Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Entretenimento

Petição para cancelamento de “Snowdrop” ultrapassa 200 mil assinaturas e drama perde patrocinadores

Uma petição publicada no site oficial da Casa Azul – escritório presidencial da Coreia do Sul – no domingo (19) pede o cancelamento drama Snowdrop, que teve apenas dois episódios lançados. Em um dia, quase 97 mil assinaturas foram registradas.


A justificativa da petição seria a forma distorcida com a qual o drama trata os acontecimentos da época em que a história se passa. Snowdrop retrata um período da ditadura na Coreia no qual muitos estudantes foram mortos em movimentos pela democratização do país. De acordo com os espectadores, o drama não está retratando tais acontecimentos de forma fidedigna.

Leia mais: O que foi o massacre de Gwangju e o caminho para a democracia sul-coreana

Além disso, também há uma preocupação sobre como o movimento de democratização coreano está sendo retratado para os estrangeiros que estão acompanhando o drama, que está disponível em serviços de streaming. No Brasil, o Star+ transmitirá o drama em 2022, ainda sem data definida.

Após a petição ir ao ar, várias empresas – como a Ssarijai, Heungil Furniture, GANISONG, Dopyoungyo, entre outras – que patrocinavam o drama pediram para remover ou minimizar a exposição de seus produtos na série. Um porta-voz da Ssarijai, que produz bolos de arroz, declarou que a marca retirou seu patrocínio e pediu a remoção de sua logo do drama. A empresa também se desculpou com o público e afirmou que não sabia do conteúdo da série antes de acertar a parceria.

O diretor Jo Hyun-tak afirmou em uma entrevista no dia 16 que quis retratar pessoas e não política ou ideologias e, exceto pelo regime militar e pela eleição presidencial, todos os personagens e cenários são fictícios.

Até a publicação desta matéria, a petição já acumulava mais de 230 mil assinaturas.

print do momento em que a petição alcançou 234,546 assinaturas

Polêmicas antes mesmo da estreia

Em março, quando Snowdrop ainda estava em produção, outra petição foi feita sob a mesma preocupação. Na época, os roteiristas afirmaram que o drama não retrataria o movimento de democratização e que não haveria nada no roteiro onde os protagonistas participassem ou liderassem algum movimento.

Por causa disso, o nome da personagem interpretada por Jisoo (BLACKPINK) foi mudado de Eun Young-cho para Eun Young-ro, evitando referências ao nome da ativista pró-democracia Chun Young-cho.

Na época, a Casa Azul defendeu a produção citando o artigo 4 do Ato de Radiodifusão que garante a liberdade e independência dos produtores de conteúdo, mas também alertou que era necessário uma abordagem cautelosa.

Ana Raíssa da Luz
Imagens: JTBC e reprodução
Fonte: (1), (2), (3)
Não retire sem os devidos créditos.

Tags relacionadas:

  • Ana Raíssa Luz

    23 anos, mineira, graduada música, estudos em neurolinguística e army. Vivo uma eterna paixão pela Coréia.

    K-Dramas para assistir depois de Again My Life Os perfumes dos membros do BTS Idols de K-POP parte da comunidade LGBTQIA+ 5 K-dramas com Park Jinyoung (GOT7) Curiosidades sobre o BL Kinnporsche The Series