Revista BTS

Garanta já a NOVA REVISTA KOREAIN, edição ESPECIAL BTS É ARTE

Declaramos aberta a VENDA da nova edição da revista KoreaIN, que traz um especial BTS! Aqui abaixo você pode conferir tudo que virá nessa nova edição, de matérias até os itens especiais.

VENDA:

Compre agora sua KoreaIN por APENAS 16 REAIS!
FRETE GRÁTIS PARA TODO O BRASIL!

ENTREGA:

FRETE GRÁTIS PARA TODO O BRASIL!
As revistas serão entregues após o dia oficial de lançamento.
Os endereços serão coletados no ato da compra.
Você poderá tirar dúvidas sobre as vendas pelo koreainmz@gmail.com ou pelas redes sociais da KoreaIN.




 

OU PELO LINK:

https://pag.ae/bmFfhsC

 

 

Ficha técnica:

Revista:
Tamanho: 15×21 cm (a5, Padrão KoreaIN)
12 páginas (sem contar a capa)

Extras:
Poster: 42×60 cm (a2, Padrão KoreaIN)
Cards Exclusivos: 9×5 cm (tamanho padrão de cards), virá sortido.

 

Matérias:

BTS É ARTE – As referências mais artísticas da Carreira do Grupo
BEYOND THE SCENE: As fotos pessoais mais épicas do BTS
ELES SÃO FÃS TAMBÉM: Saiba quem são as estrelas que amam o BTS
BANGTAN BELLY OU ABS? Uma análise não oficial das barriguinhas dos bias
QUIZ EXCLUSIVO!

 

ITENS ESPECIAIS:

Cada revista virá com:

01 POSTER EXCLUSIVO
01 CARD EXCLUSIVO SORTIDO (podendo ser um card normal ou premium)

Boas compras!

NYTimes: “O que é preciso para uma banda de K-pop explodir na América do Sul?”

 

Que BTS é um fenômeno mundial a gente já sabe, mas ser notícia no New York Times e ainda por cima se referindo a América Latina pode ser novidade. O texto a seguir foi traduzido e adaptado do artigo do colunista da Billboard, Jeff Benjamin, para o NY Times, em que ele explana o sucesso que o grupo fez na sua passagem pelo Chile. O mesmo panorama pode ser visto relacionado com percurso do grupo pelo Brasil.

 

A mania musical da Coreia do Sul varreu a maior parte do mundo em uma tempestade, mas o Chile representa uma conquista improvável.

Se você estivesse assistindo a TV chilena em certa manhã de uma sexta-feira do mês passado, você teria encontrado uma cena surpreendente: a interrupção de um noticiário em nome do pop coreano.

A repórter da Chilevisión estava dentro do Aeroporto Internacional de Santiago, tentando o seu melhor para obter um vislumbre do BTS – uma abreviação para o termo coreano Bangtan Sonyeondan, ou “bulletproof boy scouts” em inglês – uma das bandas de k-pop mais famosas dos últimos anos, com concertos esgotados nas datas 11 e 12 de março no Movistar Arena, assim como todas as outras datas de sua turnê. Ela não conseguiu um comentário do grupo, mas seu cameraman conseguiu um bom take deles enquanto sua enorme comitiva passava com hordas de fãs gritando e carregando cartazes. Ela também encontrou uma jovem com sorriso reluzente que parecia estar à beira das lágrimas. “Valeu a pena esperar?”, perguntou a repórter. “Valeu”, a menina respondeu com voz rouca e feliz. “Esperei a noite inteira.”

O K-pop tomou a maioria do mundo em sua tempestade, mas o Chile representa uma conquista recente e um tanto improvável. Nenhuma das estações de rádio tradicionais mostravam qualquer interesse em tocar k-pop. Até agora, as importações musicais da nação tenderam a influências latinas – como reggaeton e hip-hop – ou pop americano. Então, há as impressões ecléticas caseiras como Mon Laferte (conhecida por seu mix experimental de blues e rock eletrônico), Camila Moreno (uma cantora e compositora de pop alternativo) e Gepe (uma cantora folclórica chilena de New Age que mistura, entre outras influências, música dos anos 60 e 70 dos Andes com pop eletrônico).

Então BTS e seus pares foram forçados a esgueirar-se através da internet. Um importante ponto de entrada foi a Coca-Cola FM, a gigante plataforma de rádio on-line do refrigerante, que é amplamente desconhecida para o público americano e popular no Chile, com uma audiência diária estimada em 40 mil pessoas. Toda sexta-feira, a rede gere um programa de K-pop apresentado pelo DJ chileno Rodrigo Gallina. A mídia social também tem desempenhado um papel tremendo: o BTS tem mais de cinco milhões de seguidores no Twitter e, até à data deste artigo, o BTS passou 22 semanas na 1ª posição no chart Billboard’s Social 50, que classifica a atividade global on-line das fanpages ativas dos artistas e músicas semanais. Uma conta do twitter dedicada ao BTS Chile, dirigida por três fãs, publica regularmente traduções em espanhol de artigos e notícias sobre a banda e os próprios posts da banda em mídias sociais. Alguns fãs chilenos se sintonizam diretamente com o popular aplicativo Vapp da Coreia, onde os artistas fazem transmissões ao vivo e que fãs de qualquer lugar do mundo podem participar e fazer perguntas (o canal do BTS tem mais de 4,7 milhões de seguidores).

A popularidade online da banda se tornou tão sólida no Chile que os promotores de turnê nem sequer se preocuparam com um impulso na mídia tradicional. Os fãs aguardaram fora da bilheteria da arena para comprar ingressos, que variou de 38 a 212 dólares, por até uma semana de antecedência. Todos os 12.500 ingressos para o que era suposto ser apenas um show, esgotaram em um recorde de duas horas.A velocidade dessas vendas nos fez começar imediatamente os preparativos para um segundo show“, diz Gonzalo Garcia, o CEO e fundador da NoiX Productions, que se concentra estritamente em trazer artistas asiáticos para o Chile e outros países da América Latina. Eventualmente, a NoiX publicou oito dias de anúncios impressos no jornal diário La Tercera, simplesmente como um agradecimento aos fãs que compraram ingressos.

Backstreet Boys, One Direction e Jonas Brothers tocaram no Chile, mas as boybands coreanas são um fenómeno recente, tendo começado a visitar o país apenas a partir de 2012. Antes do seu desempenho no mês passado, a BTS fez um show no Chile em sua última turnê em agosto de 2015, mas os promotores reservaram apenas metade do Movistar Arena. Nos meses que se seguiram, porém, a popularidade do grupo subiu rapidamente no mundo do K-pop – o álbum “Wings” foi o álbum mais vendido da Coreia do Sul em 2016 – com fãs em todo o mundo aparentando se conectar com o som cada vez mais refinado e mensagens esperançosas. “Falamos sobre nossa própria confusão e desordem mental o mais honestamente possível na música e [como] cresce conosco à medida que envelhecemos“, diz o líder da banda, Rap Monster. “Acreditamos que os fãs chilenos tendem a se conectar a esses valores.“, acrescentou.

Os gerentes deslumbrados da banda lutam para encontrar métricas adequadas para capturar a extensão da BTS Mania no Chile. Há dinheiro, é claro; Garcia diz que a venda de ingressos da série de concertos de dois dias deste ano “ultrapassou a marca de 2 milhões de dólares”, e esse número nem sequer inclui a receita da enorme quantidade de mercadoria do BTS (como um light stick de 45 dólares ou um ventilador de mão com os rostos dos membros impressos nele por 9 dólares) vendidos na arena. Para a gravadora sul-coreana do BTS, a Big Hit Entertainment, o mais notável é o engajamento on-line, que parece monitorado muito de perto. “Nós cruzamos as estatísticas dos canais de mídias sociais para confirmar o nível de lealdade da fanbase no país”, diz Yandi Park, um gerente de negócios da Big Hit. “Nós esperávamos ter boas vendas de ingressos, porque os promotores também estavam confiantes… mas não esperavam a lotação em minutos”. Depois, há as expressões orgânicas de fervor de fãs: em parques e locais públicos em todo o Chile, milhares de fãs começaram a se reunir com frequência para aprenderem juntos danças de K-pop.

Talvez a métrica mais impressionante, porém, também a mais alarmante, seja dos proprietários do Movistar Arena que disseram a Garcia que o público gritava sozinho durante os shows do BTS deste ano – ou seja, nos momentos em que a banda não estava sequer atuando – e atingiu o volume de 127 decibéis, bem além do nível de ruído em que a perda auditiva permanente se torna uma séria preocupação. O promotor relata orgulhoso como o mais alto já gravado na arena. “O público grita sozinho”, Garcia repete, uma nota de temor rastejando em sua voz. “Foi uma loucura.”

Tradução por Amanda Carolina
Artigo original: NY Times
Não retirar sem devidos créditos

[Entrevista]”Os membros do BTS possuem charmes únicos.” – Diz SungDeuk, coreógrafo do grupo

O BTS veio ao Brasil pela terceira vez para realizar dois shows nos dias 19 e 20 de março, reunindo mais de 14 mil pessoas no Citibank Hall em São Paulo. O Bangtan passa por uma onda de sucesso na Coreia e no mundo, alcançando ótimos resultados de vendas internacionais e promove sua turnê mundial intitulada “The Wings Tour”. Uma das características dos ídolos sul coreanos é a coreografia sincronizada e de alto nível de dificuldade, que conquista dançarinos e covers continente afora.

A KoreaIN teve a oportunidade de conversar com Son Sung Deuk, responsável pelas danças do grupo. A conferência aconteceu no Café Together, localizado no Bom Retiro, onde logo após um café, fomos recebidos pela presença do diretor de performance da Big Hit e coreógrafo do Bangtan Boys. Ele, sempre muito simpático, respondeu às perguntas da imprensa com bom humor e sinceridade, onde abordou tópicos sobre carreira, a paixão pela dança, e claro, o próprio BTS.

P – Qual foi a primeira coreografia que você desenvolveu e para quem foi?
SSD – Há algum tempo na Coreia, houve um “survival show” onde através de um campeonato, sairia um campeão. Um dos meus primeiros trabalhos foi fazer a coreografia de um grupo participante, chamado “Hakdong Club”.

P – Como é sua rotina de estudos quando você não está trabalhando em uma coreografia?
SSD – Eu tento descansar o máximo possível e tento viajar bastante. Como meu trabalho gasta muita energia, eu tento recarrega-la descansando, viajando e fazendo workshops.

K-IN – O que você toma de inspiração para suas coreografias?
SSD – Eu tento me inspirar nas coisas do cotidiano. Tento também expressar ao máximo o significado da música, por isso me concentro bastante na letra. Vou pensando nas imagens.

P- Quanto tempo você demora para criar as coreografias e quanto tempo os artistas demoram para conseguir memoriza-la?
SSD – Se é algo bem rápido, a curto prazo, é uma média de 2 à 3 dias. Se é algo mais trabalhoso, é de 1 à 2 meses. Dependendo do nível de dificuldade da coreografia, o tempo para criação varia. Antigamente os artistas demoravam mais para “pegar” os passos, mas agora eles são muito bons e demoram bem menos. Para memorizar todos os movimentos, demoram apenas alguns dias. Atualmente demoram menos de 1 mês para conseguir realizar as danças sem nenhum erro.

 

 

P- No BTS, os meninos, especialmente na dance line (J-Hope, Jungkook e Jimin), têm estilos de dança muito diferentes. Como você lida com essas diferenças. Você tem que aproveitar tudo que os meninos têm a oferecer nestes diferentes estilos?
SSD – Não apenas a dance line, mas todos os membros do grupo possuem charmes individuais únicos. Quando eu crio uma coreografia, penso em cada um deles para que fique algo melhor em conjunto. Algo que encaixe com cada um dos integrantes.

P – Você já assistiu algum cover das coreografias que você já criou?
SSD – Sim! Eu vejo bastante! Sempre tento procurar no youtube os covers dessas coreografias. Pelo que eu sei, há muitos covers ao redor do mundo, bem mais do que eu imaginava. Algumas pessoas são muito boas. As roupas, os movimentos das câmeras, tudo tem uma qualidade muito grande. Eu fico muito agradecido por isso.

P – O trabalho dos coreógrafos coreanos está se tornando cada vez mais conhecido com o público e os fãs acabam acompanhando para conhecer melhor o trabalho dos artistas. Quais os principais desafios que você vê nessa profissão?
SSD – As performances apresentadas pelos artistas estão ficando cada vez mais importantes, então as pessoas que gostam de dança estão se aproximando mais do meu trabalho. O maior desafio é deixar o artista mais brilhante durante uma apresentação. Temos sempre que estar usando a criatividade para criar uma coisa nova, mostrar algo diferente.

K-IN- Você acha que para dançar é necessário talento inato ou esforço contínuo? Qual é mais importante?
SSD – Acredito que o talento é necessário. Você não consegue ser um bom dançarino apenas com as práticas. Treinando muito, você consegue dançar bem, porém existe um limite. Para ultrapassar esse limite, é preciso talento.

P- Você se diverte dando workshops? O que te motivou a começar com essa prática?
SSD – Fazendo workshops, tenho muitas sensações. Para eu me recarregar para meu trabalho, preciso viajar muito e descansar bastante. Através dos workshops, tenho a oportunidade de encontrar muitas pessoas diferentes e recebo muita energia delas. Recebo convite de diferentes lugares no mundo, mas infelizmente não consigo aceitar todos. Tento ir onde posso para compartilhar esses momentos.

P- Quais dançarinos você admira e tem como inspiração?
SSD – Eu gosto muito de todos os coreógrafos ao redor do mundo que fazem um trabalho incrível. Gosto de todos, mas especialmente Michael Jackson. Sempre que faço uma coreografia, tenho na cabeça os movimentos dele.

Sung Deuk ministrou 5 workshops de dança em São Paulo e todas as classes com inscrições esgotadas. Com talento de sobra, mostra que o sucesso do BTS é uma soma de diversas características marcantes, sendo as coreografias um ponto chave para uma performance incrível.

Por Caroline Akioka
Não retirar sem os devidos créditos

Ressaca BTS: A paixão das Armys em volume máximo!

No dia 25 de Março, uma semana após a passagem do BTS no Brasil, com 2 concertos esgotados da The Wings Tour, a KoreaIN promoveu junto à sorveteria coreana SnowFall um encontro entre as Armys brasileiras, o Ressaca BTS.


Tivemos novamente a prova do poder que as B-Armys possuem, não bastando o show que os fãs deram no concerto do BTS. Aguardávamos um público de 120 fãs, mas tivemos a ótima surpresa de receber mais de 250 Armys na tarde de sábado (25). Os primeiros a chegar levaram pra casa um pôster enorme do grupo.


O dia quente foi agraciado com ar condicionado e se era B-army, estava perfeito, pois receberia desconto para consumir os sorvetes de neve deliciosos da Snowfall durante todo o dia.
A trilha sonora não poderia ser outra. Muito BTS tocando para os presentes, além dos Music Videos e lives, que cantavam todas as músicas o mais alto que podiam, do debut ao último comeback. E foi ao som de BTS que fizemos várias brincadeiras com todos, além de sortearmos revistas, moletons, camisetas e álbum do BTS!

 

As ganhadoras do álbum Wings, da loja Asian Mix Store.
A ganhadora de um dos moletons sorteados.

 

Agradecemos a todas as fãs, aos pais dos fãs (que também foram e aproveitaram muito o evento) e a SnowFall por sediar esse encontro. Quem sabe, nos vemos em um próximo evento? Vocês topam?

 

Agradecimentos especiais SnowFall, Asian Mix Store e fanbases parceiras.
Não retirar sem os devidos créditos.

15 momentos mais marcantes do BTS na “The Wings Tour” no Brasil

Em um mês muito movimentado para os fãs da música coreana, os brasileiros tiveram a chance de rever o BTS – e desta vez para um grande concerto, a ‘The Wings Tour’ aos moldes coreanos.

A KoreaIN quer que você conheça (ou relembre) todos os melhores momentos dos dois dias (19 e 20) de show do grupo mais famoso do kpop atual!

Momento 1

Antes mesmo do show começar os fãs cantavam e gritavam por todos os videoclipes que estavam passando nos telões. Nos dois dias de show eles gritavam “Beija, Beija”, para a cena do mv de Blood, Sweet and Tears em que Jin beija a estátua.

 

Momento 2

Algo comum em shows, infelizmente, são os fãs se expremerem contra as grades de segurança das pistas.
Entretanto, os brasileiros conheceram “O poder de NamJoon”. Ainda no início do show, quando todos estavam muito próximos à grade, o líder do BTS, Rap Monster (ou NamJoon para os íntimos haha), pediu em inglês para que os fãs não empurrassem contra a grade. Na música seguinte, o público todo estava confortavelmente espalhado por toda a pista premium.
Nunca havia presenciado isso, mesmo quando Kisu, integrante do 24K, pediu em português para que os fãs não empurrassem, usando o fatídico “Non empurrem”.

Momento 3

A rodada de solos foi agraciada pela emoção única de Suga durante a música “First Love”. A letra profunda, os significados e um público de mais de 7 mil pessoas fizeram com que Suga não cantasse o finalzinho de sua música, mostrando lágrimas nos olhos. Os fãs cantaram para ele e o clima do show foi incrível.

 

Momento 4

Os elementos usados no solo de Jimin criaram um sentimento muito forte para a música LIE. A venda, o lustre e o próprio Jimin sendo carregado pelos dançarinos trouxeram ainda mais significados para a canção.

 

Momento 5

Talvez o envolvimento dos fãs brasileiros no primeiro dia de show, respondendo a NamJoon com “We Love You” após a parte da música “I wish I could love myself” em REFLECTION realmente tenha motivado o rapper.
No segundo dia do show ele mudou a letra da música para “Yes, I do love myself”, afirmando se amar, deixando os fãs perplexos. Para somar, ao final do show ele ainda disse: “Vocês responderam minha música com We Love You. Agora eu digo: Eu amo vocês!

 

Momento 6

JHope é muito conhecido por ser o mais animado do BTS, e como os próprios meninos dizem, o responsável por trazer a luz ao grupo.
E isso ficou muito claro durante os shows aqui no Brasil. Cada vez que JHope abria um sorriso, ele emanava uma luz própria, comandando as reações de todos.
O seu brilho foi complementado pelas diversas imagens que apareciam no telão contando sua trajetória de vida no solo de MAMA.

 

Momento 7

Nos shows coreanos um coral sobe ao palco para fazer o coro de Mama, entoando “Hey Mama…”. Aqui no Brasil o coral foram o fãs. J-Hope parecia completamente satisfeito em poder ouvir todos cantando o coro da canção com tanta vontade. Aquele sorriso mais sincero dele estampava seu rosto.

Momento 8

O solo de Jin impactou os fãs assim que viram o integrante no palco, antes mesmo de começar a cantar. A voz suave de Jin em Awake foi embalada por um coral de fãs.
Quando pude olhar para as pessoas a minha volta, percebi que todas estavam chorando. Foi um momento muito emocionante, logo acompanhado por gritos de “Jin” e “Kim SeokJin”.

 

Momento 9

A cascata de balões durante a performance de FIRE foi surrealmente linda. O projeto de um fanclub do BTS encheu balões durante toda a primeira parte do show pra joga-los de cima da área da Plateia 1, para a pista. O efeito foi incrível e o próprio BTS ficou impressionado.

Momento 10

A nostalgia tomou conta de todos quando o grupo começou o mashup de músicas antigas. Cantaram N.O, No More Dream, I need U e várias outras dos primeiros álbuns.

Momento 11

O que definitivamente cativou os brasileiros foi o ótimo português que o BTS treinou para interagir com os fãs. Quando percebi que não teria tradutor fiquei “Nossa, e agora?”, mas fui positivamente surpreendida com um português fofo. Separei as frases mais marcantes:

“Juntos vamos voar mais alto.” – JHope
“Espero ver vocês mais vezes.” – Jungkook
“Agora estou muito feliz.” – Taehyung
“Graças a vocês me sinto muito melhor. Estou muito feliz. Amo vocês” – Jin

Momento 12

Os banners no primeiro dia durante a canção 2!3! foram criados e entregues pela fanbase Bangtan Mozão. Inspirados pelo projeto coreano, o banner dizia: “Vamos andar juntos no caminho das flores.”


No segundo dia, os banners foram entregues pela fanbase Bangtan Brasil em parceria com uma fanbase internacional, para serem erguidos durante a música Spring Day.

 

Momento 13

Que Jimin e Jungkook são muito próximos e grandes amigos, todos sabemos. E o Brasil teve a honra de presenciar um momento muito fofo de interação entre eles.

Momento 14

A chuva de papel picado sempre me faz sentir bem, e não foi diferente vendo o BTS e os fãs serem cobertos pelos pedacinhos de papéis.

Momento 15

No final do segundo dia de show os integrantes ganharam camisetas do Brasil como o nome deles. Taehyung não conseguiu segurar a emoção e chorou com a camiseta do brasil cobrindo seu rosto.

 

 

Por Naira Nunes
Agradecimentos Bangtan Mozão
Não retirar sem os dedivos créditos

[Ressaca BTS] KoreaIN promove encontro de Armys em São Paulo no próximo dia 25

A KoreaIN Magazine não para e tem mais um presente para o Armys brasileiros!
No dia 25 de março, quase 1 semana após o show do BTS no Brasil, faremos um Encontro Army na SnowFall Brasil, em São Paulo.

Chamado de #RessacaBTS, o evento estará de cheio de brincadeiras sobre o BTS, sorteios de goodies dos garotos e presentes para os fãs. Além de um espaço para dançarem muito as músicas dos oppars e interagirmos para termos mais amigos army ♥
Para os 100 PRIMEIROS ARMYS que chegarem para o encontro ganharão pôster e marca-páginas personalizados do BTS.
E todos os Armys terão 10% de desconto nos sorvetes da SnowFall.

Programação (em breve)

Não sabe chegar na SnowFall?

Sem problemas, a KoreaIN levará uma equipe para a estação Trianon Masp, que fica na avenida Paulista. Nossa equipe estará aguardando os Armys para irmos juntos para o local do evento.
Em breve traremos o local de encontro e o período que iremos aguardar pelos fãs.

Serviço

O que é: Encontro de fãs do BTS – Ressaca BTS
Dia: 25/03
Local: SnowFall – Rua Oscar Freire, 48, São Paulo – SP, 01426-001, Brasil
Horário: 14h às 19h
Valor: Gratuito
Mais informações: www.revistakoreain.com.br

Siga nossas redes sociais
twitter.com/koreainmz
instagram.com/revistakoreain
youtube.com/revistakoreain

Siga a SnowFall
facebook.com/snowfallbrasil
instagram.com/snowfallbrasil

Apoio
facebook.com/btsbrazil.fcb
facebook.com/btsmozão

[#EsquentaBTS] Glossário BTS: as principais expressões do grupo e do fandom

Ser fã de um grupo ou artista implica em conhecermos sua história, seus gostos e até mesmo as gírias e expressões deles.
Com o BTS não é diferente. Caso a fã queira saber tudo sobre os meninos, vai precisar ter uma memória excelente, tanto no cérebro, quanto no celular e computador. O grupo e suas fãs são uma fábrica de criar termos, expressões ou até mesmo de dar novos significados para os que já existem.
Para ajudar as fãs a iniciarem essa compilação de “coisas que o BTS diz”, damos início ao Glossário Army!

Manhi Manhi Manhi - Não é apenas a parte principal do refrão de Blood Sweat and Tears. É também um jogo de palavras, significando “muito” em coreano e “muito” no inglês (many). O refrão chiclete é criação de J-Hope.


J-Hooooooope - Não se sabe ao certo de onde veio a ideia, mas durante um video react do programa semanal Music Core o integrante Suga gritava o nome do dançarino principal do BTS todas as vezes que ele aparecia na tela, em apoio à performance do parceiro de equipe. Sope é o melhor duo, claro!
Sope - é a união dos nomes Suga + J-Hope, que revelam a parceria e a amizade dos dois rappers do BTS.




Eat Jin - Jin é apaixonado por comer e cozinhar e tanto no VLive, quanto no BangtanTV, ele produz um quadro próprio de vlog onde faz mokbang (come em frente a uma câmera), falando sobre o dia a dia dele ou assuntos que ele tenha interesse, inclusive comida.





God of Destruction/Destruction Monster - o apelido dado pelos integrantes do BTS contempla a grande habilidade de destruição do líder do grupo.



Amino ARMY BR - um app, que é uma rede social, destinada para os fãs brasileiros do grupo (ou falantes da língua portuguesa). Nesse aplicativo você pode compartilhar enquetes, imagens dos garotos, criar artigos sobre eles, interagir e conhecer várias ARMYs ao redor do país.

HYYH - 화양연화 (Hwa Yang Yeon Hwa), "The Most Beautiful Moment in Life" ou O Momento Mais Bonito na Vida. É assim que o BTS buscou descrever as promoções e as vivência de seus EPs e Tour de 2015.

Dope - Em tradução livre, “Bacana”. A palavra tem sido referência para o BTS desde o debut, atingindo seu pico com o single promocional DOPE, o mais popular do grupo pelo YouTube. O BTS é realmente DOPE, certo?

Baepsae - “Baepsae” é uma espécie de corvo coreano (crow-tit), mas também é usado para definir ainda como alguém que se arruina tentando copiar/imitar as pessoas que são de classe superior a deles. E ainda, pode ser interpretado como “Try Hard”, alguém que sempre tenta falar mais e melhor do quê o que está ao seu alcance.

ChimChim - Durante as filmagem de “American Hustle Life” o BTS teve dois tutores: Nate e Tony. Jimin se tornou bastante próximo a Tony, que lhe o apelido do ChimChim (JimJim).



A.R.M.Y - Se para alguns Army quer dizer apenas “exército”, para os fãs do BTS é muito mais. Significando “Adorable Representativa M.C for Youth”, o fanclub Army é o exército que protege os “garotos a prova de balas” (Bangtan Boys).



Bangtan Bomb - Cada video do BTS no canal BANGTAN TV, no youtube, é chamado de Bangtan Bomb.

Army Bomb - Aquele objeto de desejo de todo ARMY, a famosa lightstick do BTS em formato de bomba.



J-Hope Horse - Também uma brincadeira entre os integrantes do grupo, que vez ou outra comparam J-Hope a um cavalo, por ter o rosto longo e os dentes muito aparentes. Em um de seus aniversário, o integrante V publicou no twitter oficial do grupo algumas fotos de cavalo e um texto em homenagem ao amigo.




Quais outras expressões foram popularizadas pelo BTS? Conta pra gente nos comentários abaixo.

Mas a pergunta que não quer calar… Você quer ganhar álbum dos BTS, postêr, revista KoreaIN e vários presentinhos? Então clica aqui e saiba como, ou assista o video abaixo.

 

Por Naira Nunes
Não retirar sem os devidos créditos

#EsquentaBTS Um compiladinho de BANGTAN BOMBS para te tirar do tédio. 

Não tem nada pior que saber que você não fará nada no sábado a noite, seja ir pra balada com os amigos, ou ficar tranquilo vendo um filme que você queria. A KoreaIN vem para curar seu tédio com os melhores BANGTAN BOMB’s do BTS, e de quebra você já fica conhecendo ainda mais sobre o garotos (afinal, o show já está quase aí, não é?).

P.S.: prepare-se para sofrer de nostalgia!

Provavelmente o primeiro Bangtan Bomb que assisti e até hoje é um dos que mais me contagia!
O título já fala por si só, não é? Só recomendo que você não esteja bebendo nada enquanto assiste esse vídeo, o resultado pode ser trágico!

 

Da época em que o Jimin aparecia de supetão na câmera para chamar a atenção! (Ele ainda meio que faz isso…)

 

Difícil escolher o que é melhor nesse Bomb.  Vou deixar para vocês decidirem:

 

Nesse vídeo, Jimin, Jin e V usam um app de karaokê para passar o tempo.
Só digo uma coisa: se eles não conseguem cantar o próprio rap, que dirá nós, meras ARMYs?

 

Os anos passam e os meninos continuam causando com a mesma BBA SAE.
Destaque para V e Rapmon, que vão arrancar lágrimas (de riso) dos seus olhos:

 

Quando o tédio bate, o que você faz? A maknae-line brinca de esconde- esconde/Cabra-cega (enquanto ouve música clássica).

Parte 1

Parte 2

 

V e Jimin decidem acabar com a soneca dos outros integrantes. Suga, como sempre, inabalável.

 

Mais um BOMB de soneca, mas esse sempre arranca risadas pelo final! Savage Yoonji!

 

Não podia faltar coreo de girlgroup, né?

 

Se tem uma coisa rara no Kpop, é Making Of de gravação de álbum. Pro BTS, ainda bem, isso não é problema e eles mostram um pouquinho deles no estúdio enquanto trabalhavam em I NEED U:

 

Para finalizar a sessão, um Hobi bem fofinho:

 

E aí? Qual é o seu BANGTAN BOMB favorito? Compartilha com a gente nos comentários abaixo!


Por Vanessa Ferreira
Fonte: BANGTAN TV
Não retirar sem os devidos créditos