon su-jung.

Um modelo masculino de 16 anos está levando uma tempestade para a indústria de moda coreana, e não é apenas o estilo do jovem que está fazendo dele a conversa da cidade. Han Hyun Min é o primeiro modelo Coreano-Africano da Coreia, e ele não está apenas mudando a paisagem da moda coreana, mas também tem sonhos de fazer algo grande no cenário internacional.

À primeira vista, Han Hyun Min não parece coreano, mas ele é. Nascido da união entre um pai nigeriano e mãe coreana, o modelo de 16 anos está mostrando sua singularidade em passarelas e sessões de fotos no país ainda muito homogêneo. Apesar de falar apenas coreano, quase todos os que se aproximaram dele durante a Seul Fashion Week no outono passado falaram com ele em inglês, apenas por causa de sua aparência, e ele insiste em ser chamado apenas por seu nome, Hyun Min. “Minha força reside na minha aparência diferente dos outros”, disse ele ao The Korea Times. Medindo 1,89 de altura, ele definitivamente do alto e com orgulho,pois tem capturado os olhares de designers do mundo todo. Aparecendo em 11 desfiles de moda na mais recente Fashion Week, ele já se estabeleceu como um dos melhores modelos masculinos da Coréia.

Infelizmente, o racismo ainda existe na indústria da moda coreana, mas Hyun Min não está deixando nada ficar em seu caminho. Designers chegaram a dizer para ele que sua cor de pele não era apropriada para eles, além de Hyun Min constantemente lidar com pessoas da indústria falando com ele apenas em inglês, mesmo sabendo-se que ele é coreano. Mas o jovem é mais maduro e mais forte do que as ignorâncias que lhe cercam. Depois de ter experimentado um photoshoot para a GQ Japan no ano passado, o jovem modelo agora tem sonhos de ir para o Japão, onde, segundo Hyun Min, toda a experiência foi mais única do que ele estava acostumado na Coréia.

“As pessoas não falavam comigo nos bastidores dos desfiles de moda porque achavam que eu não falava coreano, mas depois que souberam, as pessoas começam a se aproximar e falar comigo”, disse Han.

Não importa para onde ele decidir ir, e o que ele acabar fazendo com sua vida, parece que este jovem coreano-nigeriano encontrará sucesso em qualquer coisa que ele fizer.
Por Naira Nunes
Fonte: Dramafever (Danny Kichi) + Korea Times (Kim Jae-Heun)
Não retirar sem os devidos créditos
Publicitária, redatora e diretora de arte, sou CEO e fundadora da KoreaIN, a primeira revista brasileira sobre música e cultura asiática.