K-drama Literatura TV

Pachinko: novidades da adaptação do livro em k-drama com Lee Minho no elenco

É oficial! A Apple TV iniciou as gravações de Pachinko, adaptação do livro bestseller de Min JinLee que é sucesso mundial. Apesar de não ter uma data de estreia da série, boa parte do elenco principal já foi divulgada aguçando a ansiedade dos fãs.



Pachinko conta a história, ao longo de quatro gerações, dos desafios e tribulações de imigrantes coreanos no Japão da virada do século. O livro de 2017 foi elogiado por sua descrição de racismo institucional, preconceito e intimidade cativante sob uma lente asiática distinta.

Dois grandes nomes estão envolvidos na produção da adaptação de Pachinko: a atriz Yuh Jung-Youn, que viverá a protagonista SunJa, narradora dessa história, e Lee Minho, que dará vida à versão jovem do Pastor Isak. Jung-Youn tem sido apreciada internacionalmente por seu papel no filme Minari, uma das grandes apostas do Oscar 2021 e que fez sucesso em outros festivais internacionais de cinema, incluindo o British Academy of Film and Television Arts (BAFTA), em que Jung Youn levou a estatueta de melhor atriz coadjuvante. Lee Minho, o outro “nome quente” na obra, é figurinha carimbada dos k-dramas de romance desde 2005 e interpreta o Pastor Isak enquanto jovem, responsável por oferecer a SunJa a oportunidade de sair da Coreia e ir ao Japão para recomeçar. 

Créditos: Hook Entertainment | Reprodução

Quem também estrela a produção é a atriz Kim Minha, ela será a SunJa jovem e mostrará todos os desafios e situações enfrentadas por uma jovem imigrante em um país diferente do seu. Falando em mulheres com papéis grandiosos, Jung Eun-Chae será KyungHee, a cunhada do Pastor Isak, casada com Yoseob (sem ator confirmado). Eun-Chae é conhecida por seu papel principal no filme Nobody’s Daughter, que foi aclamado no 63º Festival de Cinema de Berlim, e seu último trabalho foi em The Eternal King (ao lado de Lee Minho), onde viveu a forte personalidade política Goo Seo-Ryung. 

Créditos: VLIVE | Star Daily News

Outros atores confirmados para participarem da adaptação são: Jin Ha (Devs, Love Life), Jung Woong-in (Prison PlayBook, I Can Hear Your Voice), Anna Sawai (Velozes e Furiosos 9, Giri/Haji), Soji Arai (Cobra Kai, Legacies) e Kaho Minami (Angel Dust, Household X). 

Os atores japoneses Soji Arai e Kaho Minami interpretarão Mozasu e Etsuko, respectivamente. O primeiro é um empresário de sucesso e pai de Salomão, enquanto Etsuko é uma mulher independente em busca de sua filha distante. A atriz nipo-neozelandesa Anna Sawai, que terá um papel no nono filme Velozes e Furiosos, interpreta Naomi, uma mulher determinada a assumir controle no mundo financeiro dominado por homens. 


Ansiedade pelo papel

Para conseguir este papel Lee Minho precisou fazer testes, algo que não acontecia em sua carreira após o sucesso de Boys Over Flowers. O ator contou em uma entrevista para a Soompi que foi tão aclamado por sua participação no k-drama que sempre era convidado para atuar em uma obra, pois o papel do protagonista era sempre feito sob medida para ele. Lee Minho ainda disse que ficou muito nervoso durante esse período e que ansiava conseguir o personagem.

Yuh Jung-Youn não ficou tão nervosa assim, pois quando recebeu a proposta sabia que havia nascido para aquele papel, foi o que ela disse em entrevista ao Los Angeles Times em fevereiro. A atriz ainda completou: “eu li o livro e fiquei muito emocionada; espero dar a minha melhor atuação”. Neste domingo (25), a veterana atriz poderá ganhar o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por seu papel em Minari.


Sobre a obra literária

Créditos Amazon | Reprodução

No início do século XX, em um vilarejo da Coreia, a adolescente SunJa se apaixona por Hansu, um misterioso comerciante. Mas, ao descobrir que está grávida e que ele é casado, SunJa não admite ser mantida como amante. Ela então aceita a proposta de casamento de Baek Isak, um pastor que está de passagem pelo vilarejo, e os dois se mudam para o Japão em busca de melhores condições de vida. Os desafios enfrentados por Sunja ao longo de mais de meio século demonstram a força das mulheres, que fazem tudo por amor à família.

O livro foi pulicado no Brasil pela editora Intrínseca e você pode adquirir seu exemplar aqui:


Personagens

SunJa (MinHa e Jung-Youn) é a personagem principal, doce e inocente, que precisa se adaptar à nova vida no Japão e todos os desafios enfrentados pelo preconceito, pois estrangeiros no Japão, principalmente os coreanos, são vistos com maus olhos. 

Ao seu lado há o Pastor Baek Isak (Lee Minho), que a conheceu enquanto se hospedava na hotelaria da família de SunJa. Isak chega até a hospedagem com tuberculose e é muito bem atendido e cuidado por toda a família. Por conta disso, ele adquire um sentimento fraterno pela protagonista e ao saber que ela engravidou de um rapaz mau-caráter, oferece proteção e a oportunidade de iniciar uma nova vida em outro país, onde deseja ir ao encontro de seu irmão mais novo. 

O primeiro filho de SunJa é Noah (ator ainda não foi confirmado), um estudante super esforçado que tenta viver na sociedade japonesa mesmo com os preconceitos. Mesmo querendo se encaixar, não esquece as origens coreanas, como a maneira de demonstrar orgulho pelo país de sua família. Apesar de sofrer preconceito e ouvir palavras ofensivas diariamente, o rapaz tenta seguir a vida da maneira mais tranquila possível, encaixando-se nos padrões de bom coreano impostos pelos japoneses.

O segundo filho de SunJa com Isak é Mozasu (sem confirmação para ator), que, diferente de Noah, detesta ouvir palavras ofensivas apenas por ter uma etnia diferente. Ele odeia seguir os padrões de bom coreano que os japoneses impuseram. 

E o que significa a palavra Pachinko?

Segundo a descrição do site da Amazon, “pachinko” é a mistura de pinball e caça-níqueis, um jogo de azar extremamente popular no Japão, tanto que estima-se que essa indústria gere 900 bilhões de dólares por ano. Na lei japonesa, jogos de azar são proibidos há anos, mas o pachinko ocupa uma zona cinzenta, entre o legal e o ilegal, o que permitiu sua sobrevivência até hoje. A grande maioria dos salões de pachinko é comandada por zainichi, imigrantes coreanos residentes no Japão. Durante o século XX, a etnia minoritária foi empurrada para empregos marginalizados, como o jogo ligado à máfia japonesa Yakuza. Além disso, os salões Pachinko’s eram os lugares favoritos de Mozasu, filho mais velho de SunJa.

Pachinko teve suas gravações iniciadas no final do mês de março, porém não há data de estreia para a obra. Ao todo serão 8 episódios, que terão a direção de Kogonada e Justin Chon, ao lado da escritora do livro, Min Jin Lee

Fontes: (1), (2), (3), (4), (5), (6)
Imagens: Reprodução
Não retirar sem os devidos créditos.

Isabela Marques

25 anos de pura paixão: pela cultura asiática, especialmente a coreana, por arte, design e animações. Fã dos k-indies e enaltecedora da minha santíssima trindade do k-pop: NU'EST, Teen Top e ONF. Meu objetivo é contribuir com meus textos para a disseminação da cultura coreana pelo Brasil ♥

Você também pode gostar...