KPOPPERS e Tiktokers unem forças para estragar evento de Donald Trump

A corrida eleitoral para a eleições presidencial estado-unidense marcada para o dia 3 de novembro ganhou um capítulo inusitado semana passada. Nessa fase da campanha, os candidatos percorrem vários estados fazendo comícios para atrair eleitores. O então presidente e candidato à reeleição Donald Trump foi no último sábado (20) à Tulsa, no estado de Oklahoma, para seu primeiro comício do ano, e a promessa era que uma multidão compareceria ao evento.



Tal evento já estava cercado de polêmicas antes mesmo de acontecer. Primeiro por questões de saúde; devido à pandemia do novo coronavírus, não é prudente estimular aglomerações. Segundo por conta da localização. A cidade de Tulsa foi sede de um massacre racial ocorrido em 1921 e que deixou 300 mortos. O chamado Massacre de Tulsa – ou de Greenwood, referindo-se ao distrito onde ocorreu – foi ocasionado quando moradores brancos atacaram negros, bem como suas propriedades e comércios localizados na região. Por isso é considerado o pior incidente de violência racial da história do país. Justo na época em que o movimento Black Lives Matter vem ganhando forças e levando milhões às ruas em todo o mundo, escolher Tulsa como sede de um comício de um partido conservador foi visto por muitos como uma ofensa.

O que todos não contavam, porém, é que uma nova força fosse se juntar à equação para fazer com que o evento fosse um fracasso. Quando o evento foi anunciado no dia 11 de junho, os organizadores pediram que interessados em comparecer ao comício que fizessem um cadastro online para garantir seus ingressos.

O local escolhido, a arena BOK Center, tem capacidade para 19.000 pessoas e mais de um milhão de ingressos foram solicitados, mas apenas cerca de 6200 ingressos foram usados de fato por aqueles que compareceram ao comício. O motivo para tamanha desfasagem? Fãs de k-pop e tiktokers (como são chamados os usuários do aplicativo TikTok) reservaram ingressos para causar a falsa impressão que o comício seria lotado e não compareceram.



Os fãs de k-pop começaram a se mobilizar no Twitter, onde várias contas compartilharam a tática com seus respectivos seguidores. Pouco depois, milhares de vídeos começaram a ser espalhados no TikTok, convocando usuários do aplicativo a fazerem o mesmo.

O resultado não poderia ser diferente: milhares de cadeiras vazias no evento e milhares de manchetes sobre o ocorrido nos jornais de todo mundo, inclusive do Brasil.


OS MELHORES PRODUTOS DE K-POP VOCÊ ENCONTRA AQUI!

Foto de Doug Mills para o The New York Times.

Essa não foi a primeira vez que fãs de k-pop se mobilizam em causas sociais. Mês passado, a polícia de Dallas lançou um aplicativo para receber denúncias de ‘atividades ilegais’ durante o protesto do Black Lives Matter pela morte de George Floyd. Para proteger os manifestantes, fãs, então, enviaram milhares de vídeos de fancam e acabaram derrubando o aplicativo.

[LEIA MAIS] Fãs de KPOP derrubam app para proteger manifestantes do Black Lives Matter


E a internet? Não perdoou, obviamente:

https://twitter.com/bangtanpenguins/status/1274519812027281408

Comício de Trump versus turnê do BTS no Rose Bowl. Obrigada, fãs de k-pop e usuários do TikTok.

@bangtanpenguins

Fonte: (1), (2)
Fotos de Doug Mills.
Não retirar sem os devidos créditos.