Culinária

5 comidas coreanas veganas para você experimentar

Assim como o restante do mundo, a Coreia do Sul está se voltando cada vez mais para o veganismo. A comida coreana é conhecida por oferecer uma grande variedade de pratos; tradicionalmente, muitos deles eram veganos ou vegetarianos, porém, com o passar dos anos, a alimentação com base nas plantas foi substituída por pratos com carne, que ainda são a maioria na cozinha do país.



Há uma mudança recente no cenário da indústria alimentícia coreana:  a demanda cada vez maior por refeições veganas faz surgir a necessidade de mais restaurantes para esse público. Os motivos para isso envolvem o interesse em uma dieta saudável, a proteção aos animais e a preocupação com o impacto no meio ambiente. Não é possível saber o número exato de veganos na Coreia do Sul, mas segundo a Korea Vegetarian Union (KVU), estima-se que havia 500 mil deles em 2020.

Se você é adepto da dieta vegana ou vegetariana e deseja saber mais sobre pratos que poderá consumir quando visitar a Coreia, fizemos uma lista de opções seguras para experimentar. Conheça agora cinco dos pratos veganos mais tradicionais do país:


Bibimbap

Bibimbap vegano

Um dos pratos sul-coreanos mais conhecidos – e amados – pelos turistas é o bibimbap, que é basicamente uma mistura de arroz, vegetais e macarrão apimentado. A versão original é servida com carne e um ovo frito, mas é muito comum que os veganos peçam para retirar esses ingredientes.


Hotteok

Hotteok

A melhor coisa do hotteok é que um prato inteiramente vegano, ou seja, não é preciso se preocupar em fazer qualquer alteração. O único detalhe que será preciso ficar atento é que alguns vendedores costumam incrementar a receita com leite na massa e mel por cima das panquecas. Se for o caso, é só pedir para que seja feito sem esses itens.

Essas panquecas doces são uma comida de rua muito popular e fáceis de encontrar em qualquer esquina durante o inverno. A massa é feita com farinha de arroz, água, sal e açúcar, envoltas com uma mistura de açúcar e canela antes de serem fritas. Não estranhe se algum dia você vê-las com um tom esverdeado: elas podem ser tingidas com chá verde.



Hobajuk

Hobajuk

Uma opção “salva vidas” que os veganos costumam ter é o hobajuk. Apesar de, em sua essência, ser destinado principalmente a crianças e idosos, esse mingau doce de abóbora é a opção ideal para começar o dia, seja qual for a sua idade! Além disso, é possível encontrá-lo pronto em lojas de conveniência, o que é bastante prático.


Kimchi Mandu

Kimchi Mandu

O kimchi costuma ser conhecido como a base da alimentação sul coreana, então é de se esperar que muitos pratos sejam desenvolvidos a partir dele, como o kimchi mandu. Aqui, o kimchi – conserva feita tradicionalmente com acelga, gengibre e pimenta – é feito na forma de pequenos bolinhos, servidos com molho de soja e uma variedade de vegetais fatiados para trazer um contraste crocante.

O kimchi mandu é vendido em muitos restaurantes e, por conta disso, também são feitas novas variações na composição do prato. Além de ser comum ver os bolinhos apenas com os vegetais, é possível encontrá-los também com macarrão e tofu – de qualquer forma, uma aposta garantida quando você precisa de algo vegano. Contudo, é preciso ter atenção aos cozinheiros que incluem carne na receita.


Tteokbokki

Tteokbokki

Outra clássica opção de comida de rua vegana é o tteokbokki. A tradução literal para o inglês costuma ser “bolinhos de arroz sul-coreanos”, mas o bolo não é nada com o que estamos acostumados a ter na sobremesa. Feito com farinha de arroz, forma de cilindro e textura de borracha, apenas o tteokbokki pode ser um pouco doce, mas o molho servido com ele é bastante apimentado.

Esse é um lanche muito popular de se comer à noite, na rua ou nos bares com os amigos, mas embora o bolinho seja 100% vegano, o molho que o acompanha pode ser feito com óleo de anchova ou pedaços de bolo de peixe. Ainda assim, há uma demanda crescente de veganos interessados em tteokbokki, sabendo disso, muitos dos vendedores costumam ter as duas opções de molho, você só precisa se certificar de pedir o certo.


Algumas dicas úteis:

No geral, é importante lembrar da essência da culinária do país. Dessa forma, é comum que os restaurantes tenham um cardápio diversificado, no qual o vegano pode, inclusive, ter uma refeição completa e nutritiva apenas com acompanhamentos – esteja atento a eles, mesmo que o restaurante não tenha pratos principais veganos.

Outra opção ainda mais comum, aceita e incentivada é pedir para retirar o que não fizer parte de sua dieta. Porém, para isso, dizer exatamente o que você quer que seja retirado é fundamental, pois, muitas vezes, os molhos podem ser preparados com ingredientes a base de animais ou derivados. Três frases básicas podem ajudar com isso:

“Apenas arroz e vegetais, por favor.” = 밥이랑 야채만 주세요 (bap-e-rang ya-chae-man juseyo)

“Eu não como carne.” = 고기 안 먹어요 (gogi an mo-geo-yo)

“Por favor, tire a carne.” = 고기는 빼주세요 (gogi-neun bbae-juseyo)

Fonte: (1), (2), (3), (4), (5).
Imagens: Banco de dados – Reprodução.
Não retirar sem os devidos créditos.

Karina Giannini Beraldi

Escritora de romances ainda não publicados, jornalista da vida e poeta de lua - sempre com um cházinho ao lado.