Justiça

Acusadores admitem terem mentido em denúncias de agressão sexual contra ator Ji Soo

Os advogados da empresa Shin & Kim, que representam Kim Ji Soo, divulgaram novas atualizações sobre a ação que movem contra pessoas que espalharam notícias falsas sobre o ator. E março desse ano, Ji Soo foi acusado de violência escolar e sexual quando ainda era estudante do fundamental 2.



A KeyEast Entertainment, agência responsável pelo ator na época, chegou a negar as acusações, mas o escândalo fez com que ele fosse retirado do drama River Where the Moon Rises. A Victory Contents, produtora do drama, entrou com um processo contra a KeyEast por danos e pouco depois a agência anunciou que havia reincidido o contrato com Ji Soo.

O ator usou seu Instagram pessoal para transmitir uma mensagem admitindo parte das denúncias e pedindo desculpas por seus atos no passado, mas sempre negou que houvesse cometido violência sexual. Com isso, ele abriu um processo contra internautas que espalharam rumores falsos sobre ele.

Leia mais: Ator Ji Soo se desculpa após ser acusado de assédio sexual e bullying

Hoje (6), a Shin & Kim anunciou em nota que o criador da postagem acusando Ji Soo de agressão sexual admitiu ter mentido e se desculpou com o ator. A nota na íntegra lê-se:

Como os representantes legais de Ji Soo (a partir daqui referido como “cliente”), nosso escritório gostaria de informar sobre o progresso do caso.

Em março de 2021, denúncias falsas afirmando que o cliente “cometeu um crime sexual” no passado foram postadas em várias comunidades on-line anônimas. No caso da postagem afirmando que o cliente havia agredido sexualmente sua esposa no passado, o autor entrou em contato com a então agência do cliente para admitir que a postagem era falsa e se desculpar. As outras postagens, porém, continuaram a se espalhadas e reproduzidas sem nenhum esforço de se verificar os fatos. Como resultado, o cliente entrou com ações contra os autores para corrigir as informações falsas e trazer a verdade à tona.

Através de uma busca e apreensão de endereços de IP e outros, o autor da postagem foi identificado recentemente e foi confirmado que ele não tem qualquer ligação com o cliente. O autor é um soldado que se alistou recentemente e admitiu que escreveu o texto e que o conteúdo era todo falso. Através de uma carta escrita à mão enviada do centro de treinamento militar, ele declarou que escreveu a postagem falsa devido a sua ansiedade pelo seu alistamento militar iminente e pediu sinceras desculpas ao cliente. Ele também pediu sincera clemência por estar no meio de seu serviço militar e sua mãe estar lutando contra um câncer.

Considerando as circunstâncias do autor e o seu próprio alistamento militar iminente, o cliente aceitou suas desculpas e mostrou clemência sem nenhuma condição. Porém, a maioria dos outros autores apagaram suas postagens falsas imediatamente após o alvoroço na internet e se esconderam. Não mostraremos clemência a estes autores e continuaremos tomando medidas legais.

Enquanto isso, a maioria das postagens que levantaram suspeitas sobre o cliente ter cometido violência escolar no passado continham informações falsas. O cliente processou o primeiro acusador e os autores das outras postagens e comentários sobre violência escolar por difamação. Recentemente, a corte julgou que não haviam razões suficientes para acreditar na falsidade das postagens e dos danos sofridos pelo cliente, o que gerou a expedição de um mandato de busca e apreensão para identificar os autores de tais postagens. Informamos que a dita investigação ainda está em andamento.

Continuaremos acompanhando o caso e informaremos assim que houverem novas atualizações.

Fonte: (1)
Imagem: Reprodução
Não retirar sem os devidos créditos.

Greyce Oliveira

Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.

Você também pode gostar...