Com público recorde, parada do orgulho LGBTQ+ luta por direitos na Coreia

No último dia primeiro de Junho, milhares de pessoas lotaram as ruas de Seul na parada do Orgulho LGBTQ+. Muitos demandavam uma modernização nas leis coreanas, visto que Taiwan legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em maio deste ano, sendo o primeiro país da Ásia a conseguir tal feito.

Imagem por Ed Jones / AFP

O evento, intitulado Seoul Queer Culture Festival, teve com um público recorde este ano, contando com uma média de 70 a 80 mil pessoas, segundo os organizadores do evento, que comemorava a sua vigésima edição. E como já era esperado, a parada também teve muitas celebrações, presenças importantes (como até mesmo o integrante do Highlight, Yoseob, que trabalhou como policial para a segurança do evento) e, claro, muito kpop.

2NE1, Blackpink, NCT, Mamamoo, Gain, Oh My Girl e Girls’ Generation foram apenas alguns dos nomes que embalaram a caminhada queer na capital Seul. Uma usuária do twitter compilou algumas das músicas de Kpop que tocaram durante a parada. Você pode ver no tweet abaixo:

Entre coreanos e pessoas que vieram de fora do país, a parada também teve muita diversidade. Era possível ver de pessoas simplesmente fantasiadas a lindas drag queens, os trios e carros da parada carregavam a multidão.

Veja um pouco das imagens capturadas pelo público da SQCF:

Ver essa foto no Instagram

Were you at the Seoul Queer Parade last weekend? The parade was part of the 20th annual Seoul Queer Culture Festival, along with a film festival, series of lectures and a special anniversary event, “Seoul Pink Dot”. Hope you had an awesome time in Seoul! 大家上週末有參加在首爾的酷兒遊行嗎?本次遊行和電影節、一系列演講及20週年紀念特備活動「首爾一點粉紅」共同組成,並於上月啟動為期兩星期的首爾酷兒文化節。希望你在首爾玩得盡興! Image from AFP #SeoulQueerCultureFestival #SQCF2019 #seoul#southkorea #SunprideFoundation #queer #LGBTQ #🌈 #🏳️‍🌈 #gay #lesbian#bisexual #transgender #loveislove #pride

Uma publicação compartilhada por Sunpride Foundation (@sunpridefoundation) em

Como nem tudo são flores, a parada deste ano também foi marcada por oposições de grupos conservadores que são contra as demonstrações de orgulho e o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Atualmente, não é crime ser homossexual na Coreia do Sul, mas também não existem leis que punem a discriminação. Uma parte considerável da população coreana ainda se refugia em ideias que vão contra a homossexualidade. Mas mesmo com os conflitos, a parada seguiu sem interrupções ou grandes problemas.

No fim, o som das vozes na vigésima parada do orgulho LGBTQ+ na Coreia ecoavam em uma sintonia: a Coreia do Sul ganha cada dia mais a atenção do mundo. A modernização e mudança de ideias ultrapassadas vão sendo superadas pelo amor e colocadas de lado. Em um movimento que começou há bons anos, com 50 pessoas, e hoje atrai mais de 70 mil, vemos o reflexo da mudança sob uma ótica única: o orgulho.

FONTES: Korea Herald, France 24, Euro News, Korea Times
Tradução e Adaptação: Jô Mesquita