along with the gods

Resenha: Na companhia dos Deuses – Dois Mundos combina elenco de peso e produção grandiosa em aventura sobrenatural

Um bombeiro morre ao salvar a vida de uma garotinha durante um incêndio. Essa não é uma cena rara em finais emocionantes de filmes mas, em Na companhia dos Deuses – Dois Mundos trata-se dos cinco minutos inicias da trama e que dá início à aventura de Kim Já-Hong e seu trio de advogados/guardiões sobrenaturais.

Inspirado na webcomic “Singwa Hamgge” (Com os Deuses, em tradução livre) que, por sua vez, baseia-se no dogma Budista do Carma, Julgamento e Renascimento, o longa metragem tornou-se o segundo filme mais assistido na história cinematográfica da Coreia e será uma das obras exibidas durante a Mostra de Cinema Coreano que acontece durante a próxima semana (19-22 de Junho) em São Paulo.

Na Companhia dos Deuses conta a história de Kim Ja-hong (Cha Tae-hyun), um dedicado bombeiro que morre em serviço e é levado ao submundo pelos guardiões Deok-choon (Kim Hyang-gi), Hewonmak (Ju Ji-hoon) e Gang-lim (Ha Jung-woo). É no portal do Mundo Espiritual que Ja-hong é informado de seu destino. Devido à sua morte honrosa e à vida virtuosa que levou, ele é um ‘modelo ideal’ e o primeiro candidato à reencarnação em 19 anos. Para que possa ter uma nova vida (e de quebra ajudar seus guardiões a conseguirem o mesmo), durante 49 dias, ele precisa enfrentar sete julgamentos: violência, traição, impiedade filial, assassinato, indolência, trapaça e injustiça. Os planos dos guardiões, entretanto, são interferidos por um Ja-hong que se recusa a aceitar sua condição de modelo ideal, alegando que a vida generosa não passou de uma farsa, e por um espírito vingativo que persegue o grupo e parece estar conectado ao passado familiar complicado de Kim Ja-hong, sua mãe muda e seu irmão ressentido.

O filme, que foi gravado em duas partes e promete uma sequência para agosto deste ano, conta com um elenco de primeira que, por muitas vezes, chama mais atenção que os efeitos especiais que renderam um Baeksang Award ao diretor técnico. Os veteranos Cha Tae-Hyun, Ha Jung-Woo, Lee Jung-jae (como o rei dos deuses), Oh Dal-su e Lim Won-hee (como os atrapalhados promotores do Inferno) dispensam apresentações e, como esperado, esbanjam carisma. Responsáveis por um show de atuação são, também, os atores mais jovens do longa: Kim Hyang-gi (que você também pode ver no fantástico e triste Snowy Road) rouba a cena como a guardiã assistente Deok-choon que, com sua doçura e compaixão, se recusa a perder o caso de Ja-hong; Do Kyung-Soo (sim, o do EXO!) já mostrou que tem talento de sobra e, mais uma vez, encanta a todos com o sensível e abalado soldado Won Dong-yeon; e, apesar de sua curta participação, a fofa e talentosa Kim Su-an (de Invasão Zumbi) encanta como a jovial, e ligeiramente assustadora, Deusa da Trapaça.

Na Companhia dos Deuses pode não se encaixar nos romances dramáticos ou suspenses sanguinários pelos quais a Coreia do Sul é conhecida, mas o sensacional elenco aliado à mensagem moral “Seja uma pessoa decente e cuide dos seus pais!” deixam uma sensação agradável ao final do filme e as cenas finais, que mostram um pedacinho da sequência (Na Companhia dos Deuses – os 49 dias finais) deixam a audiência com gostinho de quero mais.

Por: Jeiciane Torres
Não retirar sem os devidos créditos.

Filmes coreanos premiados são parte de mostra de cinema gratuito em São Paulo

O Consulado Geral da Coreia do Sul em parceria com o Centro Cultural São Paulo, trazem grandes obras do cinema coreano para mostra gratuita em São Paulo. No mês de junho, filmes premiados que dominaram os cinemas coreanos principalmente em 2016 e 2017, serão apresentados entre os dias 19 e 22 no CCSP.

Além da apresentação dos filmes, o aclamado diretor coreano Jung Huh terá uma sessão de debate com os presentes após a exibição de seus dois sucessos Esconde-Esconde (Hide and Seek, 2013) e O Mímico (The Mimic, 2017). Nascido na Coreia do sul em 1981, Huh estreou como diretor de longa-metragem em 2013. Com atores desconhecidos, o thriller marcou o público e colocou o diretor no centro das atenções, ganhando o prêmio de Melhor Novo Diretor na Associação Coreana de Críticos de Cinema.

Os ingressos para as sessões podem ser retirados na bilheteria do CCSP, porém o debate com o diretor possui vagas limitadas e você deve encaminhar sua incrição antecipadamente para o email contato@kccbrazil.com.br .

A mostra traz blockbusters recentes com atores e diretores renomados. Confira a programação e filmes que serão exibidos:

 

Esconde-Esconde
Jung Huh
2013 | 107 min | Suspense
Sung-soo tem tudo: uma bela mulher e filhos, uma casa confortável e um carro de luxo, e muito dinheiro no banco. Quando descobre que seu irmão afastado desapareceu, Sung-soo visita seu apartamento em busca de respostas e encontra estranhos símbolos escritos sob as campainhas, e os vizinhos aterrorizados que trancam suas portas à visão de um estranho. Com seus próprios pesadelos saindo do controle, Sung-soo deve encarar seus medos mais primitivos para revelar a chocante verdade por trás do terror cada vez mais intenso. Esconde-Esconde é um elogiado thriller que conseguiu a oitava posição na lista de filmes que mais arrecadaram na Coreia do Sul em 2013, além de ser o thriller que arrecadou dinheiro mais rápido na história do cinema coreano.

O Mímico
Jung Huh
2017 | 100 min | Suspense
Uma mulher com o filho desaparecido adota uma garota que ela achou próxima a uma misteriosa montanha cujas lendas dizem que vive uma criatura mística que mimetiza os humanos. Novo filme do diretor do hit Esconde-Esconde.

O Túnel
Kim Seong-hun
2016 | 126 min | Drama
Jung-su (Jung-woo Ha) é um vendedor de carros. Certo dia, ele sai de seu trabalho e vai o mais rápido possível para casa, tentando chegar a tempo de comemorar seu aniversário com sua família. No entanto, algo bizarro e inesperado impede a conclusão da jornada de Jung-su: um túnel despenca, deixando o homem preso nos escombros.

Eu posso falar
Hyun-seok Kim
2017 | 119 min | Comédia/Drama
O filme conta a história de uma senhora de idade e um jovem oficial em serviço. Eles ficam amigos quando a senhora começa a ter aulas de inglês com o oficial. Eventualmente, o oficial acaba descobrindo as verdadeiras razões pela qual a senhora resolveu aprender inglês. O filme ganhou os principais prêmios da academia cinematográfica coreana, além de diversos prêmios para a atriz principal do filme.

Companhia dos Deuses, Dois Mundos
Kim Yong-hwa
2017 | 139 min | Drama/Fantasia
O primeiro filme da Coreia do Sul a ser produzido como uma franquia. O filme segue a jornada de Ja-hong, um bombeiro que após ser morto inesperadamente, é levado ao encontro com os Deuses no submundo espiritual para reencarnar como herói. Para isso ele precisa superar sete testes no período de 49 dias.

Olhos Frios
Ui-Seok Jo , Byung-seo Kim
2014 | 119 min| Ação
Uma gangue de assaltantes, liderada por James (Woo-sung Jung), está comentando grandes furtos. Para impedi-los a unidade do Departamento de Crimes Especiais da polícia coreana organiza uma operação sem falhas para captura-los através de um grande sistema de vigilância. Há Yoon-joo (Hyo-ju han) se junta ao Chefe Hwang (Kyung-gu Sol), líder da unidade e da missão de caçar James.

Motorista de Taxi
Hun Jang
2017 | 137 min | Histórico/Ação
Em maio de 1980, um taxista de Seul recebe uma proposta de um repórter estrangeiro que consiste em transportá-lo para Gwangju e depois voltar para o local de origem por uma bagatela que cobrirá meses de seu aluguel pendente. No local, o taxista descobre uma realidade que ainda não conhecia: a ditadura militar na Coreia, quando centenas de civis foram massacrados pelo governo.

Serviço:

Mostra de Cinema Coreano
Data: 19 a 22 de junho de 2018
CCSP – Centro Cultural São Paulo – Av. Vergueiro, 1000 – Paraíso
Entrada Franca
Mais informações: (11) 2893-1098 ou contato@kccbrazil.com.br

 

Por Caroline Akioka
Não retirar sem os devidos créditos.