Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Entrevistas

[ENTREVISTA] BDC fala sobre a versatilidade do grupo e vontade de vir ao Brasil

Em outubro de 2019, o mundo da música ganhava um novo trio para admirar. Formado por SIHUNSEONGJUN e JUNGHWAN, o grupo foi batizado BDC, sigla para “Boys da Capo”, e debutou com o single romântico Remember Me. Na língua italiana, “da capo” é uma marcação de partituras que significa “do começo”. Em junho, foi exatamente isso que o trio passou.

O último comeback com o single Blue Sky levou-os de volta para a origem com uma balada mais leve, diferente da fase dançante marcada pela trilogia de lançamentos THE INTERSECTION. Mais uma vez, o trio comprovou seu talento para conseguirem se sair bem independente do conceito.

Durante as promoções de Blue Sky, o grupo conversou com a KoreaIN sobre a preparação para o lançamento, a versatilidade do grupo e as brincadeiras sobre as diversas faixas mencionando a lua que fazem parte da sua discografia. Confira a seguir.



KoreaIN: Olá, pessoal. Obrigada por nos receber. Parabéns pelo lançamento de “Blue Sky”. Como foi a preparação para esse comeback?

SIHUN: Já que minha posição é de rapper, cantar balada foi um pouco pesado no começo. O Seongjun e o Junghwan cantam bem, então praticamos muito para não quebrar o equilíbrio geral.

SEONGJUN: Obrigado! Como é um álbum que foi lançado em 10 meses, eu fiquei animado e preocupado no caso de eu mostrar uma aparência decepcionante, então trabalhei duro para me preparar. Enquanto aguardava a data de lançamento, meu sentimento de mostrar o álbum à vocês era grande. 

JUNGHWAN: É uma música de balada, não uma música de dança, então fisicamente, eu fiquei menos sobrecarregado. No entanto, eu tive que prestar mais atenção na música, então me lembro de ter me atentado na preparação da música assim como nas músicas de dança. 


KoreaIN: Blue Sky lembra o estilo que o grupo tinha em Remember Me, mas, logo em seguida, vocês seguiram um conceito mais otimista com a trilogia THE INTERSECTION. De alguma forma, parece familiar voltar a uma fase romântica?

SIHUN: Eu acho que o BDC pode lidar bem com todos os gêneros, então acho que esse conceito também ficou bom.

SEONGJUN: Retornar com balada foi um novo desafio para nós também, então eu estava muito preocupado em competir apenas com o canto. Foi estranho e embaraçoso no começo, mas acho que a sensibilidade única do BDC está sendo bem passada, então estou gostando agora.

JUNGHWAN: Eu acho que conseguimos digerir bem qualquer conceito, então acho que nunca pensei nesse conceito como ‘desconhecido’ ou ‘estranho’.


KoreaIN: Vocês foram concorrentes no Produce X 101 e tiveram a oportunidade de mostrar seus talentos ao público antes de estrear oficialmente. Como foi essa experiência e o que mudou antes e depois do debut?

SIHUN: Antes do debut, eu tinha um sentimento ardente em relação ao debut. Agora, estou sempre trabalhando com a fé de que tudo dará certo sempre, acho que essa é a maior diferença.

SEONGJUN: Acho que o mais importante é que nosso time ganhou o nome de ‘BDC’ e que o nome dos nossos preciosos ‘FINE’ surgiu. 

JUNGHWAN: Não importa em que palco estejamos, sempre nos esforçamos para ser sinceros. Depois de estrear, acho que a maior diferença é que tenho a ambição de mostrar performances melhores.


KoreaIN: Graças a muitas músicas relacionadas à lua, os fãs começaram diferentes teorias e inventaram apelidos engraçados para o grupo. O que você acha dessas interações divertidas e qual música com a lua é a sua favorita?

SIHUN: Eu tenho ouvido muito ‘MOON RIDER’ ultimamente. ‘SHOOT THE MOON’, ‘MOON WALKER’ e ‘MOON RIDER’, eu gosto de todas elas.

SEONGJUN: Acho sempre muito fofo ver nossos FINE fazendo brincadeiras. Minha música favorita da série Moon é ‘SHOOT THE MOON’. Acho magnífico como o som do baixo de ‘SHOOT THE MOON’ desencadea em mim uma dança interior toda vez que a ouço.

JUNGHWAN: Somos gratos à essas músicas, pois elas foram capazes de mostrar a cor do BDC por um longo tempo, então sou apegado a todas as músicas que mostramos. Além disso, não importa qual apelido vocês nos chame, sabemos que todos nos chamam com carinho, por isso ficamos sempre gratos toda vez que os ouvimos.


KoreaIN: Por fim, por favor, deixe uma mensagem para os FINE brasileiros que estão lendo esta entrevista neste momento.

SIHUN: FINE que estão no Brasil! Eu quero muito, muito ver vocês! Nos apoiem para que possamos ir presencialmente ao Brasil algum dia.

SEONGJUN: Nossos FINEs que estão no Brasil! Muito obrigado por nos apoiar e nos amar mesmo de longe. Nós também vamos nos esforçar para que possamos nos encontrar no Brasil! Estejam sempre saudáveis, eu amo muito vocês. ♡

JUNGHWAN: Espero que o dia em que possamos ir ao Brasil presencialmente performar em frente aos nossos FINE chegue o mais rápido possível.


Aproveite e veja a mensagem de vídeo que o grupo deixou através do canal da KoreaIN no YouTube:

Tradução: Giovanna Nogueira
Imagem: BRANDNEW MUSIC
Não retirar sem os devidos créditos.

Tags relacionadas:

  • Greyce Oliveira

    Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.

    K-POP: Os MVs mais vistos do NCT 7 K-dramas com Park Eun Bin 5 Curiosidades sobre o K-drama Extraordinary Attorney Woo 7 K-dramas com Kang Tae Oh Relembre looks do ator coreano Park Bo Gum