10 músicas de k-pop com elementos de músicas tradicionais coreanas

Criado na década de 90, o KPOP já passou por várias fases e incorporou elementos de várias culturas, principalmente o hip-hop americano. Na contramão dessa tendência, também é possível encontrar músicas com elementos e influências da música tradicional coreana, como o uso do gayageum, instrumento parecido com uma cítara bastante famoso para compor covers de hits no Youtube, e a incorporação de elementos de outros gêneros, como o folk, por exemplo. 

Veja também: 5 covers INCRÍVEIS de KPOP em Gayageum

Listamos aqui algumas músicas de KPOP que conseguiram inovar e olhar para o passado pra provar que dessa mistura só sai música boa:

Infinite – The Chaser (2012)

O som agudo que pode ser ouvido ao fundo é o do haegeum, instrumento de cordas parecido com um violino. Além disso, o grupo incorporou uma frase de um canto do folk coreano no pré-refrão, “eogiya diyeoracha” que pode ser ouvida em algumas músicas do gênero, como em 뱃노래 자진뱃노래 (Música de viagem) de Kim Young In.


G-Dragon – Niliria (2013)

O hit do álbum Coup d’Etat também traz elementos da música folk. Se durante a música ela se mescla com as batidas do rap, no início conseguimos ouvir claramente o canto que lembra o estilo do clássico de Kim Young In. Uma mistura perfeita de ritmos que só ganha com a participação da rapper americana Missy Elliot.


OS MELHORES PRODUTOS DE KPOP VOCÊ ENCONTRA AQUI!

ToppDogg – Arario (2014)

Se G-Dragon e Infinite apenas usaram elementos tradicionais em suas músicas, o ToppDogg ousou espalhá-los por toda a melodia e MV de Arario. Além do gayageum, também podemos ver e ouvir várias percussões e o som do piri, uma flauta de bambu com um som bastante agudo que pode ser ouvida no fim da música. Já o MV traz o grupo e músicos vestidos com trajes típicos e uma coreografia com os leques em uma referência ao buchaechum.


Dreamcatcher – PIRI (2019)

Falar em piri é impossível não lembrar do single do Dreamcatcher que o inclui no título. Além do som da flauta incorporado às famosas batidas pesadas características do som do grupo, a coreografia também imita o movimento de tocar o instrumento.



VIXX – Shangri-La (2017)

Mesmo tendo sido inspirado em uma fábula chinesa, o MV de Shangri-La também traz leques na coreografia que lembram o buchaechum. O figurino usado pelo grupo é uma versão modernizada do hanbok. Quanto à melodia, o som do gayegeum embala perfeitamente os vocais do sexteto.


Monsta X – Follow (2019)

O Monsta X também aderiu aos hanboks estilizados para o MV de Follow, dando um ar sofisticado ao figurino dos integrantes. As coisas, porém, não param por aí. A melodia traz o som tradicional do taepyeongso,  um instrumento de sopro da família do oboé, que enriquece a batida da música.


Super Junior T – Rokkugo (2009)

Em 2009, a sub-unit do Super Junior, formada por Leeteuk, Heechul, Kangin, Shindong, Sungmin e Eunhyuk lançou Rokkugo. A letra T do nome da unit remete ao ritmo escolhido para ser trabalhado pelo grupo: o trot, considerada a forma mais antiga de música pop. Originada nos anos 1900, durante o domínio japonês no país, têm forte influência de elementos ocidentais em batidas animadas.


Crayon Pop – Uh-ee (2014)

Também seguindo a influência do trot, o Crayon Pop lançou Uh-ee. Aqui, porém, o ritmo ganha uma versão mais modernizada com batidas eletrônicas incorporadas nos instrumentais.



TVXQ – Maximum (2011)

O TVXQ também adotou o som do gayageum na introdução de Maximum. O grupo, com quase 17 anos de carreira, ainda impressiona pela qualidade e estilo único nas músicas.


T-ARA N4 – Jeon Won Diary (2013)

A unit do T-ARA não pegou muito da influência da música tradicional coreana no instrumental de Jeon Won Diary, mas sim no visual. O MV mostra cenas cotidianas e paisagens que estamos tão acostumados a ver em doramas e filmes. Há até mesmo uma referência à Kim Wansun, cantora conhecida como “a Madonna coreana”.


Fontes: (1), (2)
Não retirar sem os créditos.

Últimas notícias