Resenha: The Mimic traz suspense familiar e folclore aterrorizante para a Mostra de Cinema Coreano em São Paulo

Abalados pelo desaparecimento do filho Jun-Seo (Jung Ji-Hoo, que também esteve em Goblin), o casal Hee Yeon (Yum Jung-Ah) e Min Ho (Park Hyuk-Kwon) resolvem se mudar para Jangsan junto com a filha mais nova e a avó da garotinha (Heo Jin) na esperança que a senhora recupere a memória e consiga lembrar algo do dia do desaparecimento do garoto para, quem sabe, facilitar sua busca. Tudo parece ir bem até uma garotinha (Shin Rin-Ah) aparecer misteriosamente em sua porta.

A medida que Hee Yeon começa a se apegar à menina, a família e os arredores da casa começam a passar por acontecimentos misteriosos ligados à uma caverna da região que é famosa por ter sido ligada a vários casos passados de desaparecimento de pessoas. Com o passar do tempo, a harmonia da família é posta em cheque enquanto tentam decidir qual a melhor forma de lidar com a avó e a garota.

Classificado por alguns como um filme de terror, O Mímico não se atém somente ao sobrenatural, preferindo focar na figura de Hee Yeon e nos seus sentimentos como mãe. A história explora suas várias facetas, ora de mãe protetora ora de uma mãe cheia de dúvidas sobre o paradeiro do filho desaparecido. Apesar de possuir alguns furos de roteiro, que deixam pontas soltas na trama, o filme vai do desespero ao susto, passando pela raiva e de volta ao desespero em questão de minutos. Se os personagens não devem confiar no que escutam, os espectadores não devem confiar nos próprios sentimentos – pois não é possível saber se serão mantidos por muito tempo.

Figura tradicional na cultura coreana, o tigre é facilmente associado ao país e ao povo. Além de fazer parte da mitologia e folclore, ele também é amplamente representado em pinturas e esculturas já que, segundo a crença, o tigre branco é um espírito protetor e criatura sagrada. Tal importância pôde ser vista nos Jogos Olímpicos de Seul de 1988, no qual o tigre mascote Hodori representava o povo coreano. Em 2018, nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, foi a vez de Soohorang fazer o papel junto com o urso Bandabi.

Tais associações positivas, porém, não foram reproduzidas nas lendas urbanas de Seul, onde o sagrado animal é representado na lenda do Jangsanbeom. Também conhecido como Tigre de Jangsan – montanha perto da cidade de Busan – é descrito como uma grande criatura com duas fileiras de dentes pontiagudos e pêlos brancos por todo corpo que possui a capacidade de imitar a voz humana para atrair pessoas e devorá-las. Tal lenda serve como base para a história de O Mímico.

O Mímico será exibido durante a Mostra de Cinema Coreano nos dias 19 (às 19 horas) e 21 de junho (às 18 horas). O diretor do longa, Jung Huh, virá ao país para participar de um debate  logo após a exibição no dia 19, no qual também será exibido outro longa de sua autoria, Esconde Esconde.

Por: Greyce Oliveira
Não retirar sem os devidos créditos

O Portal KoreaIN é dedicado a divulgar todo tipo de informação e noticia sobre a Coreia do Sul e sua cultura.