Cultura

Conheça as superstições mais curiosas da Coréia do Sul

Superstições existem em todos os países, e a Coréia do Sul não fica de fora. Crenças são criadas pelos seres humanos desde a antiguidade, o que remota a tradição de contar histórias via oral. Mesmo que você não seja supersticioso ou acredite em todas, conhecer as superstições de um país pode ajudá-lo a evitar situações embaraçosas, além de ser considerado um gesto de respeito e sensibilidade àquela cultura.

Neste post, a KoreaIN compilou diversas superstições interessantes e curiosas em 10 categorias – com nível de intensidade progressivo, culminando em morte!



Para manter um bom relacionamento


Deoksugung – o caminho do divórcio

Se você está vivendo um relacionamento bacana e quer mantê-lo assim, é muito importante que você evite dar sapatos de presente: significa que ele ou ela irá para longe de você, talvez justamente calçando o par de sapatos! Outra dica interessante é que as mulheres nunca ofereçam asas de frango para seu parceiro, pois com a barriga cheia de “asas”, ele irá voar para longe.

Outra superstição para evitar a separação do casal é não caminhar juntos por Deoksugung. Antigamente, era por essa via que os casais percorriam para pedir o divórcio na corte de Seul, portanto, segundo a crença, haverá separação em algum momento se optar por seguir por Deoksugung. Vale ficar esperto também se a pessoa tem pintas perto da boca, é mais provável que seja infiel.


Rituais antes das provas

Yeot a bala que faz o conhecimento grudar

Estudar é sempre importante, mas se podemos contar com a ajuda misteriosa das superstições, por que não? Para ajudar a manter o conhecimento na cabeça durante os vestibulares, os coreanos preferem comer alimentos “pegajosos” antes do teste, em especial a bala puxa-puxa Yeot, a preferida para esses casos. Ao mesmo tempo, evita-se alimentos “escorregadios”, como algas, pois o efeito será oposto.

Outra dica interessante é não lavar o cabelo antes da prova, pois tudo o que você aprendeu escorrerá pelo ralo. Isso vale também para o Ano Novo: por mais que pareça uma boa ideia começar o ano com a cabeça limpa, se você lavar os cabelos, lavará sua sorte também!



Cuidados com a casa

Comece sua mudança de casa com o pé direito

Está mudando de casa? Opte por realizar a mudança em “dias bons”, conforme a lista de bons e maus dias fornecida pela empresa de mudança. Se estiver chovendo, melhor ainda! Acredita-se que as gotas de chuva simbolizam boa sorte, bênçãos e riqueza. Não esqueça também de nunca colocar um espelho em frente à porta, pois a boa sorte irá se desviar – muitos outros países adotam essa dica também. Antes de sair da casa antiga, não faça a limpeza, pois os espíritos perceberão e irão junto com você para o novo lar.


Fique atento a esses animais

Sonhe com porcos!

Não é incomum que as superstições envolvam animais, no caso da Coréia do Sul, a mais conhecida – e curiosa – é sobre borboletas. Elas parecem inofensivas, mas se você tocar em uma e depois tocar seus olhos, você ficará cego! Por outro lado, um animal que representa coisas boas é o porco: na cultura coreana, eles são símbolo de riqueza e fertilidade. Então lembre-se: sonhar com porcos atrai fortuna e bons presságios!

Os pássaros merecem atenção também, especialmente ao sair de casa. Corvos são símbolos de má sorte e presságios da morte, se você vir um deles olhando para você ao sair de casa pela manhã, volte para dentro imediatamente, pois seu dia será ruim. No entanto, se você vir um pombo, fique tranquilo: eles trazem boa sorte e boas notícias, seu dia tem tudo para ser positivo.



Durante as refeições

Pauzinhos na vertical na tigela de arroz

젓가락 (jeotgarak) são os famosos “pauzinhos” utilizados nas refeições, conhecidos também como “hashi” (Japão). Quanto mais perto da ponta você segurá-lo, mais tempo terá que esperar para se casar. Não é tão ruim, certo? Mas saiba que você não deve deixá-los na vertical em uma tigela de arroz, pois a reminiscência da morte pode deixar os outros desconfortáveis. Isso porque, como em muitas culturas asiáticas, palitinhos de incenso são colocados em tigelas semelhantes para honrar os antepassados.


Números

Número 4 substituído pela letra “F”

Na Coréia, o número quatro é considerado tão azarado que muitos edifícios públicos e elevadores trocam o “4” por “F”. Essa superstição tem origem na China, onde a pronúncia do número quatro é semelhante à palavra “morte”. Por outro lado, o número oito é símbolo de boa sorte e riqueza. Uma das crenças de que essa superstição pode mesmo ser verdade é pelo fato de a data de nascimento de G-Dragon (18 de agosto de 1988) ter muitos números oito e ele ser um artista muito talentoso e bem-sucedido.



Cuide bem das suas pernas

Balanças as pernas sacode sua sorte

Todos nós balançamos as pernas de vez em quando, seja por nervosismo ou insegurança, mas segundo essa superstição, é um hábito que precisa ser combatido: afastará toda a sua boa sorte. Na cultura coreana, o sucesso e as prosperidade estão nas pernas dos seres humanos, se sacudi-las, fará o mesmo com sua sorte!

Outra superstição relacionada às pernas é sobre não pisar na soleira da porta. Durante a época da invasão mongol na Coréia, o corpo do falecido permanecia na casa por algum tempo até ser levado para fora. Assim que o caixão cruza a soleira da porta da frente, cruza-se também a fronteira entre os mundos dos vivos e dos mortos. Pisar nesse limiar traz maus presságios.


Coisas para não fazer à noite

Não corte as unhas à noite!

A noite sempre foi associada a mistérios, mas existem certas ações aparentemente inofensivas que os coreanos não fazem nesse período. Se você assobiar, corre o risco de atrais espíritos malignos e cobras para sua casa. Cortar as unhas é outra ação que deve ser evitada: depois de comê-las, os ratos se tornaram um ser humano que se parece com você e, em seguida, roubar sua alma! Talvez essa seja apenas uma prática para evitar cortar as unhas no escuro e deixá-las no chão, mas é bom evitar, por via das dúvidas.



Não escreva nomes em vermelho

Nomes em vermelho

Embora seja uma crença que diminuiu ao longo dos tempos, ainda é considerado um tabu escrever o nome de alguém em vermelho. Historicamente, a tinta vermelha era usada para escrever os nomes dos familiares falecidos no registro familiar. Quando você escreve o nome de uma pessoa viva em vermelho, é como se estivesse desejando sua morte, algo que pode trazer bastante desconforto a quem estiver perto.


Ventilador da morte

Ventilador da morte

Um eletrodoméstico comum e altamente perigoso na Coréia é o ventilador. A superstição remota à primeira aparição do ventilador elétrico no país, no início do século XX. Em 1927, um artigo publicado em um jornal de circulação nacional alertava os leitores de que a nova tecnologia trazia sérios riscos médicos quando utilizada em uma sala com portas e janelas fechadas, gerando náusea, paralisia facial e até asfixia.

Isso aconteceria porque o ventilador iria circular apenas o ar antigo na sala, não trazendo oxigênio novo, de modo que a pessoa seria sufocada com seu próprio dióxido de carbono. Não há evidências científicas sobre isso, mesmo assim, até hoje você pode comprar um ventilador na Coréia do Sul com um cronômetro embutido, para que você possa desligá-lo antes de dormir ou configurá-lo para que ele faça isso sozinho.

Uma crença alternativa para a superstição dos ventiladores é de que a ideia de morte foi promulgada pelo próprio governo sul-coreano para limitar o uso de energia elétrica durante a crise dos anos 1970. No entanto, quando a morte de fãs é noticiada pela mídia nos meses de verão, a responsabilidade pode ser dos tais ventiladores. Cuidado!

Fontes: (1); (2); (3); (4)
Fotos: Reprodução.
Não retirar sem os devidos créditos.

Karina Giannini Beraldi

Escritora de romances ainda não publicados, jornalista da vida e poeta de lua - sempre com um cházinho ao lado.

Você também pode gostar...