As lutas dos kpop idols contra os seus problemas de saúde

Em cima, Solji (EXID) e Gongchan (B1A4). Em baixo, Suga (BTS) e Hyorin (Sistar)

Semana passada a K-IN publicou um artigo sobre como idols lidam com doenças psicológicas. Dando continuidade ao assunto da saúde entre os artistas, desta vez o foco está nos problemas de saúde física. Existem vários casos de cantores que convivem com doenças que nada tem a ver com a carreira ou então que não afetam boa parte do seu dia a dia, e em outra perspectiva existem ainda condições geradas pelo seu trabalho, quando acabam desenvolvendo problemas relacionados as suas cordas vocais, o que costuma preocupar, porque afeta a realização do sonho de viver da música.

Boa parte dos idols que já admitiram ter alguma doença felizmente enfrentam casos mais leves, que não comprometem o sonho de serem cantores, mas ainda merecem atenção por serem condições que podem gerar algum transtorno. Existem também outros, por outro lado, que passaram por situações sérias no passado mas que conseguiram superar, muitos que até não teriam sido capazes de ter a carreira que têm hoje caso não tivessem se curado.

Ambos os casos resultaram em alguma dificuldade para eles, já que nunca é fácil passar por um problema de saúde, independentemente de quem for.

 

Momentos complicados na infância

 

A cantora Hyorin, do Sistar, pode ser hoje conhecida por seu corpo atlético e a imagem saudável, mas ela passou por uma situação preocupante quando bebê. Hyorin nasceu com uma condição rara, que atinge 1 em cada 15 mil nascimentos, chamada Atresia Biliar, – que é o bloqueio das vias biliares – o que impedia seu fígado de produzir a bile.

A doença é séria, e se não tratada rapidamente pode causar a morte de bebês com até 2 anos de idade. No caso da Hyorin, ela imediatamente foi para a cirurgia, que levou mais de 10 horas. Embora inicialmente resolvido, cerca de 1 ano depois ela passou por outro problema no seu sistema digestivo quando teve Intussuscepção, que acontece quando uma parte do intestino se dobra sobre outra parte, obstruindo a mesma. Ela teve que passar por duas grandes cirurgias, e Hyorin ainda revelou que por causa disso teve sua vesícula biliar removida em uma das operações. Apesar do momento delicado, ela já está curada da condição e agora faz de tudo para manter uma vida saudável.

 

Outro com situação delicada desde cedo foi Zico, do Block B. Com dois anos de idade ele teve que passar por uma cirurgia cardíaca porque seu coração era fraco. Ele também teve hérnia e bronquite asmática. Todas essas condições fizeram com que ele fosse frequentemente para o hospital durante a infância. Curiosamente seu irmão mais velho, Taewoon, do antigo grupo CO-ED School, desenvolveu uma alergia a leite também na infância, apesar de ser um problema bem menor, mostra que o início da vida de ambos não foi muito fácil.

 

Foto do peito de Zico, com a cicatriz vertical da suas cirurgias cardíacas

 

Em uma história curiosa, Lay, do EXO, descobriu uma condição sua enquanto tratava de outra para poder ser cantor. Quando era criança, ele herdou do pai o amor pela música, que cantava pela casa todas as manhãs e incentivava o filho a ser cantor. O problema é que Lay tinha a amídala aumentada, que por si só já é causa de transtornos em muitas crianças que passam por essa situação, e seu pai temia que se a amídala crescesse mais a ponto de bloquear parte da faringe e impedi-lo de ser cantor.

Por isso ele o levou para o hospital para remover a amídala, e foi enquanto faziam os exames pré-operatórios que descobriram que o Lay nasceu com Hemofilia, uma doença hereditária rara, que atinge 1 em cara 34 mil garotos, que é um defeito na coagulação do sangue. Na prática isso significa que ele precisa ter cuidado com cortes e ferimentos, já que eles demoram a cicatrizar e podem levar a excessiva perda de sangue.

Por causa disso, o cirurgião recomendava evitar qualquer tipo de procedimento cirúrgico, mas o pai de Lay insistiu na ideia até que o médico não pode negar e fez o procedimento. Infelizmente a recuperação foi dramática, como previram os médicos. Lay teve uma hemorragia pós-operatória que o fez cuspir sangue ininterruptamente até que seu corpo entrou em choque e ele desmaiou. Quando acordou, no hospital e recebendo uma transfusão, viu seu pai parecendo ansioso e o que Lay pensou na hora foi que seu pai tinha merecido isso, já que ele que havia insistido na operação.

Apesar da situação dramática, Lay conseguiu se recuperar bem e hoje seguiu os passos que seu pai também desejava, o de um cantor e bem-sucedido. Mas é bom não esquecer que ele continua com a hemofilia. Enquanto em geral isso não afeta sua rotina de idol, ainda assim demanda atenção uma vez que se sofrer um ferimento pode ser potencialmente perigoso para ele.

 

Preocupação com a saúde

 

Como demonstrado, mesmo condições que não necessariamente causam risco de vida, frequente pode ser uma preocupação extra que para os próprios cantores em meio a rotina cansativa e multi-tarefa.

Por exemplo as irmãs Jéssica, ex-SNSD, e Krystal, f(x), que tem anemia. Enquanto a anemia pode não ser incomum em mulheres ocasionalmente, ela é um problema maior para quem tem uma rotina exaustiva. É possível ver em várias apresentações que elas aparentam mais cansadas que suas colegas, além de várias ocasiões em que desmaiaram durante performance. Similar acontece com Yoochun, do JYJ, que tem asma crônica. Com a asma cada pessoa tem um “gatilho” diferente, que pode ser respiratório, uma alergia, exercício físico ou outra causa, então não é possível saber o quanto o Yoochun é afetado pela doença. Ele já teve algumas crises asmáticas em shows e também ao fazer seu alistamento. Por causa de sua doença ele foi isento do serviço militar regular, e ao invés disso cumpre seu alistamento obrigatório no serviço público.

Park Bom, ex-2NE1 revelou sofrer de uma doença em seu sistema linfático, que leva a um eventual inchaço nos seus nodos linfáticos, que ficam no pescoço, e também em seu rosto. Enquanto no seu caso a condição é leve e controlada, ela ainda assim causa incomodo e dor quando acontece o inchaço.

 

Inchaço nos nodos linfáticos de Park Bom em uma performance

 

Além dos problemas crônicos, existem casos de doenças repentinas que afetam os idols e precisam de tratamento adequado para retornarem ao seu bom estado de saúde. O rapper Suga, do BTS, já contou sobre quando teve apendicite durante um período promocional no Japão. Ele sentiu dores fortes na barriga e ao ir para um hospital ver do que se tratava, descobriu que estavam com suspeitas de ser apendicite. Mas como o médico que o consultou não deu certeza, ele resolveu pegar um avião de volta para a Coreia, onde foi diagnosticado de fato e operado para remover seu apêndice e parar a dor. O ato foi uma mostra de coragem, e talvez também de imprudência, já que a inflamação no apêndice não só causa fortes dores como se não for tratada no tempo certo pode significar um risco de vida.

O Lee Joon, ex-integrante do MBLAQ, também passou por uma situação desconfortável, e no caso quando estava de fato prestes a se apresentar. Um pouco antes das filmagens do Inkigayo, onde dançariam Stay e uma apresentação especial de dia dos namorados, ele vomitou repentinamente e foi levado direto ao hospital. Lá ele foi diagnosticado com uma síndrome vertiginosa, que afeta o mecanismo de equilíbrio do ouvido e causou os sintomas. No entanto, seu caso não era grave e com descanso e tratamento ele pode se recuperar, para a alegria também dos fãs, que puderam voltar a vê-lo ativo em suas performances de danças e atuações.

Em 2012, o integrante do B1A4, Gongchan, foi diagnosticado com problema no ureter de um dos seus rins, que passou a não funcionar corretamente e precisaria ser removido para não causar mais dor. No entanto, como o B1A4 estava no meio das promoções para Baby Good Night, ele escolheu deixar a cirurgia para depois e também manteve o caso em silêncio para não preocupar os fãs. Nesse período ele tomava remédios para dor quando necessário, após o fim das promoções logo realizou a operação, que ocorreu bem e em uma semana já estava recuperado e aos poucos voltou a sua rotina.

 

As difíceis escolhas

 

Nem todos tem a chance de se curar de suas doenças rapidamente, já que às vezes o tratamento requer mais tempo e dedicação do indivíduo para que a situação seja resolvida. Alguns priorizam sua recuperação e sua saúde e optam por deixarem a rotina estressante de um grupo. Na época da saída do Tao do EXO, foi argumentado que um dos motivos tinha sido por pressão de seu pai em relação a sua saúde, já que o cantor estava com uma lesão na perna, além de ter um histórico de outras lesões enquanto idol, mas que a SM Entertainment aparentemente não estava dando a devida atenção a melhora dele. Tao foi até mesmo visto comprando remédios por conta própria para se cuidar, e esses fatos causaram preocupação em seu pai.

Embora o caso da saída de Tao do EXO seja uma ocasião especial, e com mais de um fator envolvido, isso mostra o quanto o cuidado da saúde é importante.

 

Tao comprando os remédios para a sua lesão na perna

 

Em uma história mais antiga, a Hyunah, ex-4Minute, teve no seu problema de saúde o motivo de sua saída do primeiro grupo que ela participou, o Wonder Girls. Na época com apenas 14 anos, não muito depois do debut do grupo, Irony, ela saiu, por influência dos seus pais, para tratar de um Gastroenterite crônica que a levou a ser hospitalizada entre março e abril de 2007. A doença, que é uma inflamação em parte do estômago e do intestino, costuma gerar náusea, vômito e diarreia, além de outros sintomas. A forma crônica dessa doença implica em uma longa duração da condição, que além dos devidos remédios precisa de total abstinência de álcool além de uma alimentação rígida para a cura. Enquanto na época seu estado era mais sério, o nível de cuidado que a doença precisava não era compatível com a rotina de idol. A decisão de sair do grupo permitiu que ela melhorasse a sua saúde a ponto de poder ter voltado a ser a cantora que é hoje.

 

Hyunah quando era do Wonder Girls, performando Irony

 

Em outros casos, a saída temporária do grupo é a abordagem ideal para que o idol possa cuidar da saúde sem a decisão de ter que afastar o sonho de ser um cantor. Foi o caso da Solji, do EXID, que em dezembro do ano passado passou mal e precisou ir para o hospital, onde foi diagnosticada com hipertireoidismo. A doença é causada quando há uma quantidade excessiva de hormônio da tireoide no sangue, o que afeta a atividade metabólica do organismo como emagrecimento, aumento do volume da tireoide, entre outras consequências.

É uma condição que precisa de tratamento para ser curado e evitar que ela se desenvolva e cause mais inconvenientes para a pessoa. Por esse motivo foi decidido que Solji se afastaria do grupo por um tempo até se curar. Agora em abril, o EXID fez seu comeback, sem a Solji, mas com uma homenagem a ela. O nome do álbum Eclipse, foi escolhido por elas por significar “um período curto antes da lua cheia retornar”, ou seja, que o EXID não está completo sem a Solji. Além disso, as quatro também decidiram que os lucros do álbum seriam divididos igualmente entre as 5, incluindo a Solji, mesmo que ela não tenha participado da gravação e nem das promoções do álbum, como verdadeira prova da amizade e do apoio entre elas.

 

Quando o seu trabalho é a causa

 

As lesões físicas causadas por ensaios ou danças mal executadas não são as únicas formas que a vida de idol pode causar problema para a saúde. Na realidade, muitos idols acabam desenvolvendo problemas por causa do canto, na maioria relacionados às cordas vocais. A principal são os nódulos (também chamado de calos) nas cordas vocais. São formações de massas benignas no meio das cordas vocais. Elas nada mais são do que lesões geradas pelo uso excessivo da voz, algo bem comum entre cantores.

Quem desenvolve essa condição costuma sentir um desconforto na garganta e a voz pode ser afetada. O tipo da lesão e sua forma de tratamento podem variar de caso para caso, mas, em geral, pode ser curada descansando a voz e fazendo uma terapia específica para as cordas vocais ou através de uma microcirurgia, geralmente a escolha mais apropriada para cantores já que precisam de suas cordas vocais totalmente recuperadas para não serem prejudicados na sua carreira.

Em talvez um dos casos mais impressionantes desse tipo,  Yoseob, vocalista principal do Highlight (antigo Beast/B2ST) em 2010 foi diagnosticado com nódulos vocais, laringite e esofagite de refluxo ao mesmo tempo. Na época o grupo foi fazer um check up médico durante o programa Idol Maid e disse estar preocupado porque percebeu que sua voz não estava muito boa durante a gravação do álbum mais recente, Mastermind, e acabou com esse diagnóstico. O médico ainda relatou que ele teve sorte de ter descoberto as doenças cedo pois dessa forma evitou problemas piores e sua recuperação seria melhor. Logo após a notícia Yoseob foi se tratar e fez a cirurgia dos nódulos. Enquanto isso o comeback do grupo foi adiado até sua melhora, que foi bem rápida e logo ele pode voltar aos palcos com os outros integrantes e com a voz em 100% para promover a faixa principal do álbum, Breath, o que inclui essa parte:

 

A high note do Yoseob em Breath

 

Vários outros idols passaram por situações similares. A Tiffany, do SNSD, em 2009, também teve nódulos vocais e, no caso dela, chegou a afetar o som da sua voz. Felizmente, não de uma forma negativa. Na realidade, depois do tratamento, logo antes do lançamento de Gee, sua voz ganhou um tom mais rouco, o que na música muitas vezes é apreciado, pois a voz parece mais “madura”.

Em outros casos, uma mudança na forma de cantar pode fazer parte do tratamento. Recentemente o treinador vocal do Red Velvet já revelou que na época do debut das meninas a Wendy desenvolveu nódulos vocais. Para ajudá-la, além de seguir o tratamento, ele sugeriu que Wendy mudasse o estilo que ela canta, de uma forma que assim passou a forçar menos as cordas vocais. Na mais recente situação, Kyuhyun, do Super Junior, teve que interromper suas atividades por um momento em agosto do ano passado, incluindo o musical Mozart e o programa Radio Star, para que pudesse descansar a voz e se recuperar.

 

Wendy no MV de debut do Red Velvet, Happiness

 

De doenças genéticas ao desenvolvimento de condições por serem cantores, o caso é que os idols não estão imunes de sofrerem por causa de sua saúde, pelo contrário, a rotina deles pode até ser propensa a causar mais inconvenientes do que o normal, mas sem esquecer que muitos casos também podem ser resultado do mero acaso. De qualquer forma, a saúde própria merece sempre atenção por parte dos idols o que, eventualmente, pode requerer uma pausa na carreira para ter cuidado maior, sendo sempre recompensados com um retorno cheio de saúde como os fãs desejam.

 

Por Paula Bastos Araripe
Fontes: koreaboo, amino, entnet, love-exo, allkpop, dkpopnews, blockbintl, weekly idol, minhavida, soompi, mednotes, inspirekpop, omonatheydidnt
Não retirar sem os devidos créditos.