A cara da voz: conversamos com os dubladores de “Descendants of the Sun”

O premiado kdrama “Descendants of The Sun” (“Descendentes do Sol”, como foi traduzido no Brasil) foi dublado e exibido no Centro Cultural Coreano no Brasil (CCCB), em São Paulo. Conversamos com parte do elenco de dubladores brasileiros para saber mais como foi essa experiência.
Dublador do capitão Yoo Si-jin (Big Boss), a voz de Lucas Gama está em alta após dublar o vilão Bryce Walker, da série do Netflix13 Reasons Why“. Sua voz pode ser ouvida também em animes como “Pokémon” (treinador Shammus e participações), “Diabolik Lovers” (Shu) e “Cyborg 009” (009).
Lucas Gama, dublador do Big Boss.
Tenho cada personagem como se fosse um filho meu, teve sim os mais marcantes, mas eu os amo por igual“, contou o ator, que admira no protagonista sua confiança, força de vontade e caráter. No entanto, ele faz uma ressalva: “O que eu não gostei, mas sei que é uma coisa deles, foi tratar a mulher como objeto. Dizia que ela era dele, sendo que eles não tinham nada. Isso me irritava“. Mesmo com a diferença cultural e apesar de não conhecer kdramas até então, a série o tocou. “Fiquei frustrado, alegre e torci pelos mocinhos. Realmente embarquei na história.
“Tenho cada personagem como se fosse um filho meu, teve sim os mais marcantes, mas eu os amo por igual.” – Lucas Gama
Para o dono da voz de Seo Dae, Léo Joke Caldas, que dubla desde os 7 anos, não houve muita semelhança entre ele e o personagem, que é mais sério do que o dublador na vida real. Sua cena favorita está em um momento de descontrole de seu personagem durante um ataque à usina.
Léo Caldas, dublador do Seo Dae.
Não foi só a história que encantou o elenco. Léo Caldas sabia da força da cultura sul-coreana e do KPOP entre os jovens, mas só tinha contato com a Coréia do Sul por causa de um jogador de futebol da Copa do Mundo, Park Ji-Sung. Mesmo assim, ele ficou logo encantado pelas músicas. “Achei bem legal a série, é bem feita. Gostei das músicas. O pessoal do estúdio da BKS ficava ouvindo direto”, contou ele, que também dirigiu a série ao lado de Ramón Campos e Gabriel Noia. Como o público não era infantil, não houve a necessidade de fazer versões em português das canções.
“Gostei das músicas. O pessoal do estúdio da BKS ficava ouvindo direto” – Léo Caldas
Acostumados a dublar com base em áudios em inglês e espanhol, o idioma coreano foi uma dificuldade para todos. “Sofri muito para poder encaixar o português na boca (do personagem). Teve momentos que era impossível, mas conseguimos. O texto também é uma grande dificuldade, pelo fato de sempre faltar alguma palavra, às vezes o que o personagem fala se resume a uma única palavra do português ou o contrário”, contou Lucas, divertindo-se.
Outra dificuldade apontada pelo elenco foi a charmosa “cantadinha” que os coreanos dão no final das frases, que dificultam a entonação no português. E quanto aos termos hierárquicos coreanos? O dublador de Seo Dae explica que o trabalho de adaptação é feito em conjunto com os tradutores do roteiro, com quem os atores não têm um contato direto. A prioridade dos atores foi transmitir, em português, o que era pretendido nas cenas, não replicar as palavras em coreano. Por esse motivo, os termos foram adaptados ou excluídos.
Os personagens Seo Dae-young (esquerda) e Yoo Shin-jin (direita).
Não nos prendemos muito a isso ou não passaria a ideia de que estava sendo dublado. Fizemos uma versão brasileira de acordo com o diálogo deles, o mais próximo possível.” Léo revelou também que foram utilizadas gírias e referências à cultura brasileira para aproximar o público das piadas internas da série, para que o tom de humor da cena fosse preservado.
O processo de dublagem durou cerca de três meses, sendo concluído no final de janeiro. Dois dos episódios estão disponíveis no Centro Cultural Coreano no Brasil, localizado na Santa Cecília, em São Paulo. Para assistir, basta solicitar a um dos funcionários. A equipe do CCCB revelou também por que resolveu exibir o kdrama dublado: “No Brasil, nos canais abertos e pagos ainda há demanda muito grande pelos seriados dublados do que os legendados”.
Se é assim, como os fãs podem fazer para exigir mais conteúdo coreano em português no Brasil? Não adianta cobrar dos estúdios. É o cliente (no caso, a KBS), quem procura o estúdio e o estúdio repassa o trabalho aos dubladores. O diretor recomenda que os fãs procurem a produtora para solicitar que o material venha para o Brasil.
Soo Shi-jin e Kang Mo-yeon, o casal principal da trama.
Felizmente, o mercado está acordando. Novos kdramas estão sendo dublados e devem dar as caras em breve, mas não é possível obter muitas informações por enquanto por questões contratuais. Vamos ficar ligados!
Por Juliana Butolo
Não retirar sem os devidos créditos.
O Portal KoreaIN é dedicado a divulgar todo tipo de informação e noticia sobre a Coreia do Sul e sua cultura.
  • marilia

    Seria maravilhoso se dublassem Moon Lovers ❤

  • Manuella Bianor Garcia

    Sou apaixonada pela Song Hye Kyo por causa de Descendants of the Sun. Apaixonada pela Coréia e viciada em kdramas. Fico feliz em saber que tentaram fazer com DOTS excelente drama.