Sua principal fonte de cultura coreana e conteúdo exclusivo sobre KPOP.

Cobertura de Eventos

Anime Friends 2022 finaliza a volta pós-COVID com edição no Rio de Janeiro

Conhecido como o maior evento de cultura asiática da América Latina, o Anime Friends existe desde 2003 e atrai milhares de pessoas para São Paulo, tornando-se um marco no calendário paulista. Em 2022, o evento cruzou novamente a ponte e chegou ao Rio de Janeiro, após a sua primeira edição na cidade em 2019. A segunda edição do AF na cidade maravilhosa contou com artistas e profissionais que levaram suas experiências e conhecimento para abrilhantar ainda mais as áreas dedicadas aos animes, K-pop, jogos, mangás, dublagem e muito mais.

A KoreaIN esteve presente e te conta um pouco de tudo que aconteceu por lá, confira.



O palco principal do evento contou com a presença de artistas como a banda Radio Clock, a banda Kyori, a banda Nemuri, Mhrap, Sidney Scaccio, Diogo Miyahara, Danger 3, entre outros. De Trap a Rock a B-pop e a J-pop, o palco principal do Anime Friends foi feito para todos os gostos.

O grupo EVE se apresentou no primeiro dia de evento, atraiu vários fãs e deu à Nacris, uma das integrantes, a oportunidade de ter um show na sua cidade natal na presença de sua família. A banda Anime Project trouxe um grande público, se apresentando ao meio dia do segundo dia de evento e despertando nostalgia nos fãs de anisongs (músicas de anime).

Em seguida, Kauan Okamoto, um cantor de J-pop nipo-brasileiro alternou entre músicas autorais e covers de músicas japonesas e coreanas. Kauan e seus dançarinos animaram o público. Ele conversou um pouco com os fãs em português e, horas depois, também participou do Meet & Greet. O concurso de Cosplay finalizou a noite nos dois dias de evento e atraiu mais de 80 competidores por dia.

Os atores Takumi Tsutsui e Hiroshi Watari também estiveram presentes no evento para palestras nos dois dias, Meet & Greet e uma entrevista exclusiva com a imprensa.

Takumi Tsutsui é mais conhecido por seu papel como protagonista da série Jiraiya: O Incrível Ninja, uma tokusatsu (live-action com efeitos especiais) com 50 episódios que acompanha a trajetória de Touha para se tornar um ninja e combater uma família de feiticeiros. Em entrevista com tradução simultânea feita por Matheus Spargolli, Tsutsui disse estar feliz e surpreso que mesmo após 30 anos da série, cada vez que ele vem ao Brasil as pessoas parecem gostar cada vez mais dele.

Hiroshi Watari também interpretou personagens tokusatsu de estilo Metal Hero (heróis em armadura de metal). Ele protagonizou três séries: Sharivan, Spielvan e Boomerman. Sharivan é o papel mais lembrado de Watari e retratava um detetive espacial do Palácio Iga que combatia MAD, um grupo maligno que ameaçava a paz no universo. Watari, em entrevista também com o tradutor Matheus Spargolli, comentou com orgulho sobre o privilégio de poder atuar em mais de uma grande série de sua geração.

Os dois atores comentaram em suas entrevistas sobre a importância que seus personagens podem ter na formação de caráter dos seus espectadores. Tsutsui acredita que Jiraiya ensina adultos e crianças a não fazerem a coisa errada. Watari afirma que suas séries ajudam as pessoas a pegar um caminho estreito, direto até a justiça e saberem como agir e falar de forma mais correta.

Matsuko Mawatari, cantora de J-pop e compositora responsável pela música de abertura do anime Yu Yu Hakusho, também esteve no evento em palestras, apresentações musicais, Meet & Greet e mais. Em entrevista à imprensa, falou através da tradutora Monica Veloso sobre a sua surpresa e felicidade ao descobrir que era muito querida por brasileiros antes da sua primeira vinda ao Brasil. Ela comentou sobre o anime e como seu processo de criação da música não seguia uma ordem correta de “primeira parte, refrão, segunda parte…”. A ordem lançada da música começa com “Correndo na multidão / Em uma cidade sem rosto / Eu preciso sentir o toque de um amigo” e termina falando sobre ganhar poder e confiança e sobre como foi bom finalmente entender a si mesmo. Mawatari falou que o objetivo principal da letra é trazer esperança para as pessoas que se sentiam solitárias, por isso colocou uma mensagem positiva na parte final.

A área K-pop do evento trouxe workshops de dança com a cantora Gabibs do grupo EVE no primeiro dia e com o coreógrafo do grupo, Davi Olliver, no segundo. Olliver ensinou uma versão alternativa da música Veneno do grupo e atraiu a atenção do público duas horas antes do Maru Dance Challenge, a última atração de K-pop do evento: uma competição de dança com o valor de três mil reais para o primeiro colocado. O grupo JJANG B se apresentou com a música God’s Menu (Stray Kids) e levou o primeiro lugar na competição. No mesmo palco ocorreram também concurso de canto, apresentações cover, Random Play Dance e um Meet com o grupo EVE, com direito a foto com as meninas.

Pautas importantes foram abordadas nas palestras com as mulheres do podcast “Papo Nerd Com Elas”, como “Personagens Femininas nas Obras Orientais” e “Dos Games aos Mangás e dos Mangás aos Games”. Ao falar sobre personagens femininas, as palestrantes ressaltaram a importância de ter personagens femininas plurais e não apenas aquelas que se encaixam em um estereótipo dócil ou hipersexualizado. Elas também destacaram o quanto históricas como Pokémon e Cavalheiros do Zodíaco sempre foram consideradas masculinas, histórias para homens, quando na verdade são histórias que podem agradar todos os gêneros e sexualidades.

Os dubladores de séries e animes estiveram presente em peso, em palestras no palco Anime ou no palco principal, no Meet e Greet e em outras atividades ao longo dos dois dias. Conversas sobre as dublagens de Yu Yu Hakusho, Tokyo Revengers e Jujutsu Kaisen preencheram o palco Anime, assim como as palestras do Papo Nerd com Elas e a presença da Newpop Editora. Dentre todos os dubladores presentes, Guilherme Briggs e Wendel Bezerra também foram entrevistados em particular pela imprensa, os dois são conhecidos pela dublagem de diversos personagens de animes e desenhos animados.

Wendel Bezerra, responsável por vozes como a de Edward (Saga Crepúsculo) e Goku (Dragon Ball Z), comentou sobre seus desafios na dublagem, o primeiro sendo criar uma voz caricata pela primeira vez com o personagem Bob Esponja. Outro desafio foi dublar 7 personagens diferentes em um mesmo filme, o “Seis Vezes Confusão”. Por último, Wendel citou o novo filme do Batman e como foi criar uma voz grave e alcançar um tom específico que combinasse com o personagem.

Guilherme Briggs, responsável pela dublagem de vozes como Buzz Lightyear (Toy Story) e Samurai Jack (Samurai Jack), comentou que um dos maiores desafios para um dublador é aceitar que dublar é estar atento e constantemente treinando, adaptando e melhorando. Segundo ele, nem todo dia o dublador ou dubladora se sairá bem, seja por questões externas ou internas, e cabe ao profissional não se sentir culpado por isso, pois tudo é um processo.

Os dois também enfatizaram a importância da dublagem, não apenas como algo que inclui deficientes visuais e minorias impossibilitadas de assistir filmes legendados, mas como uma fonte de motivação aos espectadores. Wendel conta que já recebeu mensagens de carinho de fãs contando que a voz de um personagem que ele interpretou já ajudou na superação de câncer, traumas de infância e outras adversidades. O dublador se torna parte do personagem e parte de uma inspiração para os fãs. Briggs comentou que espera continuar saudável para seguir dublando.

A dubladora Miriam Ficher e seu projeto Novas Vozes foram citados por um dos jornalistas após a fala da profissional na palestra sobre dublagem de Yu Yu Hakusho no dia anterior. Em resposta a isso, Briggs ressaltou a importância de se valorizar o profissional de dublagem, principalmente quando envelhece e não tem mais condições de trabalhar. Ele afirmou ter medo de envelhecer e não poder mais trabalhar e sustentar sua família.

Uma coletiva de imprensa foi feita com Eduardo Miranda, mais conhecido como o Pai dos Animes no Brasil, que foi responsável pela aprovação e renovação de contratos de animes para a exibição no canal da Rede Manchete nos anos 1990. Miranda é muito conhecido por ter colocado no ar o anime Cavalheiros do Zodíaco e, em entrevista para a imprensa, revelou que uma das coisas que mais o chateia foi não poder ter colocado Pokémon no ar.

Na época em Pokémon começaria a ser exibido, o episódio 38 da série estreou no Japão e cinco segundos de uma cena levaram 685 espectadores japoneses ao hospital por epilepsia fotossensível. O canal teve que cancelar a exibição da série, que foi exibida por outros canais anos depois. Em pergunta sobre Yu Yu Hakusho, uma das obras mais homenageadas da edição, Eduardo comentou que esse anime mostra que é possível uma obra feita em outro hemisfério “falar a mesma língua” que os brasileiros, se comunicar com um público de cultura distinta.

O Anime Friends 2022 no Rio de Janeiro contou também com stands vendendo diversos produtos de animes, jogos, comida, mangás e muito mais. A vila dos artistas esbanjou criatividade ao mostrar produtos feitos por fãs e para fãs sendo vendidos nas mais diversas variedades. Jogos de realidade virtual, workshops de desenho, Just Dance e outros jogos de computadores ficaram disponíveis para uso do público. Além disso, fãs complementaram o evento com cosplays de animes, games, filmes de super-heróis e desenhos animados. O evento se despediu do público carioca deixando um gostinho de “quero mais”, importante para a possível continuação do evento na cidade nos próximos anos.

Perdeu o que aconteceu no evento de São Paulo? Confira nossa cobertura de tudo o que aconteceu lá.

Escrito por Beatriz Pollo
Fonte: (1), (2), (3), (4), (5), (6)
Imagens: Beatriz Pollo via KoreaIN
Não retirar sem os devidos créditos.

Tags relacionadas:

  • O significado as máscaras usadas em Money Heist Korea Produções com a Nairobi de La Casa de Papel Coreia K-POP: Os MVs mais vistos do NCT 7 K-dramas com Park Eun Bin 5 Curiosidades sobre o K-drama Extraordinary Attorney Woo