Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Esporte Justiça

Escândalo de mensagens vazadas tira medalhista sul-coreana dos Jogos Olímpicos de Inverno

Aviso de gatilho: O texto a seguir contém termos que podem servir de gatilho. Recomendamos cautela ao prosseguir a leitura.

A partir da próxima sexta (04), o mundo acompanhará a edição 2022 dos Jogos Olímpicos de Inverno. Com 63 atletas no total, delegação sul-coreana que irá à Beijing será a 3ª maior da história. Porém, entre estes nomes não está o de uma medalhista que ganhou dois ouros nas últimas duas edições dos jogos e é a atual detentora do recorde mundial da pista de 1000 metros.

A patinadora de velocidade Shim Suk-hee foi barrada dos treinos em outubro do ano passado após uma série de mensagens enviadas por ela vazarem, causando controvérsia em seu país natal. O caso foi investigado e, em dezembro, a União Coreana de Patinação baniu a atleta da equipe por dois meses.



O conteúdo vazado

As mensagens vazadas em outubro eram de conversas entre Shim e um ex-técnico do time feminino de patinação. Nelas, a atleta zomba de suas colegas de time e discute “fazer um Bradbury” para manipulação de resultados. A expressão é uma referência a Steven Bradbury, patinador de velocidade australiano que ganhou o ouro nos jogos de 2002 após todos os seus rivais caírem na pista, fazendo com que ele fosse do último lugar direto para o topo do pódio.

Durante as investigações, a União Coreana de Patinação também analisou a colisão entre Shim e sua colega de time Choi Min-jeong na final da patinação de velocidade dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyongyang, ocorrida em 2018. O veredito foi que Shim intencionalmente usou seu braço direito para empurrar o braço esquerdo de Choi. Porém, como não se pôde comprovar se houve intenção de manipulação de resultado, a acusação não foi concluída.

Apesar disso, o Comitê Disciplinar da União resolveu suspender Shim por dois meses por “macular a dignidade dos atletas” ao enviar mensagens depreciando suas colegas.


Shim tenta se defender

Na tentativa de reverter sua situação a tempo de poder competir em Beijing, Shim entrou com uma ação no Tribunal Distrital Leste de Seul. O pedido foi recusado no dia 18 de janeiro.

Como as mensagens vazadas foram trocadas durante o andamento dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, a corte julgou que Shim violou o dever dos atletas de manter a dignidade.

Por outro lado, o advogado de Shim falou com exclusividade à CNN que defesa e acusação discutiram para decidir se seria justo incluir mensagens pessoais como prova para julgar a dignidade da atleta. Além disso, as mensagens foram vazadas para a mídia pelo ex-técnico Cho Jae-beom.

O ex-técnico Cho Jae-beom
Créditos: Yonhap

Em janeiro de 2021, Cho foi condenado a 13 anos de prisão por estupro e assédio de Shim. A manobra com as mensagens, segundo o advogado, resultou em uma “segunda vitimização” da atleta: “As mensagens foram trocadas com a crença de que não seriam tornadas públicas, mas foram vazadas por outro ato criminoso de Cho“.

A União Coreana de Patinação argumentou que tais regras sobre evidências não são aplicáveis à procedimentos civis e que a suspensão foi resultado da investigação feita pelo próprio órgão. Desde então, Shim já admitiu e se desculpou publicamente por zombar de suas colegas.


Punição excessiva

No início das investigações em outubro de 2021, Shim Suk-hee já foi retirada do time nacional e não pôde competir na Copa do Mundo de Patinação ocorrida em novembro. Porém, após a conclusão dos trâmites em dezembro e com a nova decisão de banir a atleta por dois meses, ela também foi impedida de fazer parte da delegação sul-coreana que irá paras os Jogos Olímpicos de Inverno em Beijing.

Somando todo o período, Shim ficou de fora do time por duas competições e pelo total de 4 meses. Ou seja, o dobro do que lhe foi imposto após o fim das investigações. Representantes da atleta chamaram isso de uma punição excessiva e afirmaram que a União Coreana de Patinação deveria ter refletido e considerado o afastamento entre outubro e dezembro antes de aplicar a punição final.

Porém, a União argumenta que o afastamento de Shim da equipe não foi uma medida disciplinar, mas praticamente uma necessidade, pois seria difícil mantê-la próximo das colegas de time e isso poderia atrapalhar a dinâmica de todos.

Com a aproximação do início dos Jogos Olímpicos de Beijing e os prazos demorados para julgamento de recursos, Shim e sua defesa não mais poderão recorrer da decisão da União. Além disso, seu banimento está previsto para acabar apenas em 20 de fevereiro.

O time sul-coreano feminino de patinação de velocidade será composto por Choi Min-jeong, Lee Yu-bin, Kim A-lang, Seo Whi-min e Park Ji-yun.

Fonte: (1)
Imagem: Dean Mouhtaropoulos (Getty Images) e Yonhap
Não retirar sem os devidos créditos.


Greyce Oliveira

Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.

Curiosidades do BL coreano Cherry Blossoms After Winter Idols de K-Pop que possuem tatuagens 7 K-Dramas com Ahn Hyo Seop Motivos para assistir o K-Drama Twenty-Five Twenty-One Curiosidades sobre o K-drama BL Semantic Error