Sociedade

Dicas financeiras para não perder o próximo show de kpop no Brasil

O maior desespero dos fãs de k-pop é ter show no Brasil e não conseguirem ir por falta de grana, não é mesmo? Ainda mais ultimamente, que mais e mais artistas têm vindo para o nosso país – você tem medo de ir em um show, esperando o bias confirmar fanmeeting por aqui.
 
Logo teremos o show do grupo UNIQ e ninguém vai querer perder, certo?!
 
A KoreaIN preparou um especial para você não perder mais nenhum show do seu cantor favorito (e dos cantores que podem acabar se tornando o favorito após o show).
post-k-in-1

Confira nossas 5 dicas!

DICA 1

 
Desapegue das coisas antigas, que você possa vender e juntar dinheiro.
Livros, roupas, acessórios. Venda no sebo, no brechó, em sites de venda on-line, para as amigas ou até mesmo faça uma página no facebook ou instagram para encontrar futuros compradores. Sempre tem algo que você não usa, está em bom estado e que outras pessoas possam se interessar.
 
 
DICA 2

 

 

O importante é gerar renda. Um ‘bico’ no final de semana, um trabalho temporário, vender bolo, fazer uma rifa… Utilize seu talento e criatividade ao seu favor!
 
 
DICA 3

 

 
Quando pensamos no valor total, parece muito, mas tente pensar o quanto você deveria guardar por dia e tente economizar com antecedência. Ao invés de mentalizar o valor cheio, metas curtas e que exigem menos são mais fáceis de serem realizadas. Ás vezes você vai perceber que com menos de R$3,00 por dia é possível realizar seu sonho.
 
 
DICA 4

 

Outra forma de juntar mais dinheiro é claro, gastar menos. Mesmo que seja por pouco tempo, esqueça dos ‘rolês’ mais caros. Tente se reunir com os amigos em casa, com passeios mais econômicos. Sempre tem lugares que valem a pena serem visitados e que não pesam no bolso. Além disso, seja no lanche da tarde, sobremesa extra, manicure, etc, economize em tudo que puder.
 
 
DICA 5
Se você colocar o dinheiro em uma poupança, veja o extrato todos os dias. Se for em um cofrinho, lata, onde for, deixe em um lugar que você consiga ver sempre. Assim, você sempre se lembrará de colocar as moedas e trocos ali, e também estará pensando no seu foco o tempo todo.
 
Guardar dinheiro pode ser difícil, mas vale a pena fazer um esforço para alcançar seus objetivos.
 
Aproveite as dicas e não perca o próximo show do UNIQ no Brasil! Conheça mais sobre o grupo com o nosso parceiro UNIQ Brasil, a melhor fonte sobre os meninos com conteúdo em português
 
Nos vemos nos shows!
 
O que achou das dicas?
Se você tem mais alguma, compartilhe nos comentários.


Por Caroline Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.

 

Modelo trans debuta em novo grupo de Kpop


No último domingo (06) debutou um novo trio de kpop chamado Mercury com o single “Don’t Stop”, uma canção electro-dance produzida por OTHANKQ. Formado por Choi Han Bit, Hyena e Saehe, o conceito do grupo é de ídolos com corpo de modelos e vêm chamando bastante atenção da mídia.

Choi Han Bit

Han Bit (28), que participou no 3° ciclo do “Korea’s Next Top Model” em 2012, teve experiência no ramo quando lançou o álbum solo chamado “Not My Style” em 2015 e teve contato com a arte, no Colégio Tradicional de Dança, quando pequena. Em 2006, com o apoio de seus pais, a cantora conseguiu fazer a cirurgia de redesignação de gênero e mudou seu nome de Han-jin para Han-bit, que significa “raio de sol”. Em uma entrevista ao Korea Times em 2009, ela disse que “auto-confiança” era o mecanismo usado contra intolerância:

“Eu gostaria de aconselhar para que (as trans) não se escondam e se libertem. Com medo da atenção do público, é praticamente impossível mudar a atitude das pessoas em relação a nós.

A artista não é a primeira trans no showbusiness coreano. Lee Kyung-Eun, mais conhecida como Harisu, é uma cantora pop, modelo e atriz. Fez a cirurgia no início dos anos 90 e em 2002 se tornou a segunda pessoa na Coréia do Sul a ter adotado legalmente sua identidade de gênero. No ano de 2001, Harisu chegou à fama após ser garota-propaganda para a marca de cosméticos DoDo. Ela lançou cinco álbuns e fez parte de grandes filmes e dramas.

Além de Harisu, em 2005 foi lançado o grupo sul-coreano Lady (레이디), formado apenas por integrantes trans. As garotas chamaram muita atenção da imprensa, criando um frenesi na mídia, entretanto, só fizeram shows algumas vezes, enquanto suas músicas e vídeos não foram bem recebidos pelo país conservador. Com a tentativa de terem mais publicidade, lançaram books de fotos com nu artístico dos membros do grupo, o que também falhou. Dois anos depois a banda chegou ao fim.
     
Agora, em 2016, acredita-se que o Mercury consiga ganhar popularidade e se sobressair às visões mais críticas do país. Podemos torcer para que as meninas não sejam bombardeadas com comentários maldosos e transfóbicos.

Veja abaixo o vídeo e nos diga o que você achou!


Conferindo os comentários do youtube, pudemos notar que o grupo já conquistou muitos fãs do Brasil!


Os fãs brasileiros são sempre maravilhosos 


Por Giovanna Akioka
Não retirar sem os devidos créditos. 

As Mulheres na Sociedade Coreana: Um panorama socioeconômico

Dia 8 de março é celebrado o Dia Internacional da Mulher, e antes de flores e doces, é um dia de reflexão sobre o papel da mulher no mundo atual.

A Coreia do Sul celebrou a data pela primeira vez em 1920, mas vários foram os impedimentos para celebrar o Dia da Mulher, só voltando a acontecer em 1985. O país tem o que festejar, sendo a primeira nação a reverter à preferência de filhos sobre as filhas, mas também tem muito a avançar na política de igualdade de gênero.

O genocídio devido ao gênero (gendercide em inglês) do bebê é algo comum em países como a Índia e a China, e foi recorrente na Coreia há duas décadas. Com a introdução da ultrassonografia pré-natal disponível em clínicas de aborto, as preferências culturais e econômicas por filhos homens eram evidentes. Mas esses percentuais foram revertidos e os níveis estão atualmente próximos da média mundial (105 meninos para 100 meninas). Essa mudança também se deve aogoverno sul-coreano que fez a campanha “Ame sua Filha”.

Outros pontos foram positivos para as mulheres coreanas, as taxas de matrículas por mulheres em universidade aumentou e eles elegeram a primeira presidente do país.

Park Geun-hye em seu discurso de posse, 2013.
Primeira presidente do sexo feminino na Coreia do Sul.
Apesar disso, a sociedade coreana é fortemente patriarcal, com os salários das mulheres, se comparados ao dos homens, entre os mais baixos da Ásia. E por conta de tais disparidades surgiram grupos como o Korean Women’s Association United (KWAU), que tem contribuído para a promulgação da Lei de Prevenção e Proteção do Tráfico Sexual, outros direitos das mulheres e políticas de gênero.

O grupo KWAU aponta que a administração da atual presidente Park Geun-Hye e seu programa “Happy Pension” não é o bastante para cobrir a aposentadoria, nem eliminar o problema do trabalho irregular ou de baixa renda que a maioria das mulheres estão submetidas. E ainda frisam: “As mulheres ainda não estão livres de perigos do assédio sexual, violência sexual, prostituição e violência doméstica”.
Pobreza
Taxa de participação das mulheres na economia da Coreia do Sul é de 49,7%, significativamente menor do que a média de 64% da OECD dos estados membros.

Coreia do Sul tem a maior diferença salarial entre os países da OCDE. 2,6 vezes maior que a média de 15% da OECD, com 38,9%.

Quer mais alguns dados? Entre os trabalhadores que recebem menos que o salário mínimo, 61,5% são mulheres. 61,8% das mulheres trabalhadoras são irregulares, superando os homens em 1,5 vezes. As mulheres não conseguem encontrar bons trabalhos, sendo colocadas em más condições de trabalho e/ou ambiente. Além disso, muitas não recebem benefícios sociais para protegê-las.
Violência
Estima-se que ocorrem na Coreia do Sul 200.000 casos de violência sexual, sendo apenas 10% relatado. A taxa de acusação não ultrapassou 41% e destes apenas 1,2% dos julgados foram condenados. Assustador não é? Nada muito diferente da violência física, dos 53,8% dos casos de maus-tratos, apenas 8,3% foram reportados as autoridades. Na Coreia ainda se vê a violência sexual como algo pessoal e as políticas de prevenção e proteção às vítimas não são bem aplicadas.
Negligência e Discriminação
Mães solteiras, idosas e mães de produção independente estão se tornando cada vez mais chefes da família, porém continuam a ter pequena taxa de emprego e muitas vezes empregos de baixa renda. Apenas 58,4% de famílias que tem mulheres como chefes estão empregadas, em comparação as 85,3% das famílias que possuem homens como chefes. Além de normalmente ganhar metade dos que os homens nessa posição ganham.
Mulheres imigrantes, com deficiência e LGBTs enfrentam a discriminação social e no emprego, e não costumam ter segurança e sustento seguro.
O que fazer pra mudar esse quadro? São vários os passos a serem dados, uma mudança política e social é necessária, dar oportunidade para trabalhos regulares, diminuir (e acabar) com a lacuna salarial, programas de educação sobre a violência sexual e punições efetivas, garantia de segurança para mulheres em grupos de minoria e inclusão social são alguns dos pontos apresentados pelo site International Women’s Day em seu “9 Projetos para Criar uma Sociedade sem Pobreza e Violência Contra a Mulher”.
Confira a lista completa aqui
  
*Os dados apresentados neste artigo são de 2013.
Não retirar sem devidos créditos.
Por Amanda Carolina
Fontes: International Women’s Day, The Christian Science Monitor
Imagens: International Women’s Day, Wikipédia

6 Mulheres norte-coreanas que nos inspiram

Este artigo é uma tradução do site Liberty in North Korea

Estamos celebrando o Dia Internacional da Mulher com seis histórias inspiradoras de mulheres norte-coreanas. Para uma vida melhor, estas mulheres perseveraram por incríveis privações e agora estão buscando seu total potencial em segurança e liberdade.

Ji Young viveu a maior parte de sua vida em fome constante, foi traficada, forçada a casar com um homem que não amava, e enviada à força de volta pra Coreia do Norte.

Sua força e resistência a ajudou a fazer uma nova vida. Ela é agora uma mulher livre na Coreia do Sul.





Hae Suntrabalhou ilegalmente como vendedora nos trens da Coreia do Norte. Por isto, ela foi para a prisão quatro vezes. Ela teve que trabalhar arduamente, sofreu graves espancamentos e testemunhou pessoas morrerem na prisão.

Cansada da maneira como o governo tratou seu povo, ela decidiu fugir. Hoje ela vive na Coreia do Sul e espera frequentar a universidade e se tornar uma intérprete da língua chinesa.


Na China, Ji Yeon foi vendida para um homem chinês que não permitia que ela entrasse em contato com sua família ou saísse de casa.

No fim, ela pode escapar e agora vive em segurança na Coreia do Sul onde está livre para perseguir seu sonho de ensinar estudantes da pré-escola.

 
Depois de fugir sozinha para a China, Ae Ra foi vendida e forçada a viver sob condições piores às quais ela tinha deixado.

Desejando uma vida melhor, ela tomou a decisão de escapar com seu filho e agora está em liberdade na Coreia do Sul.



Mi Hyunpercebeu que ela não poderia ser verdadeiramente livre na Coreia do Norte.Em sua área, as mulheres não eram autorizadas a usar shorts ou brincos. Ela também não podia assistir TV, fazer telefonemas para outros países, ou falar contra a injustiça que ela via ao seu redor.

Ela decidiu escapar e agora vive livremente na Coreia do Sul, onde procura melhorar através da educação.


Yong Joo (à direita) deixou a Coreia do Norte em busca de uma nova vida. Na Coreia do Sul, casou-se com outro desertor norte-coreano e recentemente recebeu seu diploma universitário em Literatura e Literatura Chinesa.

Atualmente ela trabalha para uma das maiores companhias da Coreia do Sul e está prosperando em sua nova liberdade.






Você pode contribuir para que histórias como essas sejam reais, o Liberty in North Korea ajuda refugiados norte-coreanos alcançarem a segurança e receberem o apoio que merece,  doações aqui.



Não retirar sem devidos créditos
Texto original: Liberty in North Korea
Tradução: Amanda Carolina

Ano Novo Lunar: O ano do Macaco de Fogo

Ontem iniciou as comemorações pro Ano Novo Lunar, também conhecido como Ano Novo Chinês. O Festival de Primavera deste ano vai do dia 6 ao dia 14 de fevereiro, mas oficialmente o Ano Novo Chinês começara dia 8 e vai até dia 27 de janeiro de 2017. Cada ano é regido por um animal do zodíaco chinês e um elemento básico, este é o ano do Macaco de Fogo e que previsões ele traz para nós?

 Imagem: Ano Novo Chinês na Praça Liberdade – UOL


A História
Muitos apaixonados pela cultura ocidental conhecem a história dos signos do Ano Novo Lunar (ou quem gostava de Fruits Basket), mas vamos explanar rapidamente.
O Ano Novo Chinês segue o calendário lunar, o que faz com que a data seja diferente a cada ano. Os primeiros registros de comemorações datam de aproximadamente 2.000 anos atrás. De acordo com a civilização chinesa este é o ano de 4714, é o 83º ciclo.
A Lenda do Monstro Nian
O mito conta que um monstro chamado Nian devorava tudo que encontrava pela frente, hibernava o ano todo e uma vez ao ano saia das profundezas da floresta para alimentar-se, esta noite era sempre de lua nova. Aterrorizados, os aldeões pintavam as entradas de suas casas de vermelho, por saberem que o monstro não gostava da cor. Além disso, faziam grandes fogueiras, na qual jogavam varas de bambus para que explodissem e afugentassem o Nian. Assim surgiu o costume de celebrar o Ano Novo Lunar.

Imagem: Os 12 animais do Zodíaco Chinês – Moonlightenedshelves

Lenda dos 12 animais
A popular lenda diz que Buda deu uma festa para promover o convívio entre os animais. Apenas doze compareceram e para demonstrar sua gratidão, Buda os nomeou como signos da astrologia por sua ordem de chegada, são eles: rato, búfalo/boi, tigre, coelho, dragão, serpente/cobra, cavalo, carneiro/cabra, macaco, galo, cachorro/cão e o javali/porco.

Tradições
Uma das tradições é faxinar a casa e se livrar de tudo que não precisa, abrindo espaço para entrada do novo. Como na lenda de Nian, coloca-se tiras de papel vermelho na porta com alguns inscritos, as mensagens são ligadas a renovação e esperança. Os bambus na fogueira também deram origem a outro costume, os rojões, pois acredita-se que eles afastem os maus espíritos. Utilizar roupas novas e/ou vermelhas no primeiro dia do ano também tem relação com o mito.
Nos primeiros dias as pessoas visitam os parentes e amigos próximos, e nesta ocasião presenteiam as crianças com envelopes contendo dinheiro, este que deve ser poupado para o futuro. 

Imagem: Ano Novo Chinês na Praça Liberdade – UOL

Previsões
Imagem: Macaco – DM

O Macaco é o animal mais auspicioso do horóscopo, como nono signo da astrologia chinesa, será um ano de desafios, mudanças e muita agitação. O Macaco representa ambição, esperteza e aventura, aliado ao fogo este se torna mais agressivo e autocrítico. Isso significa mais ferocidade para alcançar seus objetivos e é um ano que pode trazer muito sucesso!

Qualquer semelhança com os novos ímpetos da KoreaIN não é mera coincidência.

Então este é o ano para quem quer correr atrás de reconhecimento e ascensão, mas lembre-se de agir com prudência, afinal é um animal impulsivo, podendo assumir grandes riscos. O Macaco de Fogo é justo e traz muita sorte e oportunidade a quem merece. Ele também é curioso e criativo, então deixem a imaginação fluir.
E que tal deixar a criatividade brotar sendo colaborador da KoreaIN? Entenda clicando aqui.

No Brasil
Quer comemorar o Ano Novo Chinês?
O Bairro Oriental irá se transformar numa “Chinatown“, não percam!

Data: 13 e 14 de fevereiro de 2016
Horário: Sábado 12h às 20h e Domingo 11h às 19h
Local: Praça da Liberdade, São Paulo – SP
Nós da Equipe KoreaIN desejamos à todos um Feliz Ano Novo Lunar para você e sua família!
Por Amanda Carolina
Fontes: DM, Zastros, Wemystic, Sociedade Taoista
Não retirar sem os devidos créditos.

10 dicas para se maquiar como um ídolo coreano

Aconteceu no Bom Retiro em São Paulo, o evento “Eu também posso ser um idol”, organizado pelos salões Jony K e Ji WeedinG em parceria com o site KoreaPost, onde a cabeleireira e maquiadora Ji Sin transformou cinco jovens voluntários com looks de verdadeiros artistas do pop coreano.
Durante o evento, os presentes puderam se atualizar sobre as tendências asiáticas, assistir o workshop de maquiagem idol muito bem detalhado e experimentar as máscaras faciais coreanas, que são muito conhecidas e utilizadas por diversas celebridades orientais.
Para a maquiadora e cabeleireira, a principal diferença entre o look coreano para o ocidental está na imagem que cada uma quer passar. As ocidentais gostam de passar a imagem de mulher madura e independente, por isso elas usam cores mais fortes como preto, cinza, prata e tons de azul. Já as orientais procuram mostrar um look mais inocente e feminino usando as cores salmão, pink, bege, pérola.
O interessante do evento foi poder mostrar as diferenças de make em modelos orientais e também ocidentais, provando que o estilo coreano de maquiagem pode muito bem se adaptar em todos os rostos.
Confira as dicas:
LOOK MASCULINO
Raphael, de 18 anos, foi o primeiro voluntário a ser maquiado. Seu cabelo natural era castanho escuro, mas para dar um visual mais original e divertido foi colorido de laranja, assim como outros idols já fizeram, a exemplo de Key do “Shinee”, L-Joe do “Teen Top” e V do “BTS”.

  • Pele: Utilize o primer antes de começar a maquiagem. Esse produto minimiza a quantidade de poros abertos, consequentemente diminuindo a oleosidade da pele. Deixe a pele em tom mais uniforme, aplicando o corretivo e a base.
  • Sobrancelhas:a tendência coreana, tanto para homens, quanto para mulheres é pintá-las um tom mais claro do que a cor do cabelo e deixa-las retas.
  • Olhos: primeiramente aplique a sombra marrom terra em todo o côncavo e próximo a linha d’agua inferior. Com o lápis preto, delineie os olhos próximo aos cílios superiores e inferiores e depois esfumace-os com um pincel.
  • Boca: a cor da boca foi apagada com o corretivo aplicado com leves toques com o dedo anelar.
  • Se necessário, utilize o bronzeador para contornar o rosto e o nariz.

LOOK FEMININO

A maquiagem da voluntária Fernanda não é muito vista no dia-a-dia coreano. Ela seria perfeita para fazer apresentações no palco, ir para festas ou sair com os amigos à noite.
  • Pele: prepare e maquie a pele com base, corretivo e pó.

  • Sobrancelhas:como dito anteriormente, a sobrancelha segue o mesmo padrão da maquiagem de Raphael, sendo um tom mais claro que o cabelo. Há também a tendência do formato, que deve ser reta.
  • Olhos: passe a sombra marrom escuro no côncavo. Depois aplique a sombra grafite por cima e em seguida com um lápis preto, delineie os olhos próximos à linha d’agua superior e depois os esfumace com um pincel. Para dar um toque de glamour, aplique um glitter leve por cima dos olhos. Cuidado para não deixar o rosto todo brilhante!
    Escolha um par de cílios postiços de sua preferência e coloque-o. 
  • Boca e blush: aplique um batom coral e utilize a mesma cor como blush. Coloque um pouco do produto no dedo anelar e espalhe-o, com batidinhas, nas maças do rosto.
  • Se necessário, utilize o bronzeador para contornar o rosto.



Lembre-se: se a maquiagem dos olhos for muito forte, para harmonizar o rosto, o blush e o batom terão que ser usados em tons mais claros. 

Confira abaixo os melhores momentos do evento!!

Por Camila Akioka
Fotos por Carol Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.

O artista chinês Cai Guo-Qiang enviou uma escada de 500 metros de fogo ao céu

Nas primeiras horas da manhã de 15 de junho, um enorme balão branco enchido com 6.200 metros cúbicos de hélio lentamente subiu ao céu de Huiyu Island Harbour, em Quanzhou, na China. Anexado a ele foi uma longa escada de 500 metros revestida completamente com detonadores de queima rápida e fogos de artifício dourados que foram então disparados pelo artista Cai Guo-Qiang, que tornou-se conhecido por suas ambiciosas obras de pirotecnia.

Sky Ladder, realizado em Huiyu Island Harbour, em Quanzhou, Fujian, 15 de junho de 2015, 04h49, aproximadamente 2 minutos e 30 segundos. Fotos por Lin Yi-Wen por e You Cai, cortesia Studio Cai.

Intitulada Sky Ladder, a escada de fogo queimou durante aproximadamente 2 minutos e 30 segundos acima do porto e foi a quarta e última tentativa de realizar a performance. Guo Qiang-já havia tentado Sky Ladder em Bath (1994), Xangai (2001), e em Los Angeles (2012), em diferentes graus de sucesso, mas nunca considerou a sua visão completa até agora. Ele primeiro imaginou uma escada de incêndio como uma criança e tem perseguido a idéia há 21 anos. Ele divide conosco sobre esta última interação bem-sucedida do evento:

Atrás da Sky Ladder estava um claro sonho da minha infância. Apesar de toda as reviravoltas da vida, sempre fui determinado em fazer isso. As minhas propostas anteriores ou foram mais abstratas ou cerimoniais. Sky Ladder hoje é real, e toca meu coração profundamente: ela carrega carinho para minha cidade natal, meus parentes e meus amigos. Em contraste com as minhas outras tentativas, o que definiu o tempo de ignição, ao anoitecer, desta vez a escada subiu em direção ao sol da manhã, levando esperança. Para mim, isso não só significa um retorno, mas também o início de uma nova jornada.




Infelizmente não há nenhum vídeo oficial do desempenho disponível ainda, mas alguns vídeos de telefone celular instáveis têm surgido. Você pode ver mais fotos da performance no site do artista. Todas as fotos por Lin Yi e Wen-You Cai cortesia do Studio Cai. (via Booooooom e ThisIsColossal)

Tradução e adaptação por Revista KoreaIN
Fonte: This is colossal

Confira tudo que rolou na seletiva do 2º Korean Pop Festival

Aconteceu no final de julho, no Teatro Gazeta em São Paulo, o 2º Korean POP Festival, o campeonato nacional de covers organizado pelo Consulado Geral da República e pelo Centro Cultural Coreano no Brasil.

O evento foi dividido em duas categorias, canto e dança, onde 16 grupos de diversos lugares do país puderam mostrar seus verdadeiros talentos e competir por uma vaga no Kpop Workd Festival, o concurso mundial de covers realizado pela emissora de televisão coreana KBS.
Este ano, oito cantores impressionaram a plateia e os jurados com tamanha técnica e habilidade. Camila do Ó ficou em 1º lugar cantando Singing Got Better da solista “Ailee”. A paulista Greice Kelly ficou em 2º lugar com a música “I have a lover” da cantora Lee Eun Mi.

Camila do Ó
Greice Kelly

Antes de começar as apresentações de dança, o coreógrafo e apresentador Sung Ju No animou todos os presentes com sua demonstração de street dance.
Após a plateia recuperar o fôlego, foi iniciada a 2ª parte do evento. O grupo ganhador do prêmio de popularidade, o Allyance, entrou no palco e dançou History da famosa boyband EXO, arrancando gritos e suspiros dos presentes.


Além do Allyance, o primeiro colocado, Legend Dance Team, que entrou com a música Overdose da mesma boyband da SM Entertainment, também arrasou no palco com sua coreografia e figurino perfeitos. O segundo colocado ficou com as meninas de Curitiba, Double Beat, que ao dançarem Danger, as vésperas do show do grupo sul coreano “BTS”, enlouqueceram os presentes.

Legend Dance Team

Double Beat

Para anunciar o vencedor do Grande Prêmio, todos foram prestigiados por uma fusão entre Brasil e Coréia do Sul com os ritmos do samba, k-pop e forró. E finalmente foi anunciado que Pammie foi a campeã geral e terá a chance de representar o Brasil no Kpop World Festival.


Após a premiação, entrou no palco a ex-jogadora de basquete Alessandra Santos de Oliveira, juntamente com a torcida do “Viva Coréia” (jovens voluntários que torcerão oficialmente pela Coreia do Sul e pelo Brasil durante as Olimpíadas de 2016 que acontecerão no Rio de Janeiro), para fazer o juramento oficial com o Cônsul Geral da Coréia, Sr. Young Jong Hong.


Houveram também sorteios de álbuns de k-pop e maquiagem coreana para a plateia, além de degustação de comida coreana. O evento foi uma excelente oportunidade para se aprofundar um pouco mais na cultura sul coreana, fechando o mês das férias com chave de ouro.


Por Camila Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.