loader image

Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Internet K-pop

Por que empresas estão investindo em Idols virtuais?

Você sabe o que é um influencer digital? Já conhece algum ou segue algum nas redes? Pois saiba que, com o avanço da tecnologia, em breve eles podem ser substituídos por influences virtuais. As funções podem ser as mesmas, só há uma grande diferença: os influencers virtuais não existem em carne e osso. Porém, e se essa tendência invadir a música? Bom, esse processo já começou. Conheça mais sobre a crescente tendênca dos idols virtuais.



Influencers digitais x virtuais

Já sabemos que a tecnologia tem avançado cada vez mais rápido e, muitas vezes, nem conseguimos acompanhar tantas inovações. As tecnologias digitais estão se tornando cada vez mais presentes e necessárias no nosso dia a dia, facilitando muitos processos que fazíamos manualmente no passado, e estamos tendo a substituição de mão de obra manual pela tecnológica há muito tempo.


Inclusive, um número crescente de influencers virtuais – celebridades da internet que não são pessoas reais, que são feitas através de computação gráfica – está emergindo nos últimos anos, conquistando números expressivos de audiência e influência. No Brasil, inclusive, já embarcou nessa tendência. Afinal, é daqui a influencer virtual mais seguida no Instagram. Quem é ela? Ninguém menos que a Lu, garota propaganda do Magazine Luiza, que soma mais de 25 milhões de seguidores em diferentes plataformas.


Na China, os influencers virtuais têm chamado a atenção de mais de 300 milhões de fãs. A crescente alta e influencia que estes possuem, atrai cada vez mais investimento para mercado. A expansão fez com que os seres virtuais chegassem até mesmo ao campo musical. O resultado disso é a criação de grupos virtuais com membros criados completamente por computador. Muitas empresas chinesas se juntassem a competições de idols virtuais, inclusive empresas conhecidas, como a Yuehua Entertainment.



O virtual invade o k-pop

Shi Wenxue, crítico cultural na China, explica um pouco sobre o crescente sucesso dos personagens virtuais no k-pop: “Idols virtuais são perfeitos e podem se encaixar na imaginação de vários internautas. A sua natureza virtual cria fantasia, a beleza e um mundo puro para os fãs. O amor profundo destes fãs pode ser mostrado ao consumir os seus produtos na vida real. A compra destes produtos [relacionados aos idols virtuais] dá aos fãs prazer emocional e satisfação”.


Na Coreia, bem como fora dela, o grupo K/DA chamou a atenção para este universo do k-Pop e idols virtuais ao misturar personagens do jogo League of Legends como integrantes de um grupo de musical. O sucesso foi tanto que o grupo conta com mais de 200 milhões de visualizações em seu vídeo e alcançou o topo das paradas musicais pelo mundo. Mesmo não existindo no mundo real, o grupo chamou grandes nomes da indústria musical, para os vocais. Além das estadunidenses Madison Beer e Jaira Burns, Miyeon e Soyeon, ambas do grupo (G)I-DLE, também dão vozes ao quarteto.


Créditos: Riot Games

Se o K/DA pegou personagens já existentes e transformou em idols, o aespa deu um passo além. O grupo, em teoria, é um quarteto, mas cada integrante possui um alter ego de cada integrante em realidade virtual que vivem em uma outra dimensão, conhecida como FLAT. Sendo assim, o resultado final é um octeto.


O empenho da SM Entertainment neste novo conceito fez com selassem uma parceria com o Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia (KAIST) para fim de conduzir pesquisas conjuntas sobre avatares digitais para shows virtuais e impulsionar o desenvolvimento da tecnologia do metaverso. Aliado a tudo isso, os seus clipes super futuristas reforçam a ideia do universo paralelo e dos alter egos.


Créditos: SM Entertainment

Mas e se formássemos um grupo totalmente virtual com integrantes tão realistas que parecem pessoas de verdade? Isto também já aconteceu. O grupo Eternity estreou em março deste ano. A sua diferença para todos os outros grupos? Ele conta com onze integrantes, todas virtuais. A faixa escolhida para o debut, ironicamente, chama-se I’m real,


Confira o MV de I’m real:



Mesmo não sendo reais, todas as integrantes possuem características próprias, como idade e atributos físicos, extremamente reais. Além disso, tal qual as colegas de profissão, também têm posições definidas dentro do grupo.


Créditos: Pulse 9

Ao que tudo indica, este é um mercado em ascensão e iremos ver muitos outros idols virtuais por aí. O que você acha desta tendência? Conte para a gente nos comentários.

Fontes: (1), (2), (3), (4), (5), (6)
Imagens: Riot Games, PULSE9 e SM Entertainment
Não retirar sem os devidos créditos.

Performances do KPOP que usam a Língua de Sinais GIRLS PLANET 999: Conheça o novo survival show da Mnet 5 Dramas com Kim Seonho Porque Idols de KPOP debutam no Japão? 8 apresentações icônicas do KPOP