[+18] Análise – Vibrato e todos os olhos sobre o Stellar

Aproveitando a vinda do Stellar a solos brasileirinhos, cá estamos nós com mais uma análise de MV! Mas, antes de qualquer análise, gostaria de comentar sobre o quanto fiquei impressionado com a pouquíssima quantidade blogs, canais e afins que se dedicaram a ver a fundo o MV de Vibrato, sendo que este, pelo menos pra mim, é o melhor lançamento do Stellar até o momento e um dos melhores lançamentos de 2015, seja pela música, seja pelo assunto abordado no clipe.

Para entender o contexto do MV de Vibrato primeiro é necessário que se entenda também um pouco da carreira do próprio Stellar. O grupo inciou suas atividades no ano de 2011, investindo em conceitos cute como os de “Rocket Girl” e “UFO”, enquanto eram produzidas por Eric, integrante do Shinhwa, em sua gravadora. Mas, no ano de 2014 o grupo teve uma mudança de imagem, buscando conceitos mais adultos, o que ocasionou uma série de críticas às garotas e seu trabalho: Stellar foi criticado por seu conceito em Marionette e alguns outros que se seguiram.

Na segunda metade de 2015, o grupo lançaria aquele que se tornaria um de seus mais polêmicos clipes: Vibrato. Uma série de críticas direcionadas ao grupo começaram já na divulgação dos teasers, que mostravam as garotas com figurinos e coreografia provocantes. Até que, em julho, o clipe foi finalmente lançado.

A letra de Vibrato conta história de uma garota que sempre se manteve no controle de suas relações mas que, pela primeira vez, se apaixona por um homem, fato que a deixa em dúvida sobre seus próprios sentimentos e seu real controle sobre eles. O MV, dirigido por Digipedi (responsável por dirigir sucessos de artistas como IU, EXID, Big Bang e Infinite), se inicia com a imagem de uma flor, objeto recorrente quando o assunto é retratar a sexualidade feminina, é comum ver a flor como objeto de representação da vagina. Este é um tipo de imagem recorrente em todo o MV, simbolizando a abertura diante de algo novo, um amor novo. A menção a flores desabrochando também é um aspecto que é traduzido muito bem pela letra da música:

“As pessoas me dizem que sou como uma flor desabrochando no gelo. Eu sei que eles me querem, mas eles acabarão com as mãos frias, o que fazer?”

O clipe também se inicia com imagens das garotas presas em caixas de vidro, em poses reveladoras, enquanto uma série de câmeras do lado de fora registram sua incessante vontade sair. Isto pode indicar o quanto o grupo foi bombardeado pela mídia com relação aos seus conceitos adultos e sobre como elas estavam presas numa espiral diante destes mesmos julgamentos. Também é representada aqui a exposição constante que o grupo sofre diante do público, promovida através de ataques contra os conceitos voltados para maiores de idade.

Outro ponto do MV que indica isto é a retratação do grupo como 4 bonecas sendo mostradas na imagem de uma televisão, indicando toda a pressão sofrida pelo grupo diante da mídia.

 

As bonecas representando o grupo na televisão.

O clipe também traz o figurino do MV de “Marionette” propositalmente, relembrando a controvérsia enfrentada pelo Stellar quando o clipe foi lançado e todo o processo de divulgação envolvido. “Marionette” retrata a forma como os idols são tratados como meros bonecos controláveis diante da indústria musical, aspecto que também pode ser visto, só que de uma outra forma, também em “Vibrato”. É possível ver a imagem de um monte de bonecas (que, lembrando, também são usadas para representar o grupo) desmembradas e descabeladas, como se estivessem sendo descartadas após o uso, mais uma crítica não só ao modo como os idols são vistos e tratados na indústria e pelo meio midiático como também o quanto isto lhes é prejudicial.

Bonecas, que também representam o grupo, desmembradas.

O vermelho é a cor constante no clipe e serve não só pra representar a fervorosidade do amor relatado na letra, como também as dificuldades enfrentadas pelo próprio Stellar diante das situações citadas anteriormente. Inclusive, um líquido vermelho pode ser visto sendo derramado sobre as bonecas:

Num último momento, a música abre o espaço para a parte final e é aqui que a maior quantidade de alusões à vulvas se concentra. Indicando a abertura diante da sexualidade de uma jovem, uma série de recursos são usados para simbolizar a abertura do coração desta mesma jovem: olhos, janelas e até mesmo uma bolsa são abertos diante do espectador, enquanto a letra também segue o mesmo ritmo. Outro aspecto trabalhado aqui é ideia de invasão criticada e trabalhada por todo o clipe, a exemplo dos olhos e bocas representados nas unhas das garotas enquanto as mãos fazem seu caminho adentro.

“Abra uma porta desconhecida pra mim, faça meu coração e pensamentos se quebrarem.”

Olhos e bocas invadem, sensação de superexposição.

Em entrevista ao Felipe Neto, as integrantes comentaram que muito do clipe foi mal interpretado, acreditando-se haver diversas representações de genitálias femininas, porém esta tratariam-se do coração da jovem.

Por fim, uma melancia é escancarada à nossa frente, um ciclo está terminado, dando início a outro.

Vibrato é com toda a certeza um destaque na carreira do Stellar, as críticas do clipe são um assunto mais do que válido a ser discutido não só pelos fãs do grupo, mas por fãs de música em geral. Stellar revisita complicações do passado e faz disso algo novo neste MV, uma pena que, para alguns, o clipe não passe de apenas “mais um conceito sexy”. Outro mérito de Vibrato está na capacidade trabalhar e casar muito bem dois tipos diferentes (mas não tão distantes) de exposição: a exposição de uma jovem diante das descobertas relacionadas a sua própria sexualidade e, por outro lado, a exposição e julgamento de idols que o meio midiático promove constantemente. O primeiro ainda é um mistério para muitos e muitas, já o segundo nós conhecemos mais do que bem.

Por Jô Mesquista
Fontes: RKD, Asian Junkie
Não retirar sem devidos créditos

O Portal KoreaIN é dedicado a divulgar todo tipo de informação e noticia sobre a Coreia do Sul e sua cultura.