loader image

Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Entretenimento

PLEDIS anuncia hiatus de Mingyu (SEVENTEEN) e comenta casos de bullying

Pledis Entertainment divulgou no dia 28 de Fevereiro uma nova declaração oficial sobre sua posição em relação às acusações de violência escolar que foram feitas contra Mingyu, integrante do grupo SEVENTEEN.

O novo depoimento vem após a Pledis Entertainment ter negado em 26 de fevereiro, que a publicação acusatória feita em 22 de fevereiro, contra Mingyu, era falsa. No post de acusação, o criador escreveu sobre um estudante autista que foi vitíma de Mingyu, acusando o ídolo de praticar bullying. Outra pessoa postou no Instagram sobre uma vez ter sofrido assédio sexual de Mingyu e seu amigo na escola.



Leia na íntegra a declaração mais recente da Pledis Entertainment abaixo.

“Olá.
Aqui é a Pledis Entertainment.

Anunciamos nossa posição sobre as reivindicações que foram postadas on-line sobre a época que o integrante do SEVENTEEN, Mingyu, foi estudante escolar.
Em primeiro lugar, pedimos desculpas por não podermos compartilhar nossa posição mais prontamente.

Depois das alegações feitas recentemente, checamos com o próprio artista e adotamos procedimentos adicionais para verificar os fatos. No processo, confirmamos que há uma discrepância entre o que foi postado e o que verificamos com o artista.


Como há muitas questões sendo levantadas socialmente em relação à violência escolar, decidimos que era de extrema importância verificar os fatos exatos do assunto e atualmente estamos realizando medidas para verificar todos os casos. Pedimos desculpas pelo atraso no anúncio de nossa posição devido a este processo.

Conforme dito acima, utilizamos várias formas de contatar os envolvidos no caso, a fim de verificar os fatos exatos e atualmente estamos em contato com eles. Verificamos com os ex-colegas de classe do artista e outros conhecidos sobre as circunstâncias da época.

Para explicar primeiro o que foi confirmado até agora, foi dito que o artista intimidou um estudante com deficiência, mas isso é completamente falso.

O artista se lembra claramente da pessoa que está sendo indicada como vítima, então pudemos entrar em contato com sua mãe depois de procurar. Ela nos confirmou que a pessoa referida como vítima tinha, de fato, boas relações com o artista. A mãe lembrou-se dos nomes dos alunos que intimidaram seu filho na escola, então ela pôde confirmar esse fato conosco imediatamente.

A pessoa referida como vítima vive atualmente bem em sociedade e sente-se preocupada com o fato de os incidentes de seu passado serem conhecidos sem seu consentimento e de uma forma que ela não desejava. Apesar disso, eles verificaram os fatos conosco para o bem do artista.

Também estamos verificando outros assuntos. No entanto, é difícil identificar as pessoas que enviaram as postagens online e, em algumas dessas postagens, o escritor expressou sua relutância em ser contatado, tornando esta uma situação em que não é apenas difícil entrar em contato com eles, mas também uma que requer discrição.

Respeitamos a posição do escritor de não querer um confronto direto. Ao mesmo tempo, se for o que o escritor deseja, estamos abertos para nos encontrar com o escritor e confirmar os fatos a qualquer momento e da maneira que ele preferir, e tomaremos as medidas cabíveis depois disso.

Não temos objeções sobre a opinião de que a questão da violência escolar em toda a sociedade deve ser considerada da perspectiva da vítima. No entanto, além da perspectiva da vítima, determinamos que é necessário verificar claramente os fatos antes de tomar as medidas necessárias.

Os assuntos considerados problemáticos foram incidentes ocorridos no passado, quando o artista estava no ensino fundamental, por isso acreditamos que é necessário verificar os fatos e chegar o mais próximo possível do que realmente aconteceu para que um julgamento seja feito.

O próprio artista compartilhou suas desculpas por causar desconforto aos fãs devido a esse problema ser levantado. Ele suspendeu temporariamente suas atividades programadas e encarregou a empresa de tomar as medidas necessárias para confirmar os fatos.

Também abaixamos nossas cabeças em desculpas por causar desconforto com algo relacionado ao nosso artista.

Este anúncio não é o fim do assunto e continuaremos a confirmar os fatos e tomar as medidas cabíveis. No entanto, pedimos a sua compreensão, pois este não é um processo simples e levará algum tempo.

O mais importante é encontrarmos aqueles que declararam ter sido feridos, verificar os fatos e ajudar a tratar sua feridas e saúde mentais. Além disso, não podemos tomar uma decisão rápida sobre algo que vai impactar a vida de um artista sem ter certeza dos fatos, e pedimos sua compreensão sobre isso também. Obviamente, depois de concluirmos nossa verificação de fatos e descobrirmos que havia uma culpabilidade clara, prometemos tomar medidas claras em conformidade.

Mais uma vez, pedimos desculpas por causar transtorno em um assunto relacionado ao nosso artista.”


Você pode ler a publicação original aqui.


Em primeira instância, a Pledis Entertainment havia negado as acusações de que Mingyu (SEVENTEEN) tivesse praticado bullying durante seus dias de escola.

O posicionamento prematuro da Pledis em resposta as declarações feitas, veio em 22 de fevereiro, após a publicação de uma pessoa que afirmava ter frequentado a mesma escola primária e secundária que Mingyu.

O criador da postagem (doravante referida como “A”) afirmou que ganhou coragem para escrever a postagem após ver o recente movimento de acusações de violência escolar feitas contra celebridades.

“A” escreveu: “Desde o ensino fundamental, [Mingyu] era bom no futebol e fazia parte do grupo de delinquentes. No meu primeiro ano do ensino fundamental, houve uma vez em que crianças assustadoras e alunos mais velhos me pararam no caminho da escola para casa, pegaram meu dinheiro e abusaram verbalmente de mim ”. “A” explicou que as crianças exerceram um pouco de violência moderada, como empurrar a cabeça dela e acrescentou: “Eu chorei porque estava com tanto medo, e a pessoa que assistiu toda a situação desde o início enquanto ria, jogou uma tampa de garrafa de coca na minha cara, e gritou de tanto rir quando atingiu o alvo, era [Mingyu]. ”



“A” afirmou ainda que depois que Mingyu passou no teste da agência e se tornou um trainee, ele pegou dinheiro dela e o usou para pagar o transporte quando teve que ir para a sala de prática.

Cerca de três horas após ser publicada, a postagem foi deletada.

Uma fonte da Pledis Entertainment chegou a declarar que: “Confirmamos com Mingyu que as alegações são infundadas e completamente falsas. Não entendemos quem está fazendo essas afirmações e com qual intenção. ”

Em uma ligação para a agência de notícias News1, a fonte da agência havia dito que: “’A’, que está fazendo as alegações de violência escolar, revelou seu álbum de formatura do ensino fundamental para verificar sua identidade, mas o álbum é de um ano diferente do ano de formatura de Mingyu.” Ainda disseram que: “‘A’ escreveu que Mingyu foi escalado em seu terceiro ano do ensino fundamental, mas ele foi trainee da Pledis Entertainment desde seu segundo ano do ensino fundamental. As reivindicações feitas por ‘A’ não estão alinhadas.”


 Nate Pann

Outras acusações de bullying e violência escolar contra Mingyu surgiram em foruns coreanos durante esta semana. A agência do ídolo declarou estar avaliando cada um dos casos reportados publicamente.


Fonte: Soompi + JoyNews24 + Pledis Entertainment + Naver + TopStarNews

Naira Nunes

Publicitária, redatora e diretora de arte, sou CEO e fundadora da KoreaIN, a primeira revista brasileira sobre música e cultura asiática.

5 Dramas com Kim Seonho Porque Idols de KPOP debutam no Japão? 8 apresentações icônicas do KPOP Saúde Mental: 6 Idols de K-POP que já falaram sobre o assunto O que é um center no K-POP?