Dossiê: Tudo o que sabemos sobre o atual estado do ditador Kim Jong-un

Divulgação

Longe da visão pública desde o dia 12 de abril, o líder da Coreia do Norte, que teria passado por uma cirurgia no sistema cardiovascular, vem sendo alvo de teorias relacionadas ao seu estado de saúde.

Em 21 de abril, o veículo de comunicação norte-americano CNN soltou uma bomba: Kim Jong-un – líder e atual presidente da Coreia do Norte – teria passado por uma cirurgia no sistema cardiovascular e estaria sofrendo com complicações durante a recuperação. Sem confirmações oficiais do governo totalitário e as declarações pouco esclarecedoras das nações mais próximas – Coreia do Sul e China -, uma infinidade de notícias foram divulgadas e desmentidas. 

Confira algumas das reviravoltas registradas até o momento e o que é certeza sobre o estado de saúde de Kim Jong-un:


21 de abril de 2020

Um dos primeiros veículos a noticiar o possível estado de saúde crítico de Kim Jong-un foi o Daily NK, portal administrado por desertores da Coreia do Norte. No dia 21 de abril, o site publicou uma reportagem, na qual uma fonte interna dizia que Kim Jong-un havia passado por uma cirurgia cardíaca no hospital particular da família Kim, em Hyangsan, estava enfrentando problemas durante a recuperação e se encontrava em estado grave, na vila particular da família, também localizada próximo ao Monte Mohyang, em Pyongyang. Indícios deixados ao longo dos dias anteriores foram trazidos a tona. O líder não havia comparecido a uma das festividades mais importantes da Coreia do Norte: no dia 15 de abril é celebrado o Dia do Sol, ou aniversário do nascimento de Kim Il-Sung, avô de Jong-un e o primeiro líder político do país, aquele que o fundou.

Kim Jong-un Rides White Horse to Sacred Mountain in North Korea

No mesmo dia, a CNN divulgou uma nota extensa anunciando ao grande público a cirurgia de Kim Jong-un e o possível estado grave no pós-cirúrgico. A publicação por um veículo maior tornou a notícia viral e em poucas horas diversos outros sites internacionais estavam noticiando o estado de saúde do líder norte-coreano. Com tanta repercussão, representantes da China e Coreia do Sul – respectivamente principal aliança política e nação mais próxima do país ao norte da península coreana – lançaram declarações alegando não haver qualquer indício de perigo ou movimentação estranha na Coreia do Norte, mas continuariam investigando e observando.


23 de Abril de 2020

Após as palavras dos jornalistas do Daily NK e CNN terem sido distorcidas em um telefone sem fio, motivado pela falta de declarações oficiais e informações confirmadas e, também, pela presença de ajuda médica externa, os boatos sobre a saúde de Kim Jong-un tomaram proporções maiores, até o TMZ (outro portal de notícias norte-americano) anunciar a possível morte do líder no dia 25 de abril.

Na notícia no portal – conhecido pelo seu apelo sensacionalista – lê-se:

“Em meio a relatórios sobre a China enviando uma equipe médica ao país comunista vizinho, visando examinar Kim, a diretora de um canal de notícias de Hong Kong – aparentemente sobrinha de um ministro de Relações Exteriores chinês – anunciou as novas: ele está morto”.

Coreia do Sul considera que Kim Jong-un está “vivo e de boa saúde ...

Após repercussão da publicação, a nota foi editada e um aviso foi adicionado alegando não haverem confirmações oficiais das informações. A mesma nota dizia que o líder norte-coreano teria ficado em estado vegetativo, até vir a perecer.

No dia 23 de abril, a agência de notícias Reuteurs divulgou que a China estava enviando uma comitiva médica à Coreia do Norte, desembarcando na tarde do mesmo dia, para auxiliar nos cuidados para com a saúde de Jong-un. Imagens do time de agentes de saúde saindo de vans aumentaram os rumores sobre a possível morte cerebral e estado vegetativo do líder norte-coreano. Apesar da credibilidade associada a agência, não houveram relatórios ou confirmações por parte de qualquer órgão chinês.

OS MELHORES PRODUTOS DE KPOP VOCÊ ENCONTRA AQUI!


26 de Abril de 2020

Durante conferência no dia 26 de abril, domingo, Kim Yeon-chul, do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, declarou que não há nada de incomum em relação à saúde de Kim Jong-un.

“Nosso governo reuniu informações o suficiente para dizer confiantemente que não tem nada fora do comum”.

Ele ainda criticou a imprecisão das informações divulgadas pelo Daily NK. De acordo com o ministro, o hospital creditado como local da cirurgia mal-sucedida de Jong-un é, na verdade, uma clínica de saúde comum e sem estrutura para grandes operações.

Outra declaração feita por Yeon-chul que gerou polêmica foi relacionada ao coronavírus. De acordo com o ministro, Kim Jong-un poderia estar escuso para evitar contrair o novo COVID-19, apesar da Coreia do Norte ter alegado não haver casos da doença no país.

“É verdade que ele nunca havia perdido a comemoração do aniversário de Kim Il-sung desde que chegou ao poder, mas muitos eventos de aniversário, incluindo celebrações e um banquete, foram cancelados por temor do coronavírus”.

A declaração de Kim Yeon-chul repercutiu e mais uma possibilidade tomou as manchetes.


27 de Abril de 2020

Em 27 de abril, o site 38 North – especializado em assuntos sobre a Coreia do Norte – divulgou imagens de satélite que mostram um trem parado nos trilhos do luxuoso Complexo de Wonsan, umas propriedade particulares da família Kim na costa litorânea, gravações anteriores indicavam que ele estava estacionado desde o dia 21. Especulações sobre a real localidade de Jong-un mudaram: o líder estaria em Wonsan, visto que o veículo “provavelmente pertence ao líder do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte”.

Crescem os rumores em torno da saúde de Kim Jong-un

A confusão trazida pelas imagens foi explicada pelo ex-diplomata da Coreia do Norte e, mais cedo em abril, eleito para o parlamento sul-coreano, Thae Yong-ho. O político revelou que para despistar e confundir a mídia e satélites norte-americanos, a mesma tática já foi usada diversas vezes. Segundo ele:

“O regime de Kim Jong-un faz atua com esse tipo de atividade, principalmente para enganar a opinião mundial e as imagens de satélites dos Estados Unidos.”

Ainda em conversa com a CNN, ele concluiu que muitas das informações espalhadas pela internet são falsas, pois poucos realmente sabem as condições nas quais se encontra o Kim, visto que seu paradeiro, sua rotina e saúde são assuntos de extremo sigilo.

O The New York Times pontuou que são raras declarações tão diretas e concisas da Coreia do Sul sobre a Coreia do Norte. O jornal relembrou que o governo – temendo abalar a relação frágil entre ambas nações – prefere manter a discrição , nunca afirmando nem negando nada relacionado ao país vizinho.

Ainda em 27 de abril, cerca de 6 dias após as primeiras notícias envolvendo a saúde de seu presidente, a Coreia do Norte se manifestou oficialmente. Um comunicado à imprensa publicado no principal veículo de comunicação do país, KCNA, publicou que o Kim Jong-un havia enviado uma carta assinada ao presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa. A autenticidade e autoria da carta não foram comprovadas, mas o conteúdo do texto ressaltava a importância da amizade entre as duas nações e disse que essa boa relação se expandiria e desenvolveria sem limites.

Próximo presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa precisará ...

A contínua falta de aparições públicas por parte de Kim Jong-un continua incendiando as especulações. Apesar de não ser a primeira vez em que o líder norte-coreano passa por um longo período longe das câmeras (em janeiro deste ano, Kim ficou 20 dias recluso), os constantes rumores relacionados a sua saúde e incertezas repercutem as mais diversas teorias, fotos antigas, montagens e um leque extenso de incredibilidade. A Coreia do Norte e seu regime são um dos mais fechados do planeta, é difícil saber o que acontece ou não lá dentro, visto que muitas informações internas chegam já censuradas para as mídias internacionais. 

Poucas figuras políticas fizeram declarações sobre Kim Jong-un. No entanto, o “aminimigo” do líder norte-coreano, Donald Trump – atual presidente dos Estados Unidos – falou ao jornalistas seu posicionamento. Em coletiva de imprensa, Trump disse não existir certezas sobre a saúde de Kim, mas afirmou: “Espero que esteja bem.”


02 de Maio de 2020

Na manhã do dia 02 de maio, na Coreia, a agência de notícias Yonhap lançou nota urgente, alegando que o líder norte coreano fez sua primeira aparição pública após 20 dias sumido, contradizendo todos os rumores sobre sua saúde, de acordo com a mídia estatal do país. Nenhuma imagem foi divulgada.

Kim teria participado de uma cerimônia de inauguração de uma fábrica de fertilizantes em Sunchon, província de Phyongan do Sul, segundo a mídia.

Isso marca a primeira atividade pública relatada desde que ele foi visto pela última vez em 11 de abril, presidindo uma reunião do bureau político do Partido dos Trabalhadores. Sua aparente ausência em eventos comemorativos aos 108 anos do falecido fundador e seu avô, Kim Il-sung, em 15 de abril, gerou especulações sobre sua saúde.

Até o fechamento deste dossiê, a Coreia do Norte não se manifestou oficialmente sobre o estado de saúde de Kim Jong-un. Continuaremos acompanhando o caso para maiores atualizações.

Fontes: 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7
Não retirar sem os devidos créditos