Culinária

5 MENTIRAS sobre a Coreia do Sul

Conhecer uma nova cultura, traz junto várias dúvidas sobre aspectos do povo em questão. O trabalho da KoreaIN é também poder explicar e desmistificar a cultura coreana.
Selecionamos para explicar a vocês 5 mitos da culinária coreana que tem gerado bastante discussão recentemente nas redes sociais. Confira:

01 – Suco de Larva – MENTIRA

Os pequenos flocos brancos boiando na água são: ARROZ!
É até bastante comum você ver em restaurantes e barracas de comida de rua, o Sikhye, que é nada mais que um “suco de arroz”.
Essa bebida adocicada, é uma das mais populares da Coreia. Trata-se de um chá tradicional, muito consumido em feriados festivos.

02 – Todo restaurante tem panelas ao ar livre – MENTIRA

Apenas alguns restaurantes, que fazem pratos que necessitam de forno à lenha ou assados na brasa, que possuem estruturas para panelas ao ar livre.
A grande maioria dos restaurantes em Seul e outras grande cidades do país, por exemplo, possuem uma cozinha industrial semelhante às ocidentais.

03 – Todos os coreanos comem Carne de Cachorro – MENTIRA

Por mais que o consumo da carne de cachorro ainda aconteça na Coreia do Sul, assim como em boa parte da China, apenas as mais antigas gerações mantém o hábito.
O consumo não é algo comum e existem restaurantes especializados na carne. Praticamente nenhum restaurante dos centros de Seul e outras grandes cidades da Coreia, comercializam carne de cachorro.

Além disso, as mais recentes gerações de coreanos não se interessam pela carne de cachorro, inúmeros movimentos e protestos contra a comercialização desse tipo de carne tem se tornado populares nos últimos 10 anos.

04 – Coreanos só comem polvo e lula – MENTIRA

Ainda que os coreanos consumam bastante frutos do mar, a dieta coreana é bastante rica e variada.
As refeições diárias são compostas por diversas folhas, vegetais e oleaginosas (amendoim, gergelim, alface, nabo, acelga, pepino, broto de feijão e outros).
Esses alimentos são acompanhamentos para arroz, macarrão, carne suína, bovina (ainda que seja bastante cara), aves, ovos e outros.

05 – Não tem variedade de comida para estrangeiros – MENTIRA

Muitos estrangeiros acham que estando na Coreia, não terão opções de alimentação. Acontece que a própria culinária coreana atende diversos paladares, além da culinária ocidental que se uniu a tradicional.

Os restaurantes coreanos oferecem um mix de pratos feitos com frango cozido e frito, peixes, salcishas, macarrão, carne suína e bovina, além das opções vegetarianas.
Mesmo boa parte dos pratos tradicionais sendo bastante apimentados, existem várias opções de comidas sem nenhum tipo de pimenta.

Indicamos para os que não queiram aventurar tanto, os seguintes pratos:

  • Kimbap
  • Bibimbap
  • Dakgangjeong
  • Hoteok
  • Bulgogi
  • Dakgalbi
  • Samgyeopsal
  • Mandu
  • Todos os tipos de espaguetti.

Por Naira Nunes
Fonte: My Korean Kitchen, SBS/Dateline, Revista KoreaIN
Não retirar sem os devidos créditos.

7 comidas COREANAS que você PRECISA experimentar

Para experimentar uma cultura totalmente não basta conhecer a música, o idioma e sua história. É preciso prová-la por completo, e isso inclui a culinária. A coreia do sul possui pratos muito tradicionais, que permanecem por gerações. Alguns são bem diferentes dos nossos costumes, mas todos são ricos em sabor.

Para conhecer um pouco mais e te deixamos com água na boca, conheça as principais comidas coreanas que você PRECISA experimentar.

 

Kimchi

Este sem dúvidas é o prato coreano mais conhecido por estrangeiros. É um dos primeiros que se conhece quando se entra em contato com a cultura coreana e isso não é à toa: coreano come Kimchi em qualquer ocasião. Sério, pode ser jantar, café da manhã, no lanche, não existem limites. O Kimchi é normalmebte uma conserva de acelga fermentada (mas pode ser feita com vários outros tipos de vegetais)e bem temperada, geralmente com pimenta, alho e gengibre, além de incrementada com ingredientes como rabanete ou molho de peixe. Ele pode ser comido sozinho, mas é tipicamente usado como acompanhamento de refeições maiores, por isso é tão versátil.

 

Bibimbap

Outro clássico que muitos já devem ter visto nos k-dramas e reality shows, é o Bibimbap. Esse prato completo é bem literal, afinal seu nome significa “arroz/comida mesclada”. Ele mistura legumes e carnes bem variadas em cima do arroz, completados com um ovo frito, pasta de pimenta e óleo de gergelim. Ele é servido em uma vasilha de pedra quente, para manter a temperatura durante toda a refeição. O melhor jeito de comer essa refeição é misturando todos os ingredientes para juntar tudo numa bagunça deliciosa.

 

Bulgogi

Para quem gosta de carne, esse é o seu prato. O principal ingrediente é a carne bovina, fatiada, marinada em temperos, como alho, molho de soja e gengibre, e grelhada até ficar apetitosa. É a forma mais tradicional de preparo de carne bovina, por isso é também comum ser usada para sanduíches, além de ser indispensável em um churrasco coreano, aqueles feitos em uma chapa, na hora, na própria mesa.

 

Tteokbokki

Essa comida versátil é muito vendida em barraquinhas de rua, o que torna um dos alimentos típicos mais fáceis, acessível e baratos de experimentar. Mas não se engane, a porção parece pequena, mas o tempero é potente. Trata-se de um bolinho feito com massa de arroz em formato cilíndrico, mergulhado em um molho apimentado bem forte. É uma refeição mais simples e rápida para um dia corrido na Coreia.

 

Dak Galbi

Voltando para as proteínas, um típico prato da culinária coreana usando frango é o Dak Galbi. É basicamente um frango frito desossado picante, acompanhado de batata doce e vegetais variados. Tudo banhado em um molho picante, e constantemente acompanhado também do Tteokbokki. Normalmente é um prato bem encorpado, com muito frango, para satisfazer qualquer fome. Assim como o bulgogi e o sangyeopsal, ele é feito numa chapa em cima da mesa, e quando você estiver finalizando o frango, é acrescentado bastante arroz com alga picada, gergelim e queijo. E então você poderá continuar comendo por mais um bom tempo.

 

Samgyeopsal

O Samgyeopsal é um prato feito com barriga de porco sem pele (existe a versão com pele também, com o nome de Ogyeopsal). A carne é cortada em tiras finais, para facilitar na hora de comer, e grelhada numa chapa para ficar com uma casca crocante. Ele é acompanhado alface, cebolinha, broto de feijão e pedaços de alho, além de outros ingredientes a gosto, e é servido com um molho feito de uma mistura de pasta de soja e óleo de gergelim. Pode comer direto no prato, mas o mais comum é preparar na “mão”, usando uma folha de alface de base, botando a carne e os acompanhamentos sobre ela e fechando em um “pacotinho” que vai direto na boca, tudo de uma vez.

 

Jjajjangmyun

Indo para as massas, o Jjajjangmyun é um macarrão acompanhado de pasta de feijão preto e carne de porco. É uma herança direta da culinária chinesa, mas ganhou identidade própria na Coreia. O que antes era um prato mais comemorativo, hoje se tornou bem simples e popular. Não a toa, é uma das opções prediletas de entregas a domicílio. E uma curiosidade: por ser o prato preferido dos caseiros, que não querem sair para comer e normalmente estão sozinhos, acabou sendo associado como o prato oficial dos solteiros no Dia dos Solteiros, em 14 de abril (Black Day).

 

Tem interesse na culinária coreana? No próximo dia 15 e 16 você poderá assistir ao 1º Concurso de Gastronomia Coreana, realizado pelo Centro Cultural Coreano de São Paulo, dentro do HALLYU EXPO 2018. Dois times irão disputar o melhor cozinheiro de comida coreana e busca de uma prêmio em dinheiro e viagem para a Coreia do Sul.

Você pode participar do Hallyu Expo 2018 se inscrevendo aqui: https://www.eventbrite.com.br/e/brasil-hallyu-expo-2018-tickets-49559361384 Além do concurso, você poderá ver o boygroup IMFACT ao vivo, conhecer mais sobre a cultura coreana, visitar stand variados (inclusive o da KoreaIN) e tudo de graça!

 

SERVIÇO

Data: 15 e 16 de setembro
Local: Expo Center Norte (Pavilhão Amarelo) – R. José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme.
Realização: Centro Cultural Coreano no Brasil – Alameda Barros, 192, Santa Cecília, SP, Brasil

Mais informações: (11) 2893-1098 / programas@kccbrasil.com

 

 

Por Paula Bastos Araripe
Fontes: Huffpost Brasil, Koreapost, Paladar Estadão, Gilded Gingerbread, Colecionando carimbos, Guia do nômade digital, Maangchi, Korean Bapsang, Wikipedia, Amino.
Não retirar sem os devidos crédito
s

10 KPOP IDOLS que ARRASAM na COZINHA

Se nós somos o que comemos, bem que poderíamos ser uma acelga fermentada maravilhosa, ou o popular kimchi. Não precisa estar há muito tempo no KPOP para já ter ouvido falar da culinária coreana e ter babado horrores vendo os oppas, noonas e unnies comendo aqueles pratos coloridos e suculentos.

Aproveitando a semana em que o evento de Culinária Coreana acontece em São Paulo, entre os dias 15 e 16 de setembro, listamos para vocês alguns kpop idols que são tão talentosos na cozinha quanto nos palcos.

VEJA TAMBÉM: Masterchef coreano? Participe do 1º CONCURSO DE GASTRONOMIA COREANA!

 

Fei – Miss A

Fei é a kpop idol-chef mais reconhecida na indústria e uma das que mais dominam a arte culinária entre todos dessa lista. Ela foi a ganhadora do 1º lugar no MasterChef Korea: Celebrity (uma versão do MasterChef, voltado para celebridades). Fei já apareceu em vários programas de culinária e sua comida é elogiada por muitos chefs coreanos renomados.

 

Jin – BTS

Um dos talentos do Seokjin, do BTS, muito conhecido entre as armys é: cozinhar bem. Ele é um dos responsáveis pela alimentação no dormitório. Desde o debut do grupo, o mais velho entre os sete, também transmite o momento das refeições online, no quadro “Eat Jin”, que era publicado no canal BANGTANTV e agora no VLIVE do grupo. Ele gosta de compartilhar com suas fãs um dos melhores momentos do dia: a hora de comer! Como se não bastasse, o Jin ainda mantinha um diário de receita com as armys! (Pena que ultimamente ele anda tendo muito tempo). O k-idol também já participou de alguns programas coreanos onde mostrou seus dotes culinários.

 

O video é antigo, mas nada como ver essa união do BTS desde o debut.

 

Taeyang – BIGBANG

O vocalista principal do BIGBANG está nessa lista por ter mencionado várias vezes sua paixão pela cozinha. Inclusive em sua participação no programa I Live Alone, ele chegou a mostrar seus dotes. Na verdade, ele prefere comer a cozinhar, mas por gostar de comidas boas, ele aprendeu a cozinhar – já que os outros membros do BIGBANG não são lá muito bons na cozinha, tanto quanto no palco. Uma curiosidade, nós, pobres mortais, somos viciados em séries, já o Taeyang é viciado em programas de culinária. Prioridades né mores?

 

Wendy – RED VELVET

Para os reveluvs, fãs do Red Velvet, não deve ser nenhuma novidade, mas talvez nem todos saibam do talento da Wendy na cozinha. Acredito que a Wendy não poderia estar num grupo com nome melhor que o de um bolo, uma das especialidades dela. Ela adora fazer guloseimas para seus amigos. Wendy é conhecida por frequentemente fazer “mimos” para seus staffs e gerentes que trabalham com ela e o grupo.

 

Key – SHINee

Key, apesar de se virar muito que bem na cozinha, não mostra tanto esse seu talento. Entretanto, já participou de alguns programas em que pôde exibir um pouquinho desse seu lado. Um bom exemplo foi sua participação no programa “Made to Order“, onde ele mostrou suas habilidades e técnicas culinárias fazendo uma caixa de bentô, uma marmita japonesa tradicional.

 

Yook Sungjae – BTOB

Além de cantar, dançar e atuar muito bem, o Sungjae também coloca vários homens no chinelo com suas habilidades na cozinha. A prova do talento dele e do sabor do “tômpero”, como diz o chef do Jaquin do MasterChef Brasil, é que ele conseguiu o 3º lugar no programa culinário Idol Chef King.

 

Hyerin – EXID

Hyerin é a integrante que melhor cozinha entre as cinco do grupo. Ela inclusive participou do programa Idol Chef King, junto com a Solji, e mostrou uma diversidade de pratos coreanos típicos que sabe fazer.

 

MinGyu – SEVENTEEN

Durante o programa “Seventeen’s One Fine Day“, Mingyu mostrou a todos que sabe bem o que fazer na cozinha. Ele cozinhou galinha fresca, cortou, limpou e preparou peixe, fez arroz, jjajang e tantas outras coisas que acabou ganhando o apelido de “MingJooBoo”, ou Dona de Casa Ming.

 

Henry Lau – ex- Super Junior

Como se não bastasse o Henry tocar piano, violino, cantar e dançar muito bem, ele ainda é aprendiz de um famoso chef coreano. Quem diria que o papel em um filme iria despertar nele a paixão por cozinhar? Sim! Ele começou a receber aulas de gastronomia por causa de um papel em um filme, mas acabou se apaixonando pela arte da cozinha. E nós? babamos, claro.

 

YoonA – SNSD

Além de visual na nação, YoonA é a integrante que mais se interessa por cozinhar entre todas do Girls ‘Generation. Mesmo que seja só um hobbie, a YoonA tem postura igual a de uma chef num programa profissional de culinária no vídeo abaixo. Rainha versátil, né mores?

 

Você também pode mostrar seus talentos na cozinha e ainda ganhar uma viagem pra Coreia! O 1º Concurso de Gastronomia Coreana é realizado pelo Centro Cultural Coreano de São Paulo entre os dias 15 e 16 de setembro e é voltado tanto para amadores quanto para profissionais, com direito à premiação! Corre para fazer sua inscrição, porque vai até dia 11 de setembro. Clica aqui para regulamento e inscrição: http://revistakoreain.com.br/2018/08/masterchef-coreano-participe-do-1o-concurso-de-gastronomia-coreana/

 

SERVIÇO

Data: 15 e 16 de setembro
Local: Expo Center Norte (Pavilhão Amarelo) – R. José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme.
Horário: A definir.
Realização: Centro Cultural Coreano no Brasil – Alameda Barros, 192, Santa Cecília, SP, Brasil

Mais informações: Tel (11) 2893-1098 / programas@kccbrasil.com

 

Izabely Albuquerque
Não retirar sem os devidos créditos.

Masterchef coreano? Participe do 1º CONCURSO DE GASTRONOMIA COREANA!

A culinária coreana é rica em sabores que agradam ao paladar do brasileiro, ou de qualquer pessoa que um dia resolva experimentar. Algumas pessoas até arriscam cozinhar um prato aqui e outro ali, e é por isso que o Centro Cultural Coreano de São Paulo realiza em Setembro o 1º Concurso de Gastronomia Coreana”.

O concurso, que será dividido em dois grupos, o grupo A para amadores e o B para profissionais, quer testar as habilidades dos brasileiros com a cozinha coreana. As provas têm início na segunda semana de setembro, mas as inscrições já estão abertas! Para participar é preciso ser maior de dezoito anos e ter nacionalidade brasileira (não pode ter nacionalidade coreana). No caso dos profissionais, é preciso apresentar um documento que comprove a experiência de pelo menos 1 anos em culinária.

Tanto os participantes do grupo A, quanto do grupo B deverão preparar um prato coreano famoso, como por exemplo: bibimbap, bulgogui, japtche ou até mesmo escolher outro prato que mais agrade. Não existe limitação de ingredientes e poderá ser usado componentes brasileiros. O tempo de preparo máximo é de 50 minutos.

A primeira fase do concurso é eliminatória, os interessados devem enviar sua inscrição por e-mail e esta será julgada; a lista de participantes será divulgada no dia 11 de setembro. Os selecionados na categoria amador realizarão a prova no dia 15 de setembro, e os da categoria profissionais no dia 16 de setembro.

 

INSCRIÇÕES

Para participar do concurso é preciso realizar a inscrição via e-mail, que deve conter em anexo o formulário de inscrição para o concurso e uma foto do prato que será preparado no dia. Além disso no assunto do e-mail deve conter o nome do concurso,  a categoria que o participante irá concorrer e o nome do participante, como por exemplo: “Concurso de Gastronomia Coreana/Amador/Nome do Participante”  ou “Concurso de Gastronomia Coreana/ Profissional/Nome do Participante”.

O e-mail de inscrição deve ser enviado para eventos@kccbrazil.com.br.

O formulário de inscrição está disponível no site do Centro Cultural (http://brazil.korean-culture.org/pt/438/board/183/read/91694).

 

PREMIAÇÃO

Na categoria amadores, haverá prêmio para 1º, 2º e 3º lugar, enquanto na categoria profissionais somente o 1º e o 2º lugar recebem prêmios.

 

Prêmios (amadores)

1º lugar – R$ 1.200,00 + passagem aérea para a Coreia do Sul

2º lugar – R$ 1.000,00

3º lugar – R$ 800,00

Prêmios (profissionais)

1º lugar – R$ 2.000,00

2º lugar – R$ 1.200,00

 

Além disso, o 1º lugar do grupo A também ganhará uma passagem para a Coreia do Sul, onde participará do “Concurso Mundial de Culinária Coreana” e do “Programa da Cultura Coreana”. E o vencedor do 1º lugar do grupo B poderá participar de uma aula especial de culinária coreana no Centro Cultural Coreano.

 

SERVIÇO

Data: 15 e 16 de setembro
Local: Expo Center Norte (Pavilhão Amarelo) – R. José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme.
Horário: A definir.
Realização: Centro Cultural Coreano no Brasil – Alameda Barros, 192, Santa Cecília, SP, Brasil

Mais informações: Tel (11) 2893-1098 / programas@kccbrasil.com

http://brazil.korean-culture.org/pt/438/board/183/read/91694#sthash.nqtPukFP.dpuf

Por Isabela Marques
Fonte: Centro Cultural Coreano do Brasil
Não retirar sem os créditos.

Alguns restaurantes coreanos estão usando insetos em suas receitas

O uso de insetos em pratos tem ficado popular na Coreia do Sul e você provavelmente não saberia se não te informassem. Enquanto alguns colocam kimchi apimentado e carnes grelhadas como principais comidas coreanas, os insetos vem ganhando muita popularidade como um ingrediente de diferencial nos pratos.

Comer e colocar insetos em comidas não é nenhuma novidade, mas essa nova onda tem influenciado até a TV, aonde alguns shows coreanos como o Law of the Jungle mostram as celebridades (que participam do programa) comendo insetos no meio da floresta.

Dongwoo não está certo sobre comer insetos no Law of the Jungle.

Uma boa parte dos restaurantes coreanos decidiram se jogar nessa nova tendência e incorporaram insetos em seus menus. Um deles, o Global Food, ficou famoso por seu sundae de salsicha feito com farinha de minhoca. A cabeça por trás dessa iguaria, Park Nam Gyu, disse que incorporar insetos ao seus pratos é prover uma alimentação mais rica para os consumidores. A farinha de minhoca, por exemplo, contém proteína e gordura insaturada.

Esta sopa feita com farinha de minhoca na verdade tem uma sabor incrível!

Outro restaurante, o Chorok Maru, aderiu a tendência e lançará em seu cardápio biscoitos amanteigados que também têm farinha de minhoca. De acordo com Jeong Jong Wha, um pesquisador da empresa, eles querem que o consumidor tenha uma refeição saborosa e saudável.

 

Por Yasmin Marcondes
Fonte: Koreaboo + Koreatimes
Não retirar sem os devidos créditos

Conheça o “Bubble Tea” – o chá com bolinhas que conquistou a Coreia do Sul

Você já conhece o bubble tea? Saiba mais da bebida favorita dos meninos do EXO!

Esqueça aquela ideia de chá quente e amargo que você conhece: o bubble tea vai te surpreender! Com receita originária de Taiwan, desde os anos 80, é também chamado de “pearl tea, pois consiste em chás misturados à frutas, leite ou xaropes e o principal: bolinhas de tapioca. Nos últimos anos o drink vem se popularizado em outras regiões como Estados Unidos, Europa, Coreia do Sul e até Brasil.

Em seu local de origem, o bubble tea é tão famoso que pode ser encontrado em bancas de comida de rua e cafés. Sua popularidade é equivalente à do brigadeiro no Brasil. As bolinhas, também chamadas de “pobá”, fazem do “tomar chá”, uma experiência única, onde você pode provar diferentes opções de bebidas (podendo ser doces, amargos, com leite ou com Yakult) e ao mesmo tempo, experimentar as mastigáveis “black pearls”, tornando a bebida irresistível e viciante.

Não é novidade para o fandom, mas Sehun, o lorde do EXO, é um dos apaixonados pelo drink e ajudou a popularizar o chá na Coreia e entre os EXO-L.

“Recentemente na Coreia, teve uma moda de beber bubble tea. Não seria exagero dizer que eu fui o precursor.”

Confira mais alguns artistas que já declararam seu amor ao bubble tea:

4Minute

 

Yoona (SNSD)

 

SungMin (Super Junior)

Aqui no Brasil ainda temos poucas opções de locais que servem a bebida, mas em São Paulo você pode encontrar o bubble tea original taiwanês pelas ruas da Liberdade, no Tea Station.


Se pobá não é a sua cara, a loja oferece outras opções de toppings mastigáveis como coco, lichia, gelatina de ervas ou pudim. É um “MUST-GO” aqui em São Paulo.

TEA STATION
Rua da Glória, 283 – Liberdade – São Paulo
Terça a sábado: 11:00 às 18:30
Domingo: 11:00 às 18:00

Por Caroline Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.

Coreia: Por que os palitinhos de metal?

A Coreia é o único país no mundo a usar palitinhos de metal. Outros países, incluindo a China, Japão, Tailândia e Indonésia, usam os que são feitos de madeira ou bambu. Além do metal, eles também têm uma forma mais plana, quadrada e um comprimento médio se comparado com o que se pode encontrar em outros lugares.

Os palitinhos na Coreia são 젓가락, ou ‘Cheot-garak’. Em uma típica refeição coreana é utilizado um par de palitos de metal e uma colher larga, também de metal, eles sempre ficam ao lado da mão direita. Para tornar os alimentos mais fáceis de pegar usando os palitos, você pode encontrar em muitos restaurantes familiares onde intencionalmente os desgastam e riscam com a finalidade torná-los mais ásperos.

Muitas vezes, as extremidades são ricamente decoradas com esculturas coreanas tradicionais, como a de uma garça-real.

Fonte da imagem: http://blog.everythingchopsticks.com

 

Fonte da Imagem: http://seriouseats.com
Image source: http://seriouseats.com

 

Os palitinhos de metal atualmente são feitos de ferro. Em épocas passadas, este tipo era usado somente por famílias importantes ou em ocasiões especiais, eram fabricados com ouro, prata ou bronze. Então, se você for recebido para comer na casa de uma família coreana, com um par de palitinhos feitos de metal precioso, saiba que você deve ser um convidado muito especial!

 

Fonte da Imagem: http://koreasnbymalaysia.com
Image source: http://koreasnbymalaysia.com

 

Mas por que a Coreia desenvolveu uma tradição de usar palitinhos de metal? Uma das principais teorias é que a família real durante o período Baekje usavam palitinhos de prata como uma forma de proteção contra o envenenamento. Dessa maneira, a prata mudaria de cor quando em contato com veneno. É dito também que as pessoas comuns começaram a usa-los como um jeito de emular o Rei.

(Antigos palitinhos coreanos feitos de bronze) Image source: traveltoeat.com
(Antigos palitinhos coreanos feitos de bronze) Fonte da imagem: traveltoeat.com

Outras teorias afirmam que, por conta dos coreanos usarem a colher para comer o arroz (ao contrário de outros países asiáticos), não seria mais necessário o uso dos mais pegajosos, palitinhos de madeira. Acredita-se geralmente na Coreia, que os palitinhos de metal também são mais higiênicos do que os de madeira.

Nas tardes, os tradicionais restaurantes coreanos têm um “tempo livre” entre o almoço e o jantar. Durante este tempo, os palitinhos são postos em uma grande tigela com água fervente para que sejam esterilizados. Após isso, são colocados em pacotes individuais ou seguradores. Hoje em dia, muitos restaurantes preferem armazena-los em uma unidade de esterilização elétrica.

Image source: http://busan.for91days.com
Fonte da imagem: http://busan.for91days.com

Entretanto, palitinhos feitos de metal são mais pesados, e muitas vezes mais difíceis de manusear. Mas, são mais fáceis de limpar e muito melhor para o meio-ambiente do que as variedades descartáveis!

Eles também podem vir em, muito úteis, garrafas de Soju, que podem ser usados como duplas de instrumentos de percussão.

A CEO do Gastro Tour Seoul, Veronica Kang, é dona do blog que se chamava ‘Heavy Metal Chopstick’ –  um cumprimento à tradição única da Coreia! Aos que falam coreano, podem dar uma olhada no blog que agora se chama 편식주의자’ (ou ‘Uma ideologista viciada em comida’), aqui.

Por Giovanna Akioka
Fonte: GastroTourSeoul 
Não retirar sem devidos créditos

[Melhores K-Cafés] Um lugar onde o cocô faz parte do cardápio

Todo mundo faz cocô, mas quem iria imaginar que isso seria o tema principal de um restaurante?!
Não, o café não é feito de cocô. Os formatos das louças, entretanto, lembram alguns apetrechos utilizados nos toaletes. A decoração do café é totalmente dedicada ao COCÔ!
O restaurante fica próximo ao Gyeongbokgung Palace. Do lado de fora o lugar não parece diferente dos outros, as vidraças têm desenhos dos 12 signos do zodíaco e um letreiro escrito 또옹카페 Cafe (Ddo-ong Café), traduzindo para o português Café do Cocô.
 
[Fotos: Seoul Searching]
 
A mobília do lugar é bem simples: composta por mesas de madeira e cadeiras diferentes, passa uma sensação de contato com a natureza, relaxado e casual. O segredo ali é se apegar aos detalhes da Coffee Shop. Sutilmente, é possível encontrar pequenos desenhos com carinhas, miniaturas de jardinagem cultivadas em vasos sanitários, almofadas e xícaras de porcelana com desenhos e mensagens que chegam a serem fofos!
 
 
E as comidinhas?! O cardápio do café consiste em bebidas frias, cafés e cappuchinos, croissants, bolinhos, etc; não sai muito do básico. O diferencial mesmo são os formatos e como elas são apresentadas em mini-vasos sanitários, um mais delicado que o outro. Os preços podem variar entre ₩800 (R$2,60) até ₩7.000 (R$23,30).
  
 [Photo: Seoul Searching]

 

Se um dia você estiver passeando na Coréia e quiser conhecer um lugar único e bem diferente, vale a pena dar uma conferida:
 
Nome: 또옹카페 (Ddo-ong Cafe)
Local:  인사동 (Insadong), localizado no 4°andar do Shopping Ssamziegil
Horário de Funcionamento: das 10 as 21 horas
 
Por Giovanna Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.