Yoo Kwan Soon, a jovem heroína da Independência Coreana

New Shilla Kwan

No Dia das Mulheres e mês da Independência Coreana relembramos uma grande figura feminina da história, por meio dessa tradução do artigo do nosso parceiro XiahPop.

Às vezes as heroínas vivem muitos anos lutando. As vezes apenas com poucos anos de vida conseguem marcar a história de um país. Yoo Kwan Soon é uma destas últimas, com apenas 18 anos foi uma peça fundamental para a Independência da Coreia. No primeiro de março a Coreia comemora o “Movimento da Independência” e é onde a Joana D’Arc coreana, como algumas a chamam, se torna protagonista.

Biografia

Primeiro vamos conhecer um pouco da sua história. Kwan Soon nasceu no dia 15 de março de 1904 na província de Chungcheong, Coreia. Sempre foi uma menina ativa e inteligente. Quando estava no colégio, sua professora Alice Sharp, uma missionária ocidental, lhe recomendou seguir seus estudos universitários na Universidade Ewha de Mulheres , onde é claro foi aceita.

Infelizmente seu tempo lá foi curto. Depois uma grande manifestação a universidade foi fechada pelo governo japonês, que na época tinha o poder sob a Coreia após invadi-la em 22 de agosto de 1910. E é ai que de fato começa a luta de Kwan Soon, e de toda uma nação…

Yoo Kwan Soon e sua luta pela Independência

Em janeiro de 1919, Gojong que era o rei da Coreia, foi morto depois de uma luta difícil pelo seu país. Isso provocou um enorme desejo de coreanos para recuperar o que era deles e que, pouco a pouco, o regime japonês foi negando. Não muito depois, em março do mesmo ano, quando foi realizado o funeral do imperador Gojong, 33 ativistas estabeleceram a Declaração de Independência que foi lido para o público em Tapgol Park, no centro de Seul, esta declaração foi então enviada para o governador-geral da Coreia.

A jovem Kwan, que havia retornado à sua cidade natal, não ficaria de mãos abanando. Com sua pouca idade, e com grande desejo de ver novamente a sua Coreia brilhar livremente, organizou no mesmo dia uma grande manifestação que atraiu milhares de vizinhos gritando “Viva a Independência da Coreia!” (“대한 독립 만세”) .

A polícia japonesa dispensou a manifestação e Yoo Soon Kwan foi presa junto com outros manifestantes. Seus pais foram mortos pela polícia japonesa.

Um final e um princípio

Depois de ser presa, Yoo Soon Kwan recusou a oferta para admitir o seu “crime” e cooperar dando nomes ao governo japonês e assim obter uma sentença menor. Mas ela se negou e continuou protestando pela Independência da Coreia mesmo na prisão, recebendo terríveis torturas de oficiais japoneses. Até sua morte na prisão em 28 de Setembro de 1920, devido à tortura.

Embora a história desta luta termine tragicamente, os coreanos hoje a recordam com orgulho. Uma mulher em tempos de dor e opressão foi a inspiração para todo um povo. Ela foi uma das primeiras mulheres icônicas que tem nomeado na história da Coreia.

Hoje queríamos dedicar esta nota para lembrar que a união faz a força, sem importar a idade, e sim o desejo de lutar pelo que é certo. Graças Yoo Kwan Soon para ser a mãe da nação coreana!

Traduzido por Amanda Soares
Texto original XiahPop
Não retirar sem devidos créditos