K-pop

Park Kyung (Block B) se desculpa por praticar bullying na época da escola

Park Kyung (do Block B) divulgou nesta terça (29) uma nota se desculpando após acusações de que praticava bullying na época da escola. A denúncia foi feita na segunda no Instagram por uma pessoa que diz ter estudado com o cantor e o acusava de praticar violência.



De acordo com o denunciante, Kyung e seu grupo de amigos pegavam dinheiro e pertences de outros alunos no portão dos fundos da escola. Além disso, Kyung também fumava e bebia desde o ensino fundamental. O denunciante também divulgou que Kyung gabava-se de ter feito sexo com alunas de outras escolas, já que a sua era exclusiva para garotos.

O post lia-se: “Park Kyung era uma pessoa assustadora para alunos mais fracos. Ele batia em alunos deficientes e em mais novos, até mesmo entre seus colegas de sala, ele escolhia os alunos menores ou que parecessem mais fracos e batia neles.

Os alvos de Park Kyung na escola teriam ficado desapontados quando o viram ficar famoso, descrevendo-o como hipócrita e falso. Segundo eles, esperam que o astro mostre arrependimento. Em uma edição no post, o denunciante disse que não denunciaram o caso antes, enquanto o cantor promovia com o Block B, porque as memórias não foram tão dolorosas. Isso mudou apenas recentemente quando a mídia começou a considerá-lo “justo e cavalheiro”. Ele ainda escreveu: “Park Kyung sabia que suas vítimas estavam por aí há dois, três anos atrás. E visitou-os para tentar fazê-los ficarem calados.

O cantor usou suas redes sociais para divulgar uma declaração sobre o caso. Leia-se:



Olá, aqui é Park Kyung

Vi que um post sobre meus dias de escola foi feito.

Sinto muito. Peço sinceras desculpas para as pessoas que foram machucadas por causa de mim naquela época e para as pessoas que têm se machucado por causa das memórias daquele tempo voltavam toda vez que me viam.

Quando eu estava no ensino fundamental, eu era uma criança que só estudava. Mas, por alguma razão, fui provocado e menosprezado por outras crianças da minha idade por causa disso.

Eu era menor que meus colegas, e levei essas memórias comigo quando fui para o fundamental dois.

Eu odiava ser visto com o “aluno exemplar” e gostava de atenção, e achava as crianças bagunceiras legais.

Eu queria me encaixar no grupo deles e fiz coisas horríveis com eles. Achava que, se estivesse com eles, as pessoas não passariam por cima de mim.

Me arrependo imensamente da minha imaturidade na minha juventude.

Estou ciente que enquanto eu vivia ocupado, as pessoas que machuquei nunca conseguirão esquecer essas memórias e que tal dor nunca será justificada.

Peço que àqueles que foram machucados por mim entrem em contato comigo diretamente ou pela minha agência. Quero encontrá-los pessoalmente para me desculpar e pedir perdão.

Estava com medo que, depois de lerem esse comunicado, vocês pensem que sou inconsistente ou que “foi tudo fingimento e ele estava sendo falso”. Porém, acho que seria mais vergonhoso se tivesse divulgado meu comunicado pela minha agência, então estou divulgando diretamente.

Peço desculpas mais uma vez.

Fonte: (1)
Não retirar sem os devidos créditos.

Greyce Oliveira

Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.

Você também pode gostar...