loader image

Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Entretenimento

Trajetória: os 10 anos da lendária carreira do Block B

Pode ser que novos fãs de K-POP ao ver Zico em sua carreira solo ou P.O tomando a TV coreana em dramas e programas de variedade, não façam ideia de que os dois sejam parte de um dos boy groups que marcou a transição entre a segunda e terceira gerações do K-POP. 

Em homenagem aos 10 anos do Block B, celebrada amanhã (15) vamos contar um pouco da trajetória do grupo.



Formação e debut

Block B em 2011, época do seu debut.
Créditos: reprodução

Em fevereiro de 2011, Cho PD, produtor musical famoso por sua influência no mundo do k-rap e k-hip hop, anunciou a criação de um grupo como parte de seu “Projeto de criação do Eminem coreano”.

Dois meses mais tarde, o Block B era apresentado ao mundo. Trazendo Zico, já famoso no mundo do rap underground coreano, o grupo ainda contava com dois outros rappers versáteis: P.O e Park Kyung. E ainda, com os vocais de Taeil e Jaehyo, e com os dançarinos B.Bomb e U-Kwon. A canção de debut, Freeze!, entretanto, acabou sendo considerada como uma canção inapropriada pela Comissão de Proteção da Juventude da Coreia do Sul.

Apesar do considerável sucesso do single NalinA, o grupo passou por problemas parecidos com seu segundo mini álbum, Welcome to The Block, o qual teve duas de suas canções banidas para menores de idade e a reprodução em rádios proibida antes das 22 horas. 

Foi apenas no final de 2012, com o primeiro álbum completo de sua carreira, Blockbuster, que o Block B alcançou a popularidade entre o público coreano. A canção Nillili Mambo foi muito elogiada e chegou ao top 10 do ranking de álbuns da Billboard. O videoclipe da faixa ainda esteve entre os 10 mais assistidos na Coreia naquele ano.


Processo Judicial e mudança de empresa

A carreira do Block B parecia finalmente deslanchar quando em janeiro de 2013, a imprensa noticiou que os integrantes do grupo haviam aberto um processo contra a própria empresa, pedindo a anulação de seus contratos. A razão seria que, em mais de um ano, a Stardom Entertainment nunca os havia pago e o CEO da empresa havia extorquido cerca de 70 mil dólares das famílias dos integrantes.

Apesar de perder o processo, o grupo conseguiu o direito de deixar a empresa. Escolhendo ficar juntos e manter o nome e conceito, os sete integrantes assinaram com a Seven Seasons (hoje parte da KQ Entertainment) e uma nova fase veio para o Block B.



Very Good e consolidação no mercado

Em outubro de 2013, já na nova empresa, o Block B lançava Very Good, seu mini álbum de maior sucesso até então, debutando na primeira posição do ranking de álbuns da Gaon e em sexto no ranking mundial de álbuns da Billboard.

Em 2014, Jackpot e Her consolidaram o grupo como um dos mais versáteis da época e alavancou a carreira internacional do Block B. Em maio do mesmo ano, eles foram um dos primeiro grupo de k-pop a viajar os Estados Unidos em uma turnê solo.


Sucessos também em carreiras solos e units

Zico foi o primeiro integrante a se lançar na carreira solo. Em novembro de 2014, “Tough Cookie” tomou o mundo do k-hip hop de surpresa e consolidou o líder do Block B como um dos produtores mais respeitados de sua geração. No ano seguinte, ele era adicionado à banca de jurados de Show Me The Money e sua parceria com o competidor (e amigo) Song Minho, “Okie Dokie”, se tornava uma das músicas mais marcantes da história do programa.

Em 2015, Taeil e Park Kyung também se lançavam em carreira solo e se tornavam vozes reconhecidas e respeitadas no mercado musical coreano. No mesmo ano, debutava a subunit BASTARZ, formada por B-Bomb, U-Kwon e P.O, a canção “Zero for Conduct” ganhou uma popularidade considerável e chamou atenção por trazer um estilo ainda mais pesado do que o Block B havia mostrado até então.


Lendária skit no Saturday Night Live Korea

Em 2016, às vésperas do lançamento de seu aguardado novo álbum, o Block B apareceu no programa Saturday Night Live Korea. Parodiando uma suposta famosa fanfiction, Zico e Park Kyung interpretaram a si mesmos vivendo um amor proibido e, no ápice da história, se beijando. O ato, sem precedentes (e ainda não repetido), fez com que o episódio fosse sancionado pela Comissão de Padrões de Comunicação por promover homossexualidade entre menores.

O beijo, que não durou nem dois segundos, causou muita conversa e trouxe muita atenção para “Blooming Period”, mini álbum que chegou ao topo da parada da Gaon, e para “Toy”, single que é um dos favoritos entre fãs e que foi responsável por trazer muitas pessoas para o fandom.



Yesterday e Montage

No início de 2017, Block B surpreendeu com o lançamento da colorida Yesterday, canção sobre uma garota com vários namorados produzida por Kyung, que se tornou a primeira música do grupo a alcançar o almejado all-kill, tomando o primeiro lugar em todos os charts musicais da Coreia.

No final de 2017 e no início de 2018, Block B presentou os fãs com o mini álbum Montage e com o repackage RE:Montage, que teve como single Don’t Leave (Não me Deixe) um nome irônico se considerarmos que essa foi a última canção do Block B como um grupo completo, uma vez que: em novembro de 2018 a Seven Seasons anunciou a saída de Zico da empresa.

Para realizar o sonho de abrir a própria empresa, a KOZ Entertainment, Zico optou por não renovar seu contrato com a antiga empresa, mas sob a promessa de que o Block B continuaria a ser sete.


Serviço Militar e planos para o futuro

A promessa de continuar a promover como um grupo completo, entretanto, teve que esperar. Logo após as notícias sobre Zico serem divulgadas, foi anunciado que Jaehyo se apresentaria para cumprir seu serviço militar obrigatório. Ele acabou sendo dispensado da obrigação de se alistar após o exame físico constatar que seu problema crônico no joelho dificultaria suas atividades. Pouco a pouco os outros integrantes seguiram o mesmo caminho, Taeil e B-Bomb após show e debut solos, respectivamente, seguiram o mesmo caminho no meio de 2019. E U-Kwon também anunciou seu alistamento pouco tempo depois.

Zico também começou os preparativos para seu alistamento, e em janeiro de 2020 lançou “Any Song”, canção que arrebatou o all-kill e recebeu o certificado de platina da parada musical da Gaon por ter alcançado a posição de música mais tocada na primeira metade do ano. 

Em julho, o líder do Block B também se alistou para servir o exército, seguido por Park Kyung em outubro. O maknae P.O foi o único que ainda não iniciou seu serviço militar. Considerando as leis coreanas, ele também precisará se alistar muito em breve, deixando uma brecha de pelo menos mais dois anos até que fãs possam, enfim, ter o Block B como um grupo completo novamente.

Apesar de muitas controvérsias, Block B conseguiu se consolidar como um grupo versátil e de múltiplos talentos. Comemorando 10 anos e tendo mantido sua formação original, o grupo merece palmas não só por sua carreira cheia de canções marcantes, mas também por sua perseverança e o apoio que os integrantes sempre mostraram uns aos outros e às escolhas de cada um durante suas carreiras.

Imagens: Divulgação e reprodução
Não retirar sem os devidos créditos.

Jeice Torres

Brasileira morando e estudando na Coréia. Apaixonada por k-hip hop, filmes de terror e picolé de melão. Na luta pela fluência em coreano.

Performances do KPOP que usam a Língua de Sinais GIRLS PLANET 999: Conheça o novo survival show da Mnet 5 Dramas com Kim Seonho Porque Idols de KPOP debutam no Japão? 8 apresentações icônicas do KPOP