K-pop

SF9 fala sobre carreira, metas para “Tear Drop” e Kingdom em showcase

O SF9 lançou nesta segunda (5) o aguardado mini-album Turn Over, que chega junto com o MV de Tear Drop. O comeback acontece mais de um ano após 9loryUS e é o primeiro lançamento do grupo após a participação em Kingdom. Além da faixa-título, o álbum também inclui a faixa apresentada no reality, |Believer|.



Tear Drop é uma faixa com toques de eletrônico e o MV combinou cenários estéticos com bastante foco nos visuais dos membros. Confira o MV da faixa:



Além do lançamento, o grupo também participou de um showcase nesta segunda (5) para falar sobre a carreira e o momento em que se encontram. Inseong não estava presente porque recentemente teve contato com o artista Cha Ji Yeon, que havia testado positivo para COVID-19. O resultado do exame foi negativo, mas ele não compareceu apenas por precaução. Na ocasião, o líder Youngbin disse: “Faz exatamente um ano desde que pisamos em um palco para um showcase, então estamos nervosos e animados, mas como é nossa primeira vez diante do público desde o Kingdom, os membros têm uma mentalidade diferente“. Chani ainda complementou: “O que aprendi com o Kingdom é que o SF9 não tem limites“.

A participação no Kingdom e sua influência no atual comeback também foram comentadas por outros membros. Zuho disse: “Fizemos vários álbuns com a inteção de encontrarmos nossa própria cor, mas acho que conseguimos encontrá-la no Kingdom. O álbum saiu após termos encontrado. É um som minimalista, fácil de escutar e tem um aspecto performático também“. Taeyang completou: “Nosso foco nos libertamos das coisas que fizemos antes. Nos aproximamos de um sentimento mais flexível e agênero. Acho que este tipo de performance sofisticada é nossa cor. Como o Kingdom nos deu a chance de desafiarmos nós mesmos, conseguimos encontrá-la“.

Taeyang prosseguiu: “Foi uma grande oportunidade e desafio para nós. Nos libertamos do tradicional processo de preparar um álbum e tentamos algo novo na forma de competir e nos apresentarmos com outros artistas. Já que foi uma forma de nos libertamos do que fazíamos normalmente, conseguimos tentar coisas diferentes. Fizemos apresentações poderosas e fortes nas primeiras rodadas e também uma versão unisex de Move. No final, desenvolvi um forte desejo de que éramos um time que podia deixar de lado as barreiras que colocamos para nós mesmos e fazer coisas chocantes e diferentes. Também quis destacar nossa coreografia como uma de nossas melhores armas“.



Em atividade desde 2016, o SF9 se estabeleceu como um dos grupos mais sólido de sua geração. O reconhecimento que vem dentro e fora dos palcos. Ano passado, o lançamento de Good Guy rendeu a aguardada primeira vitória em shows musicais ao grupo. Além de nunca ter tido nenhuma baixa em sua formação, em março desse ano todos os membros renovaram seus contratos com a FNC Entertainment.

Hwiyoung – que, segundo Youngbin, foi o membro que mais se empenhou em convencer os outros a renovarem – disse: “A maior razão foi uma que os membros discutiram entre si, ainda há muitas coisas que queremos alcançar. Tivemos muitas atividades solo e esta foi uma oportunidade de nos reunirmos, então renovamos sem hesitar“. Ele continua: “Quando fomos falar com nosso CEO, ele disse que nos faria avançar se trabalhássemos duro. Gostaríamos que o trabalho em grupo continuasse por um longo tempo, mas também temos nossos próprios sonhos que queremos alcançar, então cada um de nós compartilhou os próprios pensamentos e ele disse que nos ajudaria em nossa jornada para alcança-los. Pessoalmente, quero continuar enquanto eu conseguir andar, falar ou até se eu não conseguir“.

O grupo também falou sobre os planos para este lançamento e para o futuro. De acordo com eles, a meta para Turn Over é ganhar cada vez mais reconhecimento e amor do público tanto nas paradas musicais quanto nos shows. Já quanto ao futuro, Zuho deu uma pista: “Acho muito legal que muitos artistas veteranos estão promovendo novamente após completarem seus alistamentos. Também queremos ser um time que será lembrado como modelos para os artistas novatos, que pensarão ‘Quero ser como eles’. Foi com este pensamento que renovamos nossos contratos, então continuaremos juntos e trabalharemos duro“.

Turn Over já está disponível nas principais plataformas de música e no canal oficial da FNC Entertainment no YouTube.

Fonte: (1)
Imagem: FNC Entertainment (divulgação)
Não retirar sem os devidos créditos.

Greyce Oliveira

Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.

Você também pode gostar...