Xia Peisu: a mãe da Ciência da Computação chinesa

Atualmente é inevitável não pensar na China quando o assunto é tecnologia. O país expandiu vertiginosamente sua capacidade de produção nos últimos anos e se tornou uma verdadeira potência. Grandes fabricantes como a Huawei e a Xiaomi contribuem imensamente com isso, transformando-se em exportadoras globais de produtos tecnológicos. Além disso, o modal de pagamentos baseado em QR Codes também contribuiu para tornar o país uma referência na criação e na implementação de processos eletrônicos.

Você já deve imaginar que muitos profissionais altamente capacitados trabalharam (e muito) para consolidar a China nesse mercado tão competitivo. Entre eles, uma mulher se destaca pela relevância: Xia Peisu. Nascida em 1923, Xia é oriunda de uma família de professores e já na juventude se destacou no aprendizado de Matemática e seguiu no caminho das exatas. Formou-se em Engenharia Elétrica, fez pós-graduação em Telecomunicações e se mudou para o Reino Unido para fazer o seu Doutorado, na mesma área da graduação. O contato com a realidade tecnológica na Europa a inspirou para trabalhar duro para que seu país de origem se tornasse mais comprometido nessas questões.

Xia Peisu fez farte da turma que fundou a Academia Chinesa de Ciências (CAS), instituição responsável pela criação do campo no estudo da Ciência da Computação na China. A missão de Xia era criar a grade curricular desta nova formação, com base nas disciplinas que já existiam em outras graduações, como Física, Engenharia e Matemática, além de dar treinamento aos primeiros estudantes. Nessa época, a CAS tirou bastante proveito da parceria e relações diplomáticas que existiam entre China e Rússia, absorvendo conhecimento dos cientistas russos que já eram experts no desenvolvimento de hardwares, ainda nos anos de 1950.

Na década seguinte, a relação entre Rússia e China já não era mais tão diplomática e os países retiraram seu apoio mútuo. Com isso, os chineses perderam contato com o restante do globo e seus avanços tecnológicos ficaram restritos ao país. A equipe da CAS seguia se dedicando a desenvolver seus próprios hardwares e adivinha quem deu o pontapé inicial para isso? Ela mesma, Xia Peisu! Foi a responsável pelo primeiro computador 100% projetado e construído na China, o Model 107. Além de participar da construção e da concepção do projeto, Xia foi a responsável por treinar os principais talentos do país e por incentivar a produção acadêmica, mas com o diferencial de sempre traduzir para o inglês as principais pesquisas.

Devido ao empenho de vários profissionais e o sucesso nos resultados, a área de Ciência da Computação acabou se consolidando de maneira inquestionável na China. Xia Peisu destacou-se não só pelo seu envolvimento nas pesquisas, mas também pelo esforço investido no incentivo para a criação de escolas que fossem mais focadas na disciplina, formando alunos que contribuíram para que o país chegasse ao patamar onde está nos dias atuais. Xia Peisu faleceu em 2014, mas sua história e seu legado são muito respeitados na China, por lá ela é conhecida como a Mãe da Computação. E mais do que isso: existe um prêmio com o seu nome para reconhecer cientistas e engenheiras cujo trabalho contribui com a sociedade positivamente.

Por Guilherme Rosa
Fonte: The BRIEF

Últimas notícias