Seungri encara segunda audiência sobre 8 acusações e se diz inocente de 7

Na noite de ontem, Seungri (ex-membro do BIGBANG) compareceu ao tribunal para a segunda audiência como réu.

Em ambas audiências, Seungri chegou à Corte em uniforme militar e, segundo relatos, ele respondeu às perguntas com tranquilidade.


1ª audiência – 16/09/2020

Na primeira audiência Seungri recebeu 8 acusações, sendo: violação de crimes econômicos específicos (peculato), violação da Lei de Saneamento Alimentar (na boate Monkey Museum), desfalque em negócios, violação da lei especial para punição de crimes de violência sexual (foto tirada sem consentimento e consumo de prostituição), jogo de apostas habitual, violação da Lei de Transações de Câmbio e violação da Lei de Arranjo de Prostituição (mediação de prostituição). Seungri se declarou inocente de 7 entre as 8 acusações.

Esta matéria acompanha um glossário abaixo, com explicações e detalhamentos sobre cada acusação.



Apesar das oito acusações, Seungri apenas alegou ser culpado na Lei da Transação de Câmbio, que nada mais é que, após ganhar dinheiro em outro país, ele não teria tributado o valor quando retornou a Coreia e negou todas as outras, alegando inocência sobre elas.

É relatado que entre dezembro de 2013 a agosto de 2017, ele teria gasto 2,2 bilhões de won em jogos de azar com frequência, enquanto jogava várias vezes em cassinos em Las Vegas, EUA. Infringindo a violação da Lei de Transações de Câmbio. O advogado de Seungri negou que as acusações de jogo de apostas eram algo habituais, “ele admite que jogou, mas não era algo habitual.

Sobre a suspeita de tirar e enviar uma foto sem conhecimento da outra pessoa, ele afirmou que não se tratava de uma foto tirada por Seungri, dizendo: “Não foi uma foto tirada por Seungri, a foto compartilhada foi tirada com o objetivo de divulgar o centro de entretenimento.”



Quanto às alegações de mediação da prostituição para empresários taiwaneses e japoneses, ele também negou alegando que “não havia motivo para entretenimento sexual e o acusado nunca participou dos atos de Yoo In-Seok”.

Yoo In Seok, também conhecido como David Yoo, é marido da atriz Park Han Byul e admitiu todas as acusações sob ele, incluindo peculato, prostituição, violação das leis de segurança alimentar e restrições econômicas. Yoo In Seok era dono da Yuri Holdings e ex-sócio de Seungri no empreendimento.


yooin-1557809673274640699631-15911758628491155525062
Yoo In Seok via: SEGYE.com

Além disso, em relação à alegada violação da lei (peculato) em relação à punição agravada de certos crimes econômicos, ele disse: “A movimentação da Burning Sun Entertainment para o Monkey Museum foi legalmente usada de acordo com o contrato de uso da marca. Também não havia motivo para peculato.” O desfalque teria sido de mais de 528 milhões de won.



2ª audiência – 14/10/2020

Para a segunda audiência, o tribunal convocou 22 testemunhas para as 8 acusações. As testemunhas ouvidas na audiência de hoje foram em relação aos crimes econômicos os quais Seungri está sendo acusado.

Segundo relatos, o advogado de Seungri adicionou uma grande quantidade de evidências, incluindo novas, como a foto promocional do Monkey Museum apresentada pelo promotor militar, que seguiram para verificação de veracidade.

Dentre as 22 testemunhas, 7 testemunharam sobre a mediação da prostituição, prostituição e filmagens ilegais, incluindo os réus Yoo In-seok, Jung Joon-young e Kim In-cheol, 6 testemunhas relacionadas a violações da Lei de Saneamento Alimentar e mais 7 testemunhas relacionadas a violações da lei sobre punição agravada por crimes econômicos.

O julgamento está programado para continuar semanalmente a partir de 12 de novembro, para interrogatório de testemunhas relacionadas à acusações de prostituição e filmagens ilegais.



Como ninguém é obrigado a saber termos jurídicos que não estamos familiarizados, segue um glossário que vai te ajudar a entender o que cada acusação contra o Seungri trata.

Peculato, segundo Google, é o “desvio de dinheiro público ou de coisa móvel apreciável, para proveito próprio ou alheio”.

Lei de Saneamento Alimentar: esta lei enquadra as condições de higiene e sanitárias de um estabelecimento;

Lei Especial de Crimes de Violência Sexual: neste caso em específico, a lei enquadra fotos tiradas sem o consentimento e ter contratado serviço de prostituição;

Jogo de Apostas Habitual: para um cidadão coreano, é proibido o jogo de apostas, sendo a frequência um agravante. Seungri admitiu que apostava quando ia à Las Vegas, mas não era frequente.

Lei de Transação de Câmbio, (a única que Seungri se declarou culpado): ganhar dinheiro em outro país e não tributar o valor quando retornou ao seu país;

Lei de Arranjo de Prostituição: a lei enquadra aqueles que mediam o serviço de prostituição para si e/ou para terceiros.

Fontes: (1), (2), (3), (4)
Não retirar sem os devidos créditos.