Política Saúde

Medidas contra a COVID-19 do novo prefeito de Seul geram controvérsias

O novo prefeito da capital Seul, Oh Se-hoon, assumiu o cargo no dia 8 de abril e já está gerando preocupações nas unidades de saúde por suas novas medidas contra a Covid-19, focadas em minimizar os danos causados à economia da cidade.



As autoridades de saúde decidiram recentemente estender o Nível 2 de distanciamento social em Seul até o dia 2 de maio e proibiram o funcionamento de instalações de entretenimento, como clubes e bares com pistas de dança. Restaurantes, cafés, salas de karaokê e academias podem ficar abertos até às 22hrs, mas as autoridades alertaram que o horário de funcionamento pode ser reduzido para às 21hrs a qualquer momento, dependendo da situação.

Durante um briefing de resposta à Covid-19 realizado na Prefeitura de Seul nesta segunda-feira (12), o prefeito criticou essas decisões dizendo que as regras apenas prejudicam os pequenos empresários. Oh Se-hoon afirmou: “Vamos mudar o paradigma da quarentena para focar na coexistência entre os meios de subsistência (dos autônomos) e reduzir o vírus, a partir dos atuais regulamentos unilaterais que forçam sacrifícios a todos os proprietários de pequenas empresas“.

O prefeito acrescentou ainda que uma versão detalhada dos regulamentos de quarentena de Seul será fornecida até o final da semana e, a partir da próxima semana, iniciará conversas com o governo central sobre quando e como lançar as medidas. Além disso, ele está considerando a flexibilização parcial dos regulamentos sobre empresas de entretenimento, permitindo que tenham clientes dentro de suas instalações até às 23hrs.

Em resposta, o governo central e o partido no poder expressaram a preocupação de que as medidas unilaterais de Oh Se-hoon pudessem enfraquecer as medidas antivírus das autoridades de saúde e afirmaram que diretrizes diferentes entre os governos podem causar confusões desnecessárias ao povo.

Huh Young, porta-voz do DPK, declarou oficialmente no domingo (11) que: “Neste período específico em que estamos, é absolutamente crítico que os governos central e local cooperem estreitamente. Pedimos uma cooperação ativa para que a capacidade de implementar os regulamentos de quarentena possa acontecer o quanto antes“. O governo central afirmou que ainda não recebeu um pedido oficial de consultas do Governo Metropolitano de Seul, mas disse que está disposto a analisar a viabilidade de quaisquer diretrizes de quarentena apresentadas.

As fiscalizações públicas têm diminuído com o passar do tempo e com isto, as violações das regras de distanciamento social estão aumentando, porém, o governo alertou que as medidas de fiscalização serão mais severas a partir de 15 de abril, tomando uma postura de tolerância zero contra as empresas que violarem as regras de distanciamento social. Os ministérios das indústrias relevantes cooperarão com os governos provinciais para realizar as inspeções necessárias.

O presidente Moon Jae-in ressaltou a possibilidade de fortalecer as medidas de distanciamento social em uma reunião de resposta antivírus com chefes de ministérios e organizações relevantes: “Estamos em uma situação de risco que pode levar a uma disseminação explosiva do vírus se baixarmos a guarda. Se não conseguirmos conter a propagação agora, teremos que aumentar as medidas de distanciamento social, ainda que isso piore a vida das pessoas e a economia”.

Ana Raíssa da Luz
Fontes: (1), (2)
Imagem: Yonhap (reprodução)
Não retirar sem os devidos créditos.

Ana Raíssa Luz

22 anos, mineira, professora de música, neurocientista e army.
Vivo uma eterna paixão pela Coréia.

Você também pode gostar...