Seolhyun (AOA) se envolve em controvérsia feminista e perde seguidores no instagram

Seolhyun, atriz e integrante do grupo feminino AOA, está em controvérsia sobre suposto comportamento feminista nas redes sociais. A cantora parou de seguir cerca de 50 contas no instagram, incluindo artistas como Onew, Yoo Byung Jae, IU e Yoo Ah In, que já tiveram escândalos ligados à atitudes anti feministas no passado. Ela começou a seguir a cantora Luna, que recentemente revelou apoiar o movimento.

O momento coincidiu com o caso de assédio da youtuber Yang Ye Won e com a postagem de Suzy na rede social. Seolhyun demonstrou apoio à Suzy e a youtuber curtindo a publicação e isso causou uma série de revoltas em comunidades masculinas online na Coreia.

Estão se espalhando notícias de que a integrante do AOA estaria interessada em feminismo, por causa de uma entrevista passada aonde ela afirmou:

Ultimamente estou interessada em assuntos sociais relacionados à mulheres. Ainda estou na fase de aprender e estudar.

Seolhyun não deu nenhuma declaração sobre seu ato estar ou não ligado ao movimento feminista, porém o tema está entre os mais buscados online. O assunto chama atenção dos internautas que se dividem entre apoiar a cantora, enquanto alguns revelam ter abandonado o fandom do girlgroup AOA e não seguir mais Seolhyun no instagram.

Por: Caroline Akioka
Fontes: X Sports News via Nate, Pann-Choa, Ddoboja, enews24 via Naver
Não retirar sem os devidos créditos.

  • Neyane Gonçalves

    Sinceramente considero isso uma bobagem, pois, se ela é feminista ou não isso não desrespeito a ninguém que não seja ela. Sou pro feminista, mas eu não me tornei um monstro, apenas considero que todos tem que ter direitos iguais, tanto homens como mulheres. Isso é uma coisa que não gosto na Coreia.

    • Renato Gaara

      “apenas considero que todos tem que ter direitos iguais, tanto homens como mulheres”

      Ou seja, vc não é feminista

      • Neyane Gonçalves

        Ser feminista não é querer que a mulher seja melhor de o homem, apenas que ela tenha direitos iguais.
        Feminismo é um conjunto de movimentos políticos, sociais, ideologias e filosofias que têm como objetivo comum: direitos equânimes (iguais) e uma vivência humana por meio do empoderamento feminino e da libertação de padrões patriarcais, baseados em normas de gênero. Talvez você me entenda agora.

        • Renato Gaara

          Querida Neyane, desde já peço desculpa pelo textão, mas vou explanar melhor meu posicionamento:

          O movimento feminista nasceu em um tempo diferente, onde ele era mais que necessário. Lutou por direitos básicos que eram negados às mulheres

          Com o tempo, no entanto, ele começou a ficar confuso. Os anos foram se passando, e as conquistas foram sendo atingidas. O voto, o direito a trabalho, educação, até mesmo o divórcio… a igualdade “jurídica” foi alcançada. O universo de “problemas” do feminismo foi diminuindo, mas o número de feministas só fez aumentar

          Esses grupos, cada vez maiores e mais heterogêneos, precisavam então fazer alguma coisa pra “sobreviver”. Eles começaram a inventar problemas, policiar piadas, tomar conta do que passa na televisão, de como as mulheres se vestem, etc…. As desigualdades JURÍDICAS foram se extinguindo, mas os tentáculos políticos do movimento só crescendo

          Aos poucos, o feminismo foi se tornou patético, onde questões sérias como o aborto e a condenação de vítimas de estupro se misturam a questões ridículas como protestos contra a agressão sofrida pela vilã da novela, e panfletos que defendem que “cantada de pedreiro” é estupro

          Eu poderia até conviver com isso, mas minha maior crítica, hoje em dia, mas o que mais me perturba é o quanto o movimento tem tomado ares de “religião”. Já tem seus próprios dogmas, suas próprias verdades inquestionável, seu próprio demônio (o “Patriarcado”), sua própria cartilha de certo e errado

          E o pior de tudo, tornou-se um movimento que não aceita críticas. Que ao menor sinal de que você não concorda com ABSOLUTAMENTE TUDO que eles fazem, você é imediatamente um agente do mal, um agente do patriarcado querendo oprimir as mulheres, estilo conto de terror p criancinhas..

          Acredito que existe, no papel, um “feminismo de verdade”, que é 100% justo, igualitário, etc. Talvez vc até seja uma dessas “feministas de verdade”. Mas seria hipocrisia, ou melhor, Falácia do Escocês, querer dizer que apenas essas são legítimas representantes do feminismo, que, por mais q vc negue, é HOJE um movimento em busca de privilégios(supremacista) e q espalha ódio aos homens

          • Neyane Gonçalves

            Realmente hoje em dia ser feminista se tornou algo extremista.

    • Carol Danvers

      Apoio, toda mulher tem que ser feminista :3 e não ‘extremista’ <3