Sera, Soyeon, Soyul e Gayoung desabafam na estreia de “Miss Back”

O primeiro episódio de Miss Back – programa que busca dar uma segunda chance à ex-idols – foi ao ar na quinta (8) e focou nas histórias de Sera (ex-9Muses), Soyeon (ex-T-ARA), Soyul (ex-Crayon Pop) e Gayoung (ex-STELLAR). As participantes abriram seus corações e falaram sobre tópicos como a vida de famosa e saúde mental.


Leia mais:
Miss Back: saiba mais sobre o TV show que dará segunda chance à cantoras




Sera foi a primeira. Ela contou: “Nós filmamos um documentário antes do nosso debut. Nele havia uma cena em que meu chefe me batia no rosto com um rolo de papel. Mesmo depois que saí do grupo, aquilo me seguiu por um longo tempo. As coisas mudaram muito agora, mas antes tínhamos que fazer tudo que nos mandavam. Usávamos cinta-liga na nossa primeira aparição. Foi a primeira vez que ouvi falar em cinta-liga. Eu não conseguia parar de chorar no banheiro. Não parava de chorar depois de ver eu e as meninas, que éramos alunas do ensino médio, usando aquilo. Uma hora depois, eu saí, filmamos por 10 minutos e depois voltamos. Depois eu fui demitida como líder.


Leia mais:
Ryu Sera sobre depressão e ser idol:“Você não pode passar por isso sozinho”


Ela ainda desabafou sobre sua saúde mental, informando que está tomando medicação para tratar sua depressão e síndrome do pânico. A apresentadora do programa, Baek Ji Young, se emocionou ao ver um clipe de Sera chorando enquanto editava um vídeo para seu canal no YouTube.



Soyeon se identificou com a história de Sera e disse: “Como mulher, você pode ficar machucada mentalmente quando se está em um grupo e trabalhando na indústria do entretenimento. Minha história também é parecida.

Ela continuou: “É a primeira vez que falo sobre isso. Começou quando meu grupo recebeu ódio por causa de um mal-entendido. Naquele tempo, eu tinha medo de ir ao hospital também. Estava preocupada que pudesse ser um mal-entendido, então não fui e suportei aquilo por alguns anos. Então foi muito difícil.

Após se abrir com sua mãe sobre isso, ela recebeu tratamento para distúrbio de ansiedade e depressão e diz estar melhor hoje em dia. Soyeon ainda compartilhou: “Espero que nos demos bem nesse programa e melhoremos.

Por último, disse à Sera: “Vamos ser amigas, temos a mesma idade.”




Depois foi a vez de Soyul. Refletindo sobre sua época no Crayon Pop, ela disse: “Às vezes tínhamos mais de 10 compromissos por dia. Lembro de ter vivido em uma van durante uma semana. Não podia lavar meus cabelos e escovava meus dentes lá mesmo.

Ela também confessou que não gostava das músicas do seu grupo: “Para ser honesta, as músicas do Crayon Pop não faziam muito do meu tipo. Eu odiava como minha voz soava quando eu a forçava para ficar diferente.

Soyul abandonou a carreira musical após casar com Moon Hee Jun (ex-H.O.T) em 2017 e tornar-se mãe, mas confessou que sente falta da música: “Mesmo depois de dar a luz à minha filha, sinto falta de performar. Há muitas integrantes de grupos femininos que continuam após os 30, mas não seria mais difícil já que sou casada e tenho uma filha? Achei que não conseguiria desapegar [do sonho de performar].

Mesmo sendo feliz, ela diz ainda sentir um vazio: “Eu despeguei de mim mesma. Vivi por três anos enquanto esquecia quem eu era. Queria tanto fazer música também.“. Soyul finalizou dizendo que Moon Hee Jun apoiou sua decisão de participar do programa e que estava indo para uma academia para praticar sua dança.



Por último, Gayoung falou sobre a sua época como integrante do STELLAR. Ela começou: “Pensei que seríamos um grupo como o Apink, com um conceito puro, mas não houve reação [do público].“. Com a mudança de imagem do grupo, o sucesso começou a vir, o que fez com que a gravadora forçasse coisas ainda mais provocativas.

Durante os preparativos para o lançamento de Vibrato, o grupo teve que usar um vestido curto e com uma grande fenda na lateral que era apenas preso por uma fina faixa. As integrantes disseram que não conseguiriam usar tal peça, mas a agência pediu para que experimentassem para um ensaio sob a promessa de que não seriam compartilhadas se o figurino parecesse muito atrevido. Mesmo havendo consenso entre grupo e empresa de que as fotos não estavam apropriadas, elas acabaram sendo divulgadas. O uso de roupas provocativas fez com que a cantora criasse um trauma, ela disse que prefere usar calças ou saias longas: “Odeio pessoas olhando para minhas pernas ou pele.Gayoung deixou o STELLAR em 2017 e o grupo anunciou disband no ano seguinte.

Ela revelou: “Há pessoas que me mandam fotos de suas partes íntimas nas redes sociais. Também recebo ofertas de patrocinadores com frequência.” O termo “patrocinadores” aqui é um eufemismo para pessoas ricas e influentes que pagam grandes quantias de dinheiro e financiam celebridades que fornecem favores sexuais.

A mãe de Gayoung também falou no programa e revelou que os conceitos sexy que a filha usava faziam seu coração doer. A cantora detalhou: “Quando as pessoas perguntavam a ela o que sua filha fazia e ela respondia que eu estava no STELLAR, essas pessoas buscavam por mim e perguntavam ‘Por que ela faz esse tipo de coisa?’ Eu lamentava muito isso.

No final do programa, Gayoung também disse que só recebeu a quantia de 10 milhões de won (aproximadamente R$50 mil reais) nos sete anos que esteve na agência. Baek Ji Young reagiu com raiva antes que o episódio fosse encerrado e o final da história ficasse para semana que vem.



A resposta da agência

Após a transmissão do programa, Choi Byung Min – chefe da The Entertainment Pascal, ex-agência do STELLAR – foi procurado pelo portal Star News para comentar o que havia sido dito no programa. De acordo com ele, as declarações de Gayoung foram praticamente difamações.

Sobre a questão do pagamento, ele explicou que o grupo foi pago mesmo antes de quitarem a dívida feita com a preparação pro debut e que o valor foi maior que o especificado no programa. Ele ainda revelou que Gayoung Jeonyul tinham débito no valor acima de 100 milhões de won, mas a agência assumiu a dívida.

Quanto ao conceito sexy, Choi explicou que, apesar do grupo ter seguido uma linha mais provocativa, essa era uma moda na época e que isso não foi feito desde o começo. Como o figurino era um assunto delicado, a gravadora pediu permissão aos pais das integrates e foram autorizados por estes.

Além disso, Choi também revelou que Gayoung fez propaganda de uma empresa de cosméticos e os promoveu em suas redes sociais sem aviso prévio, fazendo com que uma empresa concorrente processasse a gravadora e gerasse um prejuízo que quase a fez fechar as portas.

Em respostas às declarações de Choi Byung Min, Nam Sung Hyun – diretor do Miss Back – disse que o programa não tinha nenhuma declaração formal para fazer, mas que nada que Gayoung disse era mentira, apenas revelava suas perspectivas pessoais sobre o caso e que estas eram diferentes das do seu ex-chefe.

A continuação da história só será revelada no próximo episódio do programa, que irá ao ar semana que vem.

Fonte: (1), (2)
Fotos: Divulgação/MBN
Não retirar sem os devidos créditos.

Últimas notícias