[Entrevista]”Os membros do BTS possuem charmes únicos.” – Diz SungDeuk, coreógrafo do grupo

O BTS veio ao Brasil pela terceira vez para realizar dois shows nos dias 19 e 20 de março, reunindo mais de 14 mil pessoas no Citibank Hall em São Paulo. O Bangtan passa por uma onda de sucesso na Coreia e no mundo, alcançando ótimos resultados de vendas internacionais e promove sua turnê mundial intitulada “The Wings Tour”. Uma das características dos ídolos sul coreanos é a coreografia sincronizada e de alto nível de dificuldade, que conquista dançarinos e covers continente afora.

A KoreaIN teve a oportunidade de conversar com Son Sung Deuk, responsável pelas danças do grupo. A conferência aconteceu no Café Together, localizado no Bom Retiro, onde logo após um café, fomos recebidos pela presença do diretor de performance da Big Hit e coreógrafo do Bangtan Boys. Ele, sempre muito simpático, respondeu às perguntas da imprensa com bom humor e sinceridade, onde abordou tópicos sobre carreira, a paixão pela dança, e claro, o próprio BTS.

P – Qual foi a primeira coreografia que você desenvolveu e para quem foi?
SSD – Há algum tempo na Coreia, houve um “survival show” onde através de um campeonato, sairia um campeão. Um dos meus primeiros trabalhos foi fazer a coreografia de um grupo participante, chamado “Hakdong Club”.

P – Como é sua rotina de estudos quando você não está trabalhando em uma coreografia?
SSD – Eu tento descansar o máximo possível e tento viajar bastante. Como meu trabalho gasta muita energia, eu tento recarrega-la descansando, viajando e fazendo workshops.

K-IN – O que você toma de inspiração para suas coreografias?
SSD – Eu tento me inspirar nas coisas do cotidiano. Tento também expressar ao máximo o significado da música, por isso me concentro bastante na letra. Vou pensando nas imagens.

P- Quanto tempo você demora para criar as coreografias e quanto tempo os artistas demoram para conseguir memoriza-la?
SSD – Se é algo bem rápido, a curto prazo, é uma média de 2 à 3 dias. Se é algo mais trabalhoso, é de 1 à 2 meses. Dependendo do nível de dificuldade da coreografia, o tempo para criação varia. Antigamente os artistas demoravam mais para “pegar” os passos, mas agora eles são muito bons e demoram bem menos. Para memorizar todos os movimentos, demoram apenas alguns dias. Atualmente demoram menos de 1 mês para conseguir realizar as danças sem nenhum erro.

 

 

P- No BTS, os meninos, especialmente na dance line (J-Hope, Jungkook e Jimin), têm estilos de dança muito diferentes. Como você lida com essas diferenças. Você tem que aproveitar tudo que os meninos têm a oferecer nestes diferentes estilos?
SSD – Não apenas a dance line, mas todos os membros do grupo possuem charmes individuais únicos. Quando eu crio uma coreografia, penso em cada um deles para que fique algo melhor em conjunto. Algo que encaixe com cada um dos integrantes.

P – Você já assistiu algum cover das coreografias que você já criou?
SSD – Sim! Eu vejo bastante! Sempre tento procurar no youtube os covers dessas coreografias. Pelo que eu sei, há muitos covers ao redor do mundo, bem mais do que eu imaginava. Algumas pessoas são muito boas. As roupas, os movimentos das câmeras, tudo tem uma qualidade muito grande. Eu fico muito agradecido por isso.

P – O trabalho dos coreógrafos coreanos está se tornando cada vez mais conhecido com o público e os fãs acabam acompanhando para conhecer melhor o trabalho dos artistas. Quais os principais desafios que você vê nessa profissão?
SSD – As performances apresentadas pelos artistas estão ficando cada vez mais importantes, então as pessoas que gostam de dança estão se aproximando mais do meu trabalho. O maior desafio é deixar o artista mais brilhante durante uma apresentação. Temos sempre que estar usando a criatividade para criar uma coisa nova, mostrar algo diferente.

K-IN- Você acha que para dançar é necessário talento inato ou esforço contínuo? Qual é mais importante?
SSD – Acredito que o talento é necessário. Você não consegue ser um bom dançarino apenas com as práticas. Treinando muito, você consegue dançar bem, porém existe um limite. Para ultrapassar esse limite, é preciso talento.

P- Você se diverte dando workshops? O que te motivou a começar com essa prática?
SSD – Fazendo workshops, tenho muitas sensações. Para eu me recarregar para meu trabalho, preciso viajar muito e descansar bastante. Através dos workshops, tenho a oportunidade de encontrar muitas pessoas diferentes e recebo muita energia delas. Recebo convite de diferentes lugares no mundo, mas infelizmente não consigo aceitar todos. Tento ir onde posso para compartilhar esses momentos.

P- Quais dançarinos você admira e tem como inspiração?
SSD – Eu gosto muito de todos os coreógrafos ao redor do mundo que fazem um trabalho incrível. Gosto de todos, mas especialmente Michael Jackson. Sempre que faço uma coreografia, tenho na cabeça os movimentos dele.

Sung Deuk ministrou 5 workshops de dança em São Paulo e todas as classes com inscrições esgotadas. Com talento de sobra, mostra que o sucesso do BTS é uma soma de diversas características marcantes, sendo as coreografias um ponto chave para uma performance incrível.

Por Caroline Akioka
Não retirar sem os devidos créditos