Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Cotidiano

HYBE explica grau da medida disciplinar dada à Kim Garam (LE SSERAFIM) por violência escolar

Um dia após divulgar um relatório completo detalhando as acusações de violência escolar envolvendo o nome de Kim Garam (LE SSERAFIM), a HYBE voltou a público para explicar um ponto que não foi tocado no texto.

Casos graves de bullying e violência escolar na Coreia do Sul podem ser julgados pelos chamados Comitês de Violência Escolar e, dependendo da gravidade da situação em questão, os estudantes podem receber diferentes graus de medidas disciplinares. A mais leve (de Grau 1) exige apenas que o agressor peçam desculpas pelo ato; já a mais alta (de Grau 9) causa expulsão do aluno envolvido no caso.

O grau da medida disciplinar dada à Kim Garam foi 5. Uma das medidas aplicadas do Grau 5 em diante é que o aluno e seus pais façam um curso sobre violência para que, segundo o Ministério da Educação, possam eles próprios “sentirem remorso por suas ações para mudarem suas mentalidades sobre violência e fazerem com que reflitam sobre suas ações com ajuda profissional“.

A maioria das medidas disciplinares são enquadradas entre os Graus 1 e 3, mesmo algumas onde houve agressão física. Portanto, a de Grau 5 dificilmente seria dada em um caso onde não tenha havido nenhuma violência física. Esse detalhe vinculado ao fato de que a HYBE ter reiterado no relatório de ontem que Kim não cometeu nenhuma agressão foram suficientes para causar confusão em muitos que estão acompanhando o caso.

Neste sábado (21), a HYBE voltou a público para explicar este ponto:

A medida disciplinar de Grau 5 foi dada mesmo que não tenha havido nenhuma violência física. Até onde sabemos, os comitês de violência escolar variam de acordo com a questão, a escola, o distrito e os envolvidos e não são tribunais de lei. Na época, a mãe de Kim Garam acreditou que a escola tenha tomado a decisão que ajudaria mais a sua filha, então ela não apelou. Agora, a mãe se arrepende profundamente de não ter contestado o grau da ação disciplinar e simplesmente ter aceitado. Porém, naquela época, ela achou que fosse a melhor forma de educar sua filha.

Juntamente com a explicação detalhada sobre cada uma das acusações contra Kim Garam, a HYBE também anunciou que ela entraria em hiato temporário e que o LE SSERAFIM seguirá promovendo como quinteto até seu retorno. O grupo cancelou todos os compromissos agendados para ontem (20).

Fonte: (1)
Imagem: HYBE
Não retirar sem os devidos créditos.

Tags relacionadas:

  • Greyce Oliveira

    Cearense de Fortaleza, é metade uma humana normal professora de Inglês e metade ELF(a) precisando (talvez) de tratamento para parar de falar no Super Junior toda hora.