Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Política

Candidato à Presidência sul-coreana promete incluir tratamento contra a calvície em serviço público de saúde


Em março de 2022, os eleitores sul-coreanos irão às urnas para escolher o substituto do atual Presidente Moon Jae-in. Como é de praxe em campanhas eleitorais, os candidatos precisam apresentar suas propostas para atrair os votos. Já mostramos aqui que uma delas foi a implantação de jornadas de trabalho de 4 dias, hoje falaremos sobre uma proposta mais… exótica.

Lee Jae-myung é o candidato do Partido Democrático, o mesmo de Moon Jae-in. Recentemente, ele apresentou como proposta de governo incluir tratamentos contra a calvície no serviço público de saúde do país. Uma das justificativas de Lee é o fato de que quase 10 milhões de pessoas sofrem com a perda de cabelos e muitos não podem arcar com os custos dos tratamentos feitos na Coreia. Por isso, muitos procuram alternativas como a importação de remédios vindos de outros países ou se limitam à opções mais baratas.

Além disso, Lee fala em uma “plenitude corporal” que é atrapalhada pela perda capilar. Ele também afirma que ainda estuda o impacto financeiro que sua ideia pode causar.

Para reforçar a proposta, Lee gravou um vídeo de campanha com uma paródia de um comercial de produtos contra a calvície. No registro, ele diz que é o melhor candidato para “o seu cabelo”. A iniciativa gerou debate e viralizou nas redes sociais, gerando ainda mais paródias.

Porém, houve quem se interessasse pela proposta. Tanto que o Partido Democrático organizou um encontro de eleitores que sofrem de perda de cabelo. Entre os que compareceram, estava Jeong Da-eun. A mãe de dois filhos contou na ocasião que teve que desistir de um tratamento por não poder cobrir o custo de 4 milhões de wones (mais de R$18 mil) do mesmo. Por isso, teve que se limitar ao uso de shampoos e fazer uma boa alimentação.

Como esperado, alguns candidatos de oposição criticaram a proposta. Ahn Cheol-soo, candidato do People Party que era médico antes de iniciar na política, descreveu a proposta como irresponsável e prometeu que, caso fosse eleito, ele próprio cortará os custos de remédios genéricos e financiará o desenvolvimento de um novo tratamento contra a calvície.

O Professor Lee Sang-ee, acadêmico de Medicina na Universidade Nacional de Jeju, disse que a medida poderá causar uma grande falha no sistema público de saúde. Segundo ele, o fundo foi feito para ajudar aqueles que sofrem de doenças graves, não para custear os tratamentos contra perda de cabelo.

Apesar do debate, não existem estatísticas oficiais sobre quantos coreanos sofrem com a perda de cabelo. O Serviço Nacional de Seguro de Saúde apenas contabiliza daqueles que receberam tratamento para tal problema. Em 2020, o número chegou a 230,000.

Fonte: (1)
Imagem: Chung Sung-Jun (Reuters)
Não retirar sem os devidos créditos.

Greyce Oliveira

Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.