Hyeme (ex-Black Swan) é acusada de fraude e diz que moverá ação judicial

Na última segunda-feira (9), um tabloide Dispatch publicou uma reportagem na qual um homem – identificado como “A” – denunciou Hyeme (ex-Black Swan) por fraude alegando tê-la emprestado 50 milhões de won (cerca de R$243 mil) e depois ignorá-lo para não pagar a quantia. De acordo com “A“, a quantia foi usada para entretenimento e encontros românticos.



Hyeme declarou que havia, sim, pedido um empréstimo para “A“, mas de um valor bem abaixo do que ele alega. Segundo a cantora, as outras alegações feitas pelo acusante eram falsas ou excessivamente exageradas.

A reportagem original da Dispatch dizia que ‘A’ e Hyeme se conheceram e começaram a ter contato pelas redes sociais em dezembro de 2018, após algum tempo interagindo, a cantora teria desabafado sobre dificuldades financeiras devido à problemas familiares, pedindo o empréstimo de 5 milhões de won (cerca de R$24.2 mil).

Ao longo do ano, ela supostamente teria pedido mais dinheiro, alguns depósitos para pagar o aluguel do “officetel” (uma espécie de estúdio, ou apartamento pequeno em um prédio comercial e residencial) em que a cantora morava. “A” teria emprestado um cartão de crédito no qual viu gastos descomunais com entretenimento, bebida e encontros, dos quais supostamente terminavam no officetel de Hyeme.

Ainda no texto contendo as alegações, “A” conta ter iniciado a conversa como fã, mas foi se envolvendo emocionalmente. Apesar disso, diz não ter tido quaisquer tipos de contato físico ou namoro com Hyeme. De acordo com o veículo de comunicação, ele tentou se comunicar com Hyeme em março de 2020, pedindo o pagamento do empréstimo inicial e recebendo uma confirmação de que teria o dinheiro de volta. Após não receber a quantia, ele teria ido ao officetel exigindo que se mudasse e devolvesse todo o montante gasto no aluguel.

Por fim, texto ainda alegava que Hyeme teria mudado o número de telefone e saído do apartamento, cortando qualquer contato com “A“.



Hyeme se defende

Na terça (10), a DR Music – empresa responsável por administrar a carreira do Black Swan – publicou uma nota à imprensa, na qual se referiu à Hyeme como “ex-Black Swan”, mas afirmou que em conjunto com a artista, irão mover ações legais contra o acusador “A“, por intimidação, assédio sexual e difamação por espalhar informações falsas sobre uma pessoa pública.

A declaração tem relatos e falas de Hyeme, nos quais conta que grande parte da quantia foi oferecida de livre e espontânea vontade por “A“, que chegou a visitá-la bêbado e fazer propostas sexuais, a deixando desconfortável e com medo.

A nota oficial da DR Music inicia dizendo que foram pegos de surpresa pelas acusações de fraude contra Hyeme, por isso conversaram com ela e descobriram que muitos dos acontecimentos noticiados por “A” foram distorcidos e extremamente exagerados. Através da declaração, a artista decidiu contar seu lado da história e pediu desculpa aos fãs.


“Primeiro, gostaria de pedir desculpas pelo desserviço à agência e fãs causados pelos meus atos descuidados. As notícias afirmam que nos conhecemos pelas redes sociais, mas a verdade é que ele foi uma pessoa que me deu muitos star balloons (doações em dinheiro feitas por fãs para acessar conteúdo exclusivo dos artistas preferidos) durante a minha época como BJ da AfreecaTV (Serviço de stream igual o Twitch), e como forma de agradecer o apoio, encontrei-me com ele.

No entanto, “A” veio até minha casa e, enquanto bebia, disse que queria ser meu namorado e fez pedidos abusivos, pedindo para transar comigo, então precisei evitá-lo. Fora os 5 milhões de won emprestados, a maior parte das coisas foram oferecidas voluntariamente por “A”, inclusive o cartão de crédito. Ele invadiu minha privacidade ao ir até minha casa sem aviso prévio, mas não concordei com seus pedidos sexuais. No entanto, sempre deixei clara minhas intenções de pagar pelos 5 milhões de won após novembro e evitei contato porque estava com medo, como uma mulher que vinha recebendo pedidos por sexo ou insinuações para nos encontrarmos.

Nunca cometi fraude ou o evitei com intenções perversas. Desde que nossas divulgações começaram não posso ‘desaparecer’. Revelarei todos os detalhes da verdade através das ações judiciais. Não gosto de como ele me descreveu como uma mulher estranha, dizendo que usava meu apartamento para encontros secretos com vários homens. Tenho testemunhas para provar que isso não é verdade.”


De acordo com a DR Music, o contrato de Hyeme com a empresa terminou em 7 de novembro. A cantora esteve sob a administração deles desde 2015, quando embarcou como membro do Rania, e posteriormente participando do debut e divulgações do Black Swan. A companhia também disse que por não ter mais qualquer conexão contratual com a artista, não precisaria responder pelas alegações, por serem de cunho pessoal, mas a ajudarão ativamente com todas as ações judiciais. 

Além de auxiliar Hyeme em seu processo judicial, a empresa também irá processar “A” e o tablóide por publicar informações inautênticas e difamação, alegando que as acusações tiveram um impacto negativo na carreira do próprio grupo Black Swan e suas promoções planejadas para o mês de novembro.

A empresa anunciou que irá suspender temporariamente as atividades do Black Swan a partir de 11 de novembro. O grupo deverá continuar como um quarteto com Youngheun, Judy, Fatou e Leia.

Fontes: (1), (2)
Foto: DR Music – Reprodução
Não retirar sem os devidos créditos.