Cultura Sociedade

6 Mulheres norte-coreanas que nos inspiram

Este artigo é uma tradução do site Liberty in North Korea

Estamos celebrando o Dia Internacional da Mulher com seis histórias inspiradoras de mulheres norte-coreanas. Para uma vida melhor, estas mulheres perseveraram por incríveis privações e agora estão buscando seu total potencial em segurança e liberdade.

Ji Young viveu a maior parte de sua vida em fome constante, foi traficada, forçada a casar com um homem que não amava, e enviada à força de volta pra Coreia do Norte.

Sua força e resistência a ajudou a fazer uma nova vida. Ela é agora uma mulher livre na Coreia do Sul.





Hae Suntrabalhou ilegalmente como vendedora nos trens da Coreia do Norte. Por isto, ela foi para a prisão quatro vezes. Ela teve que trabalhar arduamente, sofreu graves espancamentos e testemunhou pessoas morrerem na prisão.

Cansada da maneira como o governo tratou seu povo, ela decidiu fugir. Hoje ela vive na Coreia do Sul e espera frequentar a universidade e se tornar uma intérprete da língua chinesa.


Na China, Ji Yeon foi vendida para um homem chinês que não permitia que ela entrasse em contato com sua família ou saísse de casa.

No fim, ela pode escapar e agora vive em segurança na Coreia do Sul onde está livre para perseguir seu sonho de ensinar estudantes da pré-escola.

 
Depois de fugir sozinha para a China, Ae Ra foi vendida e forçada a viver sob condições piores às quais ela tinha deixado.

Desejando uma vida melhor, ela tomou a decisão de escapar com seu filho e agora está em liberdade na Coreia do Sul.



Mi Hyunpercebeu que ela não poderia ser verdadeiramente livre na Coreia do Norte.Em sua área, as mulheres não eram autorizadas a usar shorts ou brincos. Ela também não podia assistir TV, fazer telefonemas para outros países, ou falar contra a injustiça que ela via ao seu redor.

Ela decidiu escapar e agora vive livremente na Coreia do Sul, onde procura melhorar através da educação.


Yong Joo (à direita) deixou a Coreia do Norte em busca de uma nova vida. Na Coreia do Sul, casou-se com outro desertor norte-coreano e recentemente recebeu seu diploma universitário em Literatura e Literatura Chinesa.

Atualmente ela trabalha para uma das maiores companhias da Coreia do Sul e está prosperando em sua nova liberdade.






Você pode contribuir para que histórias como essas sejam reais, o Liberty in North Korea ajuda refugiados norte-coreanos alcançarem a segurança e receberem o apoio que merece,  doações aqui.



Não retirar sem devidos créditos
Texto original: Liberty in North Korea
Tradução: Amanda Carolina

Naira Nunes

Publicitária, redatora e diretora de arte, sou CEO e fundadora da KoreaIN, a primeira revista brasileira sobre música e cultura asiática.

Você também pode gostar...