Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Staff Picks

[STAFF PICKS] Conheça os melhores álbuns de 2021 na opinião da equipe da KoreaIN


Mais um ano está se encerrando e, apesar de ainda estarmos na pandemia, conseguimos ter algumas alegrias com novos lançamentos de músicas e séries. Para exaltar o que teve de bom em 2021, a equipe da KoreaIN se reuniu para escolher os melhores álbuns, MVs e k-dramas do ano.

Abrimos a lista com os álbuns mais bem votados e seguimos com os outros em ordem alfabética.

Confira a seguir a lista completa dos álbuns escolhidos.



aespa – Savage

Escolhido por Naira Nunes, Giovanna Pego e Mariana Neves.

O preferido por mais integrantes da equipe foi o primeiro mini álbum do aespa.

Sempre escuto Savage do início ao fim! Depois de acompanhar os lançamentos de Black Mamba e Next Level, minhas expectativas estavam lá em cima e não me decepcionei. Sinto que é um álbum perfeito para animar qualquer ocasião! O aespa conseguiu combinar perfeitamente o universo do grupo a músicas viciantes e diferentes. Recomendo principalmente as faixas aenergy, I’ll Make You Cry e Yeppi Yeppi!

Giovanna Pego

O aespa segue um conceito futurista e tecnológico bem característico e isso é percebido em todas as músicas do álbum Savage. Esse álbum veio em um momento que eu estava ouvindo Next Level repetidamente e queria ouvir mais coisa das meninas, queria conhecer mais o potencial delas, confirmar a identidade do grupo e Savage me trouxe tudo isso. O álbum é coeso do começo ao fim, as músicas são ótimas e assim que acaba você já fica com vontade de ouvir de novo e voltar para Kwangya.

Mariana Neves

Kai – Peaches

Escolhido por Isabela Ávila e Vitória Doretto.

Quase na linha de chegada Peaches, lançado em novembro, se tornou meu álbum do ano preferido. As músicas são agradáveis, de ritmo tranquilo e sensual, combinando bastante com a voz de Kai, que tem essa mesma mistura ideal. Além de tudo, a estética é impecável. Não sou de passar horas ouvindo um mesmo álbum, mas Peaches tem me feito dormir e acordar todos os dias desde que lançou.

Isabela Ávila

O segundo trabalho solo do Kai tem poucas semanas de lançamento e já virou o álbum que mais ouvi no ano, então não tinha como escolher outro. Com seis faixas, Kai constrói mais uma obra complexa e cheia de cores e sentimentos. Começando por Peaches e seu R&B, passando pela progressão agitada de Vanilla, o refrão de Come In que ecoa na mente, a imagem hedonística retratada em Domino e a estabilidade de To Be Honest, até culminar em “Blue”, uma lo-fi que possivelmente é minha faixa preferida com Vanilla, este mini álbum mostra um Kai mais confiante em estar cantando sozinho.

A experiência que Kai (开) lhe trouxe é percebida nos detalhes e arranjos de cada faixa de Peaches, na maturidade vocal e na imagem completa que a tracklist forma. Para mim, Peaches, Vanilla e Domino trazem um fascínio que remete aos mitos antigos, um fascínio até mesmo perigoso pelo magnetismo que exerce, enquanto Blue nos aproxima mais de Kim Jongin, o artista, o humano.

Blue, em especial, é uma faixa com letra mais crua, introspectiva, mais honesta ao expressar seus anseios e fecha bem as emoções que o álbum provoca:
I want to sink like small dust, I want to stop in time for a moment, Exhaling sighs is hard enough, This darker silence is bad enough” (Eu quero afundar como uma pequena poeira, Eu quero parar o tempo por um momento, Exalar suspiros é difícil o suficiente, Este silêncio mais escuro é ruim o suficiente).

Vitória Doretto

SHINee – Don’t Call Me/Atlantis

Escolhido por Bárbara Brasil e Greyce Oliveira.

Após um intervalo de 3 anos desde o lançamento de Story of Light, o SHINee voltou com tudo para o lançamento do seu sétimo álbum e não decepcionou em nada. Se Don’t Call Me já era perfeito, Atlantis conseguiu ser ainda mais. Simplesmente não há uma faixa ruim do início ao fim. Ruim é só a expectativa de ver uma apresentação ao vivo de Body Rhythm que até agora não se realizou.

Greyce Oliveira

Stray Kids – NOEASY

Escolhido por Raquel Ribeiro e Catharina Lima.

Escolhi o segundo álbum completo do Stray Kids, NOEASY, pois, além de possuir 14 músicas inéditas, sinto que todas me representam. Se preciso dançar ou refletir já sei qual ouvir. Este álbum é muito significativo, já que o grupo passou por turbulências nesse ano, mas apesar de toda tempestade, o ano também trouxe coisas boas, muita conquista, e este álbum é a prova viva do talento e capacidade dos meninos. E não é só o álbum que o meu preferido não, posso dizer que sou STAY de carteirinha (segundo eu mesma).

Raquel Ribeiro

Esse foi um dos álbuns no qual não teve um música que eu não gostasse e ele tem o tipo de sonoridade que adoro! Mas não vou mentir que a disputa pra escolher o melhor álbum do ano foi bem acirrada.

Catharina Lima

2PM – Must

Escolhido por Bruna Pimentel.

Este foi o primeiro álbum do 2PM que eu acompanhei o lançamento, então para mim ele tem um gostinho especial. O álbum em si é maravilhoso, desde os vocais até os instrumentais, tudo é muito bom e faz com que eu sinta uma harmonia muito nítida em meus ouvidos, o que me faz ficar extremamente calma quando ouço.

Bruna Pimentel

Ailee – AMY

Escolhido por Aldry Araujo.

Bom, a voz da Ailee é impecável!! Isso não dá pra ninguém negar! Mas minha escolha é porque as músicas têm um toque muito aconchegante, ele as músicas te envolvem de uma forma surpreendente! Amo o trabalho dela!

Aldry Araujo


AKMU – Next Episode

Escolhido por Leticia Gonçalves.

Sou suspeita porque sou apaixonada pela voz deles! Mas esse EP tem duas músicas que eu poderia escutar o dia todo: Hey Kid, Close Your Eyes, com a diva Lee Sun-hee, e Nakka, com a minha outra diva IU! Para quem não conhece a dupla, recomendo a minha música favorita deles: How can I love the heartbreak, you’re the one I love!

Leticia Gonçalves

BIBI – Life is a Bi…

Escolhido por Daniele Fernandes.

Eu acho que a BIBI é um bom meio termo entre a sonoridade do K-pop e de outros ritmos mais alternativos. No seu EP de estreia, ela fala de uma realidade muito compartilhada entre os jovens que é a pressão para performar bem na vida adulta, e como estamos em um relacionamento tóxico com a vida. Mas como é a BIBI, ainda dá pra se sentir uma grande gostosa e rebolar a raba. As músicas são acompanhadas de MVs que mostram o desespero (eu uma atuação maravilhosa) da artista.

Daniele Fernandes

ENHYPEN – BORDER : CARNIVAL

Escolhido por Vitória de Sousa.

Eu sofri um pouquinho pra escolher o álbum do ano, pois muitos que lançaram este ano eu sou simplesmente apaixonada. Porém, resolvi escolher o Carnival do ENHYPEN por ouvir ele até hoje sem me cansar de nenhuma música. Esses meninos com um ano de debut possuem uma discografia impecável, sem nenhum defeito e eu sou apaixonada em todos os álbuns deles.

O mini álbum composto por 6 músicas incluindo a Intro e o Outro também são perfeitos, agregando mais ainda o conceito do grupo. Minha música favorita do Carnival sem dúvidas é Not For Sale por ter uma vibe tão calminha e por gerar apresentações ao vivo maravilhosas. Obrigada pela obra-prima, ENHYPEN.

Vitória de Sousa

Epik High – Epik High Is Here 上, (Part 1)

Escolhido por Bárbara Contiero.

Um ótimo jeito de iniciar o ano de 2021. Foi um álbum muito completo, porque além das letras impecáveis, as composições foram bem trabalhadas. Pensei também em escolher o Alpha da CL pelos mesmos motivos. Para mim foram dois dos melhores trabalhos lançados.

Bárbara Contiero

Gray – GrayGround

Escolhido por Gabriela Oliveira.

Finalmente o full album do Gray veio aí! Todo mundo sabe que o Gray é um ótimo produtor e é só escutar aquele “GRAY” no início da música para saber que com certeza vai ser boa, portanto, um álbum todinho cheio de produções dele só poderia ser bom, correto? Corretíssimo. O Grayground é um álbum leve e tranquilo, muito gostoso de ouvir em uma viagem de carro por aí, com músicas que misturam bem o R&B com um toque de rap. As canções têm gêneros diferentes em si, mas todas muito pertinentes ao estilo do produtor. Particularmente tenho certa dificuldade para me abrir para artistas novos e o álbum dele me introduziu a vários músicos, já que 10 das 11 faixas do álbum são featuring. Porém, mesmo com tantos feats, a minha canção favorita do GrayGround é a dele sozinho, intitulada U, que é uma declaração de amor que encanta o coração de qualquer um, pode confiar!

Gabriela Oliveira

JAY B – SOMO: Fume

Escolhido por Jennifher Santos.

As músicas têm uma vibe muito tranquila e gostosa.

Jennifher Santos


Key – Bad Love

Escolhido por Lory Calixto.

2021 foi um ano marcado por lançamentos incríveis, isso não podemos negar! Cada grupo e solistas fizeram produções memoráveis que vão ficar na história da indústria do K-pop.
Entre esses vários lançamentos, Bad Love, mesmo sendo um mini álbum, destacou-se em mostrar a autenticidade de Key, com músicas vibrantes e marcantes e uma identidade visual única e inovadora. A junção desses fatores formaram a fórmula perfeita para levar ao público a verdadeira identidade de Kim Kibum. Além de servir um “cardápio” musical diferenciado, mas totalmente atraente aos nossos ouvidos, dando uma leve sensação nostálgica que é ainda mais reforçada com o conceito visual do álbum repleto de retrofuturismo.
Com certeza, Bad Love foi um dos lançamentos mais louváveis de 2021 por conta de sua ousadia e inovação que demonstra a mente de um artista brilhante como o Key.

Lory Calixto

MAMAMOO – I Say MAMAMOO: The Best

Escolhido por Vivian Raposo.

O motivo da minha escolha, além dessa pessoa ser Moomoo [nome do fandom], foi um dos álbuns que mais escutei em 2021, me acompanhou na realização do meu TCC. É um álbum dos 7 anos do grupo que traz os hits incríveis que fizeram e que me conquistam cada vez que escuto, principalmente Gogobebe versão rock – que é meu vício desde que elas tinham se apresentado – e Mumumumuch, um dos singles mais divertidos que escutei neste ano. Enfim, I Say Mamamoo: The Best é o álbum que escuto em looping desde que saiu.

Vivian Raposo

MONSTA X – No Limit

Escolhido por Beulla Silva.

Eles se superaram com uma coreografia impecável, a batida, a letra o conjunto da obra todo foi um sucesso! 5 wins mais do que merecido.

Beulla Silva

NU’EST – Romanticize

Escolhido por Isabela Marques.

O segundo álbum completo do NU’EST (em 7 anos de carreira!) era mais do que esperado por todos os fãs e admiradores do grupo. Com canções que vão do disco ao puro pop rock, o grupo construiu cuidadosamente a montagem e escolha de faixas, sendo a maioria produzida pelos membros; principalmente pelo Baekho. Além disso, o NU’EST ofereceu a possibilidade de conhecermos os membros em estilos diversos de solo, surpreendendo a todos pelo alcance vocal dos 5 integrantes e da naturalidade em trabalhar com as mais diferentes melodias.

Isabela Marques

ONEWE – Planet Nine: Alter Ego

Escolhido por Naomi Shiroma.

ONEWE entregou emoção, melodia e letras maravilhosas em sete faixas incríveis, uma melhor do que a outra. Eles nunca me decepcionam e mesmo gostando de tantos grupos e artistas, foi fácil escolher este álbum como o melhor do ano, principalmente por causa das faixas Cosmos, AuRoRa e Logo que ouvi em looping (e ainda ouço).

Naomi Shiroma

ONF – POPPING

Escolhido por Ana Raíssa da Luz.

Este álbum foi a alegria do verão que eu precisava para sobreviver a esse ano. As músicas são divertidas e trazem uma empolgação bem legal. Confesso que não sou do fandom e nem conheço muito sobre o ONF, mas me apaixonei por este álbum.

O álbum foi bem cadenciado. Começa com duas músicas contagiantes no início e que trazem claramente o verão para nós e depois uma quebra de clímax com a música Summer Shape com uma melodia lenta, foco no piano e que nos leva a um ambiente de cafeteria para relaxar em um fim de tarde.

Logo depois toda a empolgação do início volta com a música Dry Ice e o álbum finaliza com uma música um pouco mais calma, que nos trás um toque vintage dos anos 90. Summer End finalizou o álbum com o desejo de quero mais, dando a ideia de que quando o verão se vai, ficamos ansiando para o próximo verão.

Ana Raíssa da Luz


Owen – BROTHERHOOD

Escolhido por Thauane França.

Apesar de todas as polêmicas, Owen sempre mostra que o talento prevalece e que nada o abala. O admiro muito por isso e acredito que esse álbum mostra sua verdadeira essência.

Thauane França

Super Junior – The Renaissance

Escolhido por Helen Melo.

As promoções do álbum tiveram momentos muito especiais por ser o álbum comemorativo de 15 anos. Como uma boa ELF, nada mais justo que enaltecer o trabalho dos Reis!

Helen Melo

TOMORROW X TOGETHER – The Chaos Chapter: FREEZE

Escolhido por Ingrid Sousa.

Escolhi esse álbum porque o mesmo me surpreendeu de uma maneira muito positiva! Sempre gostei principalmente das b-sides do TXT, mas em The Chaos Chapter: FREEZE o grupo entrega uma proximidade com o emo rock/punk bem mais forte do que as músicas anteriores (como a faixa título 0X1=LOVESONG e Dear Sputnik).

Ouvindo as músicas, eu entrei na vibe “animada e dançando”, “querer gritar e extravasar todos os meus sentimentos” e até apenas “mexer com os ombros e cabeça enquanto relaxo ou trabalho”. Além disso, eu simplesmente amei como o grupo parece se encaixar muito bem com as músicas e conceito delas, em uma mistura de gêneros musicais que combinam muito com eles e toda a narrativa contada nas letras desde então. Entre as minhas faixas preferidas estão 1×0=LOVESONG e Frost.

Ingrid Sousa

Woosung – GENRE

Escolhido por Giovanna Spalletta.

O álbum tem uma vibe super gostosa, já que é uma reunião de músicas escritas por Woosung ao longo de alguns anos atrás. É o tipo de álbum que não tem uma música ruim. Você liga o rádio do carro ou conecta a caixinha de som e consegue curtir um momento super gostoso, leve, para relaxar. As músicas têm uma pegada vintage, old school e você consegue perceber a personalidade do cantor em todas elas. Não é um álbum comercial, feito para conquistar posições nos charts ou impessoal. Pelo contrário, explora o lado artístico e íntimo do artista, fato raro de se encontrar no K-Pop hoje em dia. Sem contar que a equipe de produção é majoritariamente composta por mulheres (o que deixa tudo mais incrível ainda!). Vale a experiência de escutá-lo

Giovanna Spalletta

Yang Yo Seop – Chocolate Box

Escolhido por Paula Bastos.

Eu sou parcial. Highlight é meu grupo favorito há dez anos e Yang Yo Seop sempre foi meu cantor favorito. Em 2021, fui presenteada com o retorno do grupo com o álbum The Blowing e com o primeiro álbum completo solo do Yo Seop.

E com tantos outros álbuns incríveis este ano, inevitavelmente Chocolate Box do Yang Yo Seop foi o que mais me conquistou. Não só pelo meu interesse prévio, mas por causa da qualidade que ele entregou. A voz do Yo Seop está encantadora como sempre e todas as músicas do álbum são deliciosas de ouvir. São faixas calmas que permitem respirar e apenas sentir as emoções que cada uma entrega. Um presente que permite você deixar de lado os dias difíceis dos últimos anos para respirar e renovar as esperanças de um futuro melhor.

Paula Bastos

Leia mais: [ENTREVISTA] YANG YO SEOP (Highlight) fala sobre inspirações musicais e saudades do Brasil


Yugyeom – Point of View: U

Escolhido por Lílian Pereira.

Esse é o primeiro EP solo do maknae do GOT7, lançado em junho pela gravadora AOMG, atual agência do artista. O Point Of View: U tem 7 faixas, com a participação de DeVita, GRAY, Jay Park, Loco e punchnello. O EP tem uma vibe incrível, com melodias suaves e letras maravilhosas, sendo composições do próprio Yugyeom.

A faixa All Your Fault, produzida pelo GRAY, traz uma versão madura do Yugyeom (eles crescem tão rápido), assim como em I Want U Around, com DeVita, e Running Through The Rain. É incrível ver o desenvolvimento dele como artista em um projeto solo, colocando sua própria essência em todas as músicas.

Lílian Pereira

Gostou da nossa seleção? Fique de olho no site da KoreaIN que nos próximos dias revelaremos nossas escolhas para melhores k-dramas e melhores MVs do ano.

Imagens: SM Entertainment, JYP Entertainment, The L1ve, YG Entertainment, Feel Ghood Music, Be:Lift Lab, OURS Co, AOMG, H1GHR MUSIC, Rainbow Bridge World, Starship Entertainment, Pledis Entertainment, WM Entertainment, MKIT Rain, Big Hit Music, Woolfpack, Around Us.
Não retirar sem os devidos créditos.

Greyce Oliveira

Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.