Tradições

[#Evento] Espetáculo de DANÇA COREANA, Pan-Gut, acontece em São Paulo

Companhia de dança “Festive Land” (축제의 땅 – Chukjae-ae ttang) vem ao Brasil para apresentar espetáculo de dança tradicional coreana “Pan-Gut“.

 

O evento é uma realização do Centro Cultural Coreano no Brasil, o SESC SP, a Embaixada da Coreia no Uruguai e Chile, e acontece nos dias 27 e 28 de outubro.

 

As apresentações do “Pan-Gut”, que significa “Palco de Cerimônia” em tradução livre, vão incluir a tradicional canção “Arirang”, a dança tradicional “Seung-Mu”, a dança “Sogo chum” e várias outras danças e melodias tadicionais da Coreia.

Também será oferecido o coquetel show temático “Festa Tradicional Coreana”, com bebidas tradicionais e comidinhas coreanas, 1 hora antes das apresentações de “Pan-Gut”. Tudo feito por Kim TaeYeol, um premiado bastender, sommelier e Embaixador do Álcool Tradicional da Coreia.

Como Participar:

O ingresso é gratuito pela inscrição antecipada no CCCB.

  1. Inscrição antecipada pelo CCCB (link: pangut.eventbrite.com.br)
  2. Retirada dos ingressos gratuitos 10.24(qua)~26(sex) no CCCB (Vagas limitadas, por ordem de chegada para retirar ingressos) – É necessário apresentar email de confirmação da inscrição antecipada

Ou para ter o Ingresso Comum, acesse o site do SESC Vila Mariana. Vá em Programação > Dança > Pan Gut, com Cia Festive Land (COR).

O evento é mais uma oportunidade para você conhecer e se aproximar mais da cultura coreana, além de apoiar para que mais evento do tipo aconteceçam no nosso país.

Reserve um tempo na sua agenda e conheça mais sobre a Coreia do Sul.

 

SERVIÇO:

Espetáculo de dança tradicional coreana, Pan-Gut
Data: 27/10 (sáb) às 20h e 28/10 (dom) às 18h
Local: Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141, São Paulo – SP
Infomações: Centro Cultural Coreano no Brasil  / 11 2893 1098
facebook.com/kccbrazil

 

Por Naira Nunes
Fonte: Centro Cultural Coreano Brasil, Sesc SP.
Não retirar sem os devidos créditos.

 

 

13º Dia da Cultura Coreana promove encontro musical entre piano e o tradicional gayageum

Nos últimos meses o Centro Cultural Coreano no Brasil realizou grandes eventos como a mostra de cinema com filmes coreanos premiados, exposição de cartoons coreanos, e os 11° e 12° dias da cultura coreana com dança moderna e o MINHWA, uma arte de pintura folclórica coreana.

Nesse mês de agosto já tivemos o concurso de gastronomia coreana, nos dias 16 e 17, para amadores e profissionais; E para o 13° Dia da Cultura Coreana, no próximo dia 23 de agosto, o Centro Cultural em parceria com a Prefeitura de São Paulo, Secretaria Municipal da Cultura, e a Fundação Theatro Municipal, trazem um encontro musical, que mesclará piano com o instrumento tradicional coreano GAYAGEUM.

O evento é GRATUITO, mas as vagas são LIMITADAS. Você pode reservar sua vaga se inscrevendo aqui.

Retirado do facebook do Centro Cultural Coreano no Brasil

 

De origem coreana, o instruimento Gayageum se assemelha às cítaras. De acordo com o Samguksagi (registro da história coreana, 1145), ele foi desenvolvido em torno do século 6, período dos três reinos da Coreia, na confederação de Gaya pelo rei Kasil, depois de observar um antigo instrumento chinês. Então ordenou o rei, ao músico Wu Ruk que compusesse uma música utilizando o instrumento. Seu nome original era gayago, e depois foi modificado para gayageum. Wu Ruk aperfeiçoou o instrumento durante o reinado de Jinheung, na Dinastia Shilla.

Reprodução internet.

 

Serviço:

Encontro de Música: Gayageum e Piano.

Data: Quinta-feira, 23/08/18, 19:30

Local: Sala do Conservatório l Praça das Artes Rua Conselheiro Crispiniano, 378, Centro (acesso a veículos) / Avenida São João, 281, Centro (acesso de pedestres)

Entrada: Evento GRATUITO com vagas LIMITADAS (para se inscrever acesse o link <https://www.eventbrite.com.br/e/13o-dia-da-cultura-coreana-encontro-de-musica-gayageum-e-piano-tickets-49062390932 > )

 

Por Larissa Ariel
Não retirar sem os devidos créditos

 

12º Dia da Cultura Coreana: Workshop de MINHWA, a tradicional arte da Coreia

No dia 27 de julho (sexta-feira), às 15h, acontece no Centro Cultural Coreano o 12º Dia da Cultura Coreana e o tema será MINHWA, uma arte de pintura tradicional folclórica coreana.

Durante o evento, haverá exposição das artes da artista Tae Hwa Ha que, além de exibir suas obras, irá realizar uma apresentação de MINHWA para todos presentes no evento. 

Quem participar do evento também poderá ter a experiência de produzir uma arte MINHWA. O material para a pintura será fornecido pelo próprio Centro Cultural, porém é recomendável levar um avental para participar da atividade.

As inscrições vão até dia 26/07, os interessados devem acessar o formulário nesse link https://goo.gl/forms/m70J58fJJikC1aSA2 e preenche-lo para realizar a inscrição. As vagas são limitadas!

 

O MINHWA

O Minhwa é uma Pintura Folclórica Coreana. Apesar de ser uma arte tradicional, não é considerada convencional, pois em essência é um gênero de arte criado para as pessoas comuns (que viviam longe dos palácios).

O Minhwa é o resultado natural do desejo do povo em levar uma vida saudável e próspera, além de embelezar seu ambiente de vida. Os Minhwas abrangem uma variedade enorme de assuntos e formas de expressões, apostando em simbologias, eventos cotidianos dos coreanos e também na filosofia coreana. Apesar da arte ser tão diferente daquelas presentes nos Palácios, seu formato humorístico e simples, além de sua forma não convencional e cores ousadas, são características importantes da estética coreana.

Em uma pintura folclórica de um pássaro e de um tigre, o tigre é descrito como amigável e engraçado. O pássaro parece estar zombando do tigre.

 

Na antiguidade, era comum animais serem retratados nas pinturas, em sua grande maioria os tigres, os pássaros, tartarugas, veados e os dragões sempre foram os favoritos. Cada um tinha uma simbologia, mas os artistas acreditavam que alguns desses animais representavam a longevidade.

O tigre por exemplo, considerado símbolo da Coreia, representa um animal corajoso e esperto, que causava medo nas pessoas por ser mais forte do que elas. Nos Minhwas, as representações humorísticas de sua arte ajudaram as pessoas a superar o medo do tigre, dando a esse ser sagrado um comportamento e aparência mais amigáveis.

 

A versão Minhwa dos dez símbolos de longevidade, e um Minhwa de peônias e uma rocha sinuosa.

 

Atualmente as pinturas Minwha foram adaptadas na arte moderna, presentes em muros de bairros antigos, adesivos de carros, capas de celulares, material escolar, e até mesmo estampa de camisetas.

 

Arte Minwha presente nos muros de casas antigas e também em objetos do nosso cotidiano.

 

Gostou de conhecer o Minhwa? Então não esquece de se inscrever no 12º Dia da Cultura Coreana e participar das atividades envolvendo essa arte incrível!

 

SERVIÇO

Data: 27/07/2018
Horário: 15h
Endereço: Centro Cultural Coreano no Brasil – Alameda Barros 192 – Santa Cecília – São Paulo/SP

Entrada Gratuita

Inscrições: https://goo.gl/forms/m70J58fJJikC1aSA2
Mais informações: Tel (11)2893-1098 / programas@kccbrazil.com.br

 

 

Por Isabela Marques
Fonte: Centro Cultural Coreano e Antiquealive.
Não retirar sem os créditos.

 

 

Valentine’s Day X White Day: as tradições e os Kidols que gostaríamos de namorar

O Valentine’s Day foi comemorado no mundo inteiro no dia 14 do mês passado, é um dia para celebrar o amor e carinho entre parceiros. Já o White Day, é comemorado um mês depois, no dia 14 de março. A data é bastante comemorada em países como Japão, Coreia do Sul e Taiwan, sendo muito parecido com o Valentine’s Day. Mas o que então os diferencia?

Origem

O Valentine’s Day, ou Dia de São Valentim, foi criado pelo Papa Gelasius, no ano de 496 para honrar o santo. A associação com o romantismo data do fim da Idade Média, no século XIX era comum que na Grã-Bretanha se enviassem de cartões no feriado, desde então uma tradição foi criada.

Já o White Day (em tradução livre: Dia Branco), foi inventado pela confeitaria japonesa, sendo celebrado pela primeira vez em 1978 no Japão. No ano em questão, Ishimura Manseido, um comerciante de marshmallows, vendeu a ideia que os homens deviam retribuir as mulheres que lhe deram chocolates e outros presentes no Valentine’s Day. Enquanto o Dia do Marshmallow não fez sucesso, logo o dia ficou conhecido como White Day e foi difundido para outros países asiáticos.

Costumes

A grande diferença entre ambos as comemorações nessas culturas é sobre quem da os presentes. No Valentine’s Day existe o costume de serem as mulheres que presenteiam os homens com chocolates e cartões. Se o chocolate é feito a mão significa que aquele é o “único” receptor, e portanto mais especial para a menina.

Enquanto os homens dão as mulheres ainda mais presentes no White Day, sendo três vezes mais valiosos, como resposta ao que foi recebido. Dar um presente de mesmo valor é considerado como um término de relacionamento. É comum dar marshmallows e chocolate branco, pela tradição, mas também são dadas joias, roupas e lingerie.

Simbologia

O Dia de São Valentim é dominado pelo vermelho, a cor do amor, é comum aparecer alguns símbolos como corações, pombas e cupidos. Já para o White Day, a cor branca foi escolhida pelo seu significado: a “pureza” evoca a ideia de “amor puro” e “doçura adolescente” – também é a cor do açúcar.

O White Day e os K-idols

Recentemente, em uma pesquisa online foi perguntado quem seriam os ídolos que os internautas gostariam de receber presentes. A pesquisa foi feita pela PMI, e citada no AllKpop. Quem venceu foi o ator Gong Yoo, do drama Goblin e do filme Invasão Zumbi, com 22,7% dos 2.000 entrevistados. Em segundo lugar é Park Bo Gum, pelo amigo e ator Song Joong Ki e em quarto Hyun Bin.

“E se eu tiver 900 anos?” – Ainda iriamos querer namorá-lo!

Já quanto as celebridades femininas que os internautas gostariam de entregar presentes ou namorar, Seolhyun do AOA recebeu 9,7 por cento dos votos, enquanto 7% dos entrevistados escolheram a Suzy. A atriz Park Bo Young chegou ao terceiro lugar com 5%, seguida de Song Hye Kyo, atriz de “Descendants of the Sun”.

A serenidade no olhar de quem vai receber muitos doces hoje.

 

Cheio de particularidades, os asiáticos provam que o amor tem que ser comemorado mais que uma vez. E você, para quem gostaria de mandar seu chocolate?

Por Amanda Soares
Fonte: diffen, History.com, koreaportal.
Não retirar sem devidos créditos

Bem vindo Galo de Fogo: já iniciou o Ano Novo Lunar de 2017

O ano de 2017 é regido pelo Galo de Fogo. Mas, como assim? Você se pergunta. Muitos sabem, outros não, que o Ano Novo do Calendário Gregoriano (o qual seguimos) é praticamente ‘mais um dia’ para a parte do povo asiático que sempre voltou sua atenção para o Ano Novo Lunar. Baseado no Calendário Chinês, onde os animais regem cada mês e consequentemente cada ano, o Ano Novo Lunar de 2017 está chegando também para os coreanos.

Vamos entender o que o Galo de Fogo reserva para o seu 2017 com base no Zodíaco? *toca a abertura do desenho do Jackie Chan*

O que esperar do Ano do Galo de Fogo?

Desta vez o Ano Novo Lunar (ou Chinês) começou em 28 de janeiro de 2017 e terminará em 15 de fevereiro de 2018. Regido pelo Galo de Fogo, esperasse que seja um ano repleto de coragem, honestidade e ambição, características fortes desse animal.
Assim como no ano anterior, 2017 pertence ao elemento fogo, mantendo a influência do sentimento de buscar reconhecimento, exalar charme e ter ambição. E por causa disso, novas ideias e oportunidades serão ainda mais frequentes durante esses 12 meses.
A energia do Galo de Fogo é destemida, determinada e confiante, vai te ajudar a não ter medo das mudanças, já que o ano de 2017 promete te trazer muitas escolhas decisivas. Mas por ser um animal impulsivo, tome cuidado para não tomar decisões precipitadas. Cautela nunca é demais.

E o Ano do Galo tem o que dizer até para suas relações amorosas (assim como todos os outros anos). Para ter dias melhores com a pessoa amada é necessário que o deixe te conhecer melhor, demonstrando mais compaixão, carinho e interesse. Só assim a pessoa compreenderá seus “defeitos” e se sentirá à vontade para viver uma vida com você.

Se você não está muito interessado no amor, talvez esteja interessado no trabalho ou estudos. Nesse âmbito, a autonomia e a liberdade ditarão as regras. Tenha responsabilidade e saiba aproveitar as oportunidades. Você precisará aprender a lidar com riscos e a aceitar novas opiniões.

O Elemento Fogo

Existem 5 elementos que regem o zodíaco chinês, e 2017 recebeu o de fogo, assim como os anos de 1897 e 1957.
Com fogo tão evidente, este Galo será vigoroso, motivado e autoritário como nunca. Principalmente se você for uma pessoa do Signo de Galo (nascidos nos anos de 1969, 1981, 1993, 2005 ou os bebês de 2017). Saberá como agir de forma independente e com grande habilidade, embora precise lidar com seu lado temperamental, dramático e por vezes nervoso.

O Galo de Fogo conduz os seus próprios interesses e sabe liderar bem, não se abalando com sentimentos ou opiniões alheias.
Se assumir o seu lado inquisidor, sua inflexibilidade poderá causar um mal estar aos que o rodeiam. Mas no fundo, o Ano do Galo terá as intenções mais nobres por trás de suas ações. Sua imagem pública poderá se projetar estimuladora e dinâmica.

 

Tudo isso são previsões, estudos e crenças passados de geração para geração, cabe a você acreditar ou não no que a mitologia chinesa tem nos contado há alguns séculos. Entretanto, nos que fazemos do nosso ano, um bom ano, trabalhando duro e nos esforçando para alcançar nossos sonhos.

FELIZ ANO NOVO LUNAR!

 

Por Naira Nunes
Fonte: Astrocentro, Ano Novo Chinês, We Mystic 
Não retirar sem os devidos créditos.

 

O romantismo do Natal na Coreia do Sul

A Coréia do Sul é o país do continente asiático que mais se comemora o Natal, cerca de 30% da população é cristã, os outros 70% seguem o budismo ou se declaram ateus. Além disso, o país reconhece a data como feriado nacional, ou seja, estudantes, funcionários públicos e trabalhadores são liberados de suas atividades. Diferente de vários países asiáticos, os quais falamos aqui.

ruas

korea-christmas

O Natal é chamado de Seongtanjeol (성탄절) pelos católicos, mas também pode ser conhecido por Gidoktansinil (기독탄신일). A maneira em que os cristãos comemoram a data é muito semelhante aos outros países ocidentais, se reúnem as famílias para ceia com pratos populares como japchae (macarrão de batata doce), teeokguk (sopa de massa de arroz), bulgogi(carne doce) e kimchi.

O Bolo de Natal acabou se tornando uma grande tradição, o sabor não foge daquele que é vendido durante o ano, mas as padarias ficam lotadas e é a época que mais se vende por conta dos bolos maravilhosamente confeitados e decorados.

bolo

O Papai Noel coreano pode ser visto tanto na tradicional cor vermelha quanto no azul. Ele pode ser chamado de Santa Keulloseu (산타 클로스) ou Santa Harabeoji (산타 할아버지), que pode ser traduzido para Vovô Noel.

santa-blue

Lojas, igrejas, casas e hotéis normalmente fazem uma decoração impecável com árvores de Natal e várias luzes por toda a fachada, e ainda aproveitam para realizar eventos e promoções, que costumam oferecer brindes e sorteios para clientes. Se você gosta de comprar pela internet, o Natal é um dos melhores dias, pois são feitas ofertas excelentes. Tradicionalmente é realizada a troca de presentes, mas ao invés de uma pilha deles, é mais comum dar algo mais significativo ou mesmo uma quantia em dinheiro.

lojas

Para aqueles que não seguem o cristianismo, não vêm a data propriamente como um dia para família, pois comemoram com amigxs ou com o namoradx. Restaurantes, casas de shows e motéis ficam cheios e com eventos especiais. Assim como Dia dos Namorados, o Dia do Branco e o Dia do Pepero, o Natal é visto como um feriado romântico. Por isso é mais comum ouvir as canções nos rádios falando sobre amor.

Igual acontece no Brasil, os especiais de Natal tomam conta da televisão coreana. Desenhos e filmes podem ser encontrados focando principalmente em famílias e crianças como público.

Se você quiser dizer Feliz Natal em coreano pode falar Jeulgeoun Seongtanjeol Doeseyo (즐거운 성탄절 되세요) ou Meri Keuriseumaseu (메리 크리스마스 – Merry Christmas).

O que você achou da data na Coréia do Sul? Conta aqui nos comentários!

Fontes: WhyChristmas, Blogspot, LoveToKnow.
Por Giovanna Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.

 

Existe Natal na Coreia do Norte?

Em cada lugar do mundo existem maneiras e tradições de se comemorar o Natal (성탄절 — Seongtanjeol). Entretanto, é preciso lembrar que é uma data cristã e nem todas as religiões celebram tal feriado. É o caso da maioria dos países da Ásia, e especificamente a Coreia do Norte. O país é majoritariamente ateísta, ou seja, que não acredita em qualquer tipo de divindade, e estimam-se que atualmente cerca de 2% da população norte coreana segue o cristianismo. Teoricamente, o feriado natalino não é celebrado, pois o governo mantem regras rígidas para todas religiões.

corea_-_natale_al_nord

Mesmo com a constituição do país jurando liberdade religiosa à todos cidadãos, praticantes cristãos correm o risco de serem presos ou até mesmo de morrer por expressarem suas opiniões e crenças. A maioria se escondem e fazem cultos em túneis subterrâneos longe dos olhos das autoridades. O Governo comunista ainda monitora outras crenças como Budismo e Chondoismo, pois acreditam que este tipo de aglomeração incentive a emigração de pessoas para outros países. Em um artigo da revista TIME em 2009, estima-se que a igreja cristã tenha ajudado cerca de 20.000 norte-coreanos a irem para a China.

A Cornerstone Ministries International, instituição missionária que trabalha com os cristãos da Coreia do Norte e da China, estima que existam entre 200 a 300 mil cristãos no país, sendo que o regime ditatorial de Kim Jong-Un afirma que existam apenas cerca de 13 mil cristãos na Coreia do Norte.

igreja-pyong

O Centro de Dados sobre Direitos Humanos da Coreia do Norte diz que existem somente cinco igrejas cristãs no país, todas localizadas na capital Pyongyang. No entanto, elas não funcionam como locais de culto livre. Em novembro de 2013, 10.000 pessoas assistiram a execução de 80 norte-coreanos no estádio esportivo na cidade de Wonsan. O governo quis deixar uma mensagem à população, os civis foram amarrados em estacas e com sacos cobrindo a cabeça. Os corpos foram atingidos por metralhadoras enquanto eram acusados de traição aos líderes ao assistirem a TV sul-coreana e ter uma bíblia em casa.

Apesar da perseguição do regime, ainda é possível encontrar algumas luzes e árvores decorativas por ruas, restaurantes, hotéis e lojas, porém isso acontece somente para propaganda e para receber turistas. Para alguns, são arvores de Natal e para outros são apenas decorações de inverno. Muitos consideram um grande desperdício – lembrando da crise de energia que o país sofreu em 2013 por conta dos testes nucleares realizados.

bronze-kin

O que entra também para a temporada de “feriados” é o dia 24 de Dezembro, dia em que é comemorado o aniversário de Kim Jong Suk, primeira esposa de Kim Il Sung (primeiro líder da Coreia do Norte). Vista como uma grande heroína, esta data é celebrada por muitas organizações femininas, onde norte-coreanos vão até o Cemitério dos Mártires Revolucionários de Taesongsan prestar tributo a ela.

Diferentemente do Natal, o ano novo para a Coréia do Norte é uma grande festa, um momento de estar com a família e honrar os líderes do país. É comum levarem flores para a estátua de bronze de Kim Il Sung em Wonsan e agradecê-lo como um benfeitor e por guia-los através do novo ano.

 

Por Giovanna Akioka
Fontes: DramaFever, Time, Christian Today, NK News, Até Onde.
Não retirar sem os devidos créditos.

Saiba como é comemorado o Natal em vários países da Ásia

Família reunida, o cheirinho de chester invadindo a sala, os presentes embaixo da árvore e a troca dos mesmos à meia noite, a salada (com uva passa) e aquela prima gótica que abre mão do pretinho básico para usar um vestido vermelho…

Soa familiar? Apesar do clima tropical, o espírito natalino é uma tradição que toma conta das casas e ruas do Brasil. É o momento de reencontrar parentes distantes e voltar para casa quase rolando de tanto comer. Nos países ocidentais, a comemoração cristã do nascimento de Jesus é muito comum, mas como o dia 25 de dezembro é comemorado nos países asiáticos? Pensando em sanar a curiosidade dos nossos leitores, selecionamos alguns países com tradições bastante diferentes do Natal que conhecemos.
Confira abaixo:

TAILÂNDIA

As ruas são decoradas com estátuas gigantes de Papai Noel (e quanto mais luz, melhor!) e nem mesmo os elefantinhos escapam do gorro vermelho. A data em si não tem muito apego religioso e a temperatura nessa época gira em torno dos 20 graus, mas já que reproduz o estilo à la norte-americano, todas as lojas tocam músicas típicas natalinas. Por outro lado e por influência chinesa, o país também é decorado com enfeites do animal do ano, que represente o calendário chinês. O dia é considerado romântico, por isso mais aproveitado por casais de namorados.

imagem-1-bangkok

 

JAPÃO

O Natal nunca teve muita importância religiosa no Japão, país com pouquíssimos cristãos. É importado com valor comercial para impulsionar as vendas da época. As cidades são preenchidas com decorações natalinas e muitas, muitas luzes, principalmente em pontos turísticos e com grande circulação de pessoas. As famílias japonesas costumam celebrar o dia com frango do KFC e o tradicional bolo de creme com morango. A data também é considerada um Dia dos Namorados fora de época, com restaurantes lotados de casais trocando presentes.

imagem-2-tokyo

imagem-4

 

FILIPINAS

Oposto ao Japão, nas Filipinas, essa é a data mais esperada do ano. A temporada natalina chega a durar 4 meses (são os meses do ano que terminam em ‘ber’, no inglês: September, October, November e December). Apesar do comércio existente, o aspecto religioso é muito forte e impressiona qualquer um. A tradição mais comum do país é a Simbang Gabl, simba = igreja, gabi = noite, que começa no dia 16 de dezembro. São 9 dias de missa, realizadas até em shopping centers, já que a quantidade de fiéis muitas vezes não cabe nas igrejas. Em San Fernando, capital do Natal, é realizado o Festival das Lanternas Gigantes, onde 11 vilarejos disputam para ver quem constrói as lanternas mais criativas.

imagem-5

 

ÍNDIA

São poucos os que realmente conhecem o significado do Natal. A grande maioria dos indianos enxerga o Natal como uma época em que os lugares são decorados para agradar os turistas. Quem celebra com bastante fervor o nascimento de Jesus são os cristãos, que costumam enfeitar suas casas com bananas e folhas de manga, além do clássico presépio. É um dia para servir a igreja e aos pobres, estar perto dos familiares e trocar presentes. Para os não cristãos, é apenas mais um dia de trabalho.

imagem-6

 

INDONÉSIA

Até 2010, 87% da população indonésia era muçulmana. Sendo assim, o feriado só é atrativo para a parcela da população que é cristã. Para estes, existem diversas celebrações e cerimônias com comidas regionais. Pequenos espaços dentro de shoppings de classe alta são os únicos lugares onde é possível observar decorações natalinas como as que conhecemos. Infelizmente, essa época do ano desperta um pouco de preocupação e medo. Com a crescente ameaça de terroristas ligados a ISIS, uma grande quantidade de militares são enviados às igrejas para reforçar a segurança das mesmas.

 

CHINA

Com o país focado no Ano Novo Chinês, a data festiva ainda vem sendo incorporada nas grandes cidades aos poucos. Muitos ainda desconhecem o verdadeiro significado deste feriado, já que menos de 10% da população chinesa é cristã. Para estes, a comemoração segue normal: as famílias se reúnem para celebrar o nascimento de Jesus e partilhar de um delicioso jantar, com suas casas enfeitadas com flores, lâmpadas e outros enfeites de papel. Como em alguns outros países asiáticos, as decorações tomam conta das ruas, com intenção de alavancar as vendas, já que existe a troca de presentes entre pessoas próximas. O Natal para eles é uma mistura de Halloween (sim, há decoração de Halloween) e Dia das Mães/Pais/Crianças/Namorados.
Curiosidade: lá, o Papai Noel é chamado de Dun Lhe dao Ren, que significa “Velho Natal”.

imagem-9

 

No próximo artigo traremos com o Natal é comemorado na Coreia do Sul e do Norte, aguardem!

E aí, ficou surpreso? Em qual desses países você quer passar o próximo Natal? Como é o Natal na sua família? Conte para a gente nos comentários abaixo!

 

Por Vanessa Ferreira
Não retirar sem os devidos créditos